Cachimbo – Um instrumento cerimonial

Cachimbo – Um instrumento cerimonial

É de uso corrente o cachimbo entre os xamãs do mundo inteiro. Um instrumento para prece, bênçãos, passes, exorcismos, cerimônias em geral.

Para os nativos norte-americanos, ele surgiu com a aparição da Mulher Novilho Búfalo Branco, na tribo Lakota.

Ela explicou que o fornilho representava a Terra , e o cano tudo o que nasce sobre a Terra.

O fornilho representa o aspecto feminino e o cano o masculino. A união dos dois simboliza o princípio da criação, da fertilidade. O Cachimbo Sagrado é uma forma de oração, as preces são enviadas através do cachimbo. A cada pitada de tabaco se está honrando o que os nativos chamam de Todas As Nossas Relações ( Mitakuye Oyassim ) , que são todas as manifestações da vida da Criação, seres elementais, animais, insetos, peixes, pedras plantas, ancestrais, e etc.

O cachimbo também é utilizado por xamãs peruanos em rituais com plantas de poder, na magia dos pretos velhos, por índios brasileiros em rituais de cura e exorcismos. O fato de alguns cachimbos serem de uma peça só não tira o valor ritual. (Veja mais em TABACO).

A Mulher Novilho Búfalo Branco é um ícone na espiritualidade indígena norte-americana

Dois lakotas andavam numa colina, até que viram uma mulher muito linda, vestida com peles brancas, trazendo nos ombros uma bolsa.

Um dos homens teve pensamentos impuros e disse ao outro, mas, o outro lhe avisou que seguramente aquela era uma mulher sagrada.

O homem com intenções impuras se aproximou da mulher, e nesse momento uma grande nuvem envolveu os dois. Quando a nuvem se dissipou a mulher estava em pé e do homem sobrou seu esqueleto e serpentes que o contornavam.

A mulher disse ao outro homem:

” Consideras aquilo que vês. Quem só vê a beleza física, jamais conhecerá a Beleza Divina. ”

“Vá até seu chefe Chifre Oco Em Pé e diga-lhe que prepare uma tenda espaçosa para abrigar todo o seu povo e aguardar a minha chegada. Quero passar-lhes algo muito importante.”

O homem comunicou o acontecimento a Chifre Oco Em Pé, que prontamente mandou construir uma grande tenda.

Ao terminar a tenda e reunir o seu povo, a mulher misteriosa chegou. Ela aproximando-se tirou sua bolsa dos ombros, e, segurando com ambas as mãos entregou ao chefe dizendo:

“Olhe para esta bolsa e ame-a sempre. Ela é muito sagrada, e deves trata-la como tal Dentro dela há um cachimbo sagrado para teu povo enviar suas vozes ao Grande Espírito, teu Pai e Avô.”

Essa mulher apresentou-se como Mulher Novilho Búfalo Branco. Ela explicou o procedimento ritual para o uso do cachimbo, e os sete ritos em que o cachimbo deve ser usado. No final, quando ia embora falou :

” Com este cachimbo, os seres de duas pernas aumentarão em número e a eles virá tudo o que é bom. ”

Dando a volta pela cabana, na direção do movimento do Sol, ela foi embora, depois de caminhar por uma curta distância olhou para trás para o povo e sentou-se. Quando voltou a levantar, o povo se assombrou, pois ela se transformou em um novilho de búfalo vermelho e castanho. O novilho andou por uma pequena distância, deitou e rolou no chão, e quando levantou era um búfalo branco. O búfalo branco andou por uma pequena distância, deitou e rolou no chão, e quando se levantou, era um búfalo negro, que se afastou de desapareceu no alto de um morro.

Segundo Campbell, a mulher wakan ( sagrada ) é o aspecto feminino do búfalo cósmico. O Búfalo Cósmico é o símbolo do Universo em seu aspecto temporal, lunar, morrendo e ressuscitando sempre, e suas 28 costelas representam os ciclos da lua. Um símbolo de renovação. Ela mesma era o novilho vermelho, cor da Terra, idêntica a cor do fornilho do cachimbo, mas também a mãe, o búfalo branco; e a avó o negro.

Essa estória foi extraída do meu livro ” O Espírito Animal ” É um resumo da versão de Black Elk ( Alce Negro ). Segundo Campbell, a mulher wakan é o aspecto feminino do Búfalo Cósmico.

Uma forte simbologia para os participantes da cerimônia do cachimbo sagrado, é que quem o leva a boca, deve manter os seus pensamentos puros, limpos, boas intenções

Orientações de Coiote-em-pé

1 – Cerimônia de Purificação e Limpeza (Sálvia, etc)

  • 1 pitada de tabaco para as 6 direções
  • Sentir o poder do Leste
  • Empurrar o tabaco até o fim, com um bastão.
  • 5 ou 7 pitadas, dependendo da intenção
  • Acender o cachimbo, oferecendo aos Espíritos das 4 direções

Passar a fumaça na ordem :

  • Cabeça
  • Abaixo
  • Virando no sentido horário de pé e fazer a oração

É importante quando está com o cachimbo no alto, muita calma para escutar os espíritos com claridade.

Ao final, agradecer Whope Wakan, Tunkashila, espíritos brasileiros e nativos-norte americanos ( todos fazem suas orações pessoais ).

É importante a segurança espiritual com o cachimbo e a sweat lodge.

Parte 1 – Paz com os espíritos brasileiros

Parte 2 – Outros espíritos

Honrar com o CACHIMBO

1 – As 4 Direções – Terra – Sol – Lua – Estrelas – Grande Mistério

2 – Reino Vegetal – Árvores – Ervas – Algas – Musgos . Reino Animal: Que nadam, voam, correm, rastejam, insetos

3 – Sêres humanos – Vermelhos, Brancos, Negros, Amarelos

4 – Amor – União – Trabalhando conosco no Universo

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

ENTRE EM CONTATO

Envie um e-mail para a equipe do Site


©Desenvolvido por Agência Rumi

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?