Vegetarianismo e espiritualidade nos tempos atuais

Vegetarianismo nos tempos atuais

vegetarianismo-espiritualidade

Uma das grandes contradições de todo o desenvolvimento é a de que milhares de seres humanos morrem de fome. De outro lado , o que se gasta para alimentar o gado, daria para alimentar toda a população com fome em nosso planeta. Não precisaríamos destruir florestas para transformá-las em pastos, preservando mais o nosso meio-ambiente.

Para se produzir 450 grs. de carne de vaca, são necessários 3Kg de sementes. Estes, por sua vez requerem 3.000 litros de água. No mundo inteiro é cada vez maior a quantidade de água usada em porcos e galinhas, em vez de serem empregadas na irrigação das plantações destinadas ao consumo direto.

Uma grande solução para um planeta com fome, seria transformar os pastos em campos de agricultura. Os países em desenvolvimento onde milhões de pessoas passam fome exportam grãos aos países desenvolvidos para alimentar os animais servidos nas mesas. Se consumirmos os grãos que cultivamos em vez de dá-los aos animais, acabaríamos com a escassez de alimentos, cem acres produzem carne para vinte pessoas, mas graos suficientes para alimentar duzentose quarenta.

Nos EUA o volume de fezes animais é 130 vezes supeior ao de excrementos humanos. As fezes de vaca tem provocado mortes de peixes e surgimento de doenças. Sabe-se que uma uma fazenda em Utah, produz mais dejetos do que a cidade de Los Angeles.

Da Indonésia à Amazônia as florestas estão sendo queimadas para servirem de areas de pasto. Na China, a ampliação do consumo de carne, resultou em uma maior incidência de casos de obesidade, doenças cardíacas, câncer de mama e de cólon

Drº Vernon Coleman – Membro da Sociedade Real de Medicina na Inglaterra – , autor de inúmeros livros e artigos na área da medicina humana e do combate à experimentação animal, afirma que nos Estados Unidos, 55% de toda a produção de antibióticos é destinada aos animais e o índice de infecções causadas por estafilococos resistentes à penicilina subiu de 13% em 1960 para 91% em 1988. Os animais sofrem dor e medo como nós. Passam as últimas horas de sua vida trancados em um caminhão, encerrados com centenas de outros animais, igualmente apavorados, e depois são empurrados para um corredor da morte ensopado de sangue. Ele afirma também que Consumidores de carne estão mais propensos às seguintes enfermidades: anemia, apendicite, artrite, câncer da mama, câncer do cólon, câncer da próstata, prisão de ventre, diabete, cálculos biliares, gota, pressão alta, indigestão, obesidade, hemorróidas, enfartos e varizes. O índice de pessoas hospitalizadas que são vegetarianas a vida toda é 22% menor do que o das que se alimentam de carne — e o período de internação também é menor. O nível de colesterol dos vegetarianos é 20% mais baixo e isto reduz consideravelmente a incidência de enfartos e o risco de câncer.

As dietas vegetarianas, como todas as dietas, precisam ser apropriadamente planejadas para serem adequadas em termos nutricionais.

Associação Dietética Americana (ADA), relata dados científicos que indicam relações positivas entre a dieta vegetariana e a redução do risco de várias doenças e condições degenerativas crônicas, como obesidade, doença arterial coronariana, hipertensão, diabete melito e alguns tipos de câncer.

Existe uma diversificação nos padrões vegetarianos. Os ovo-lacto-vegetarianos baseiam-se em cereais, leguminosas, verduras, frutas, leguminosas, amêndoas e castanhas, laticínios e ovos e exclui carne, peixe e aves. O do vegan, ou vegetariano total, é semelhante ao do ovo-lacto-vegetariano exceto pela exclusão adicional de ovos, laticínios e outros produtos de origem animal.

Segundo o parecer da Associação Americana do Coração (AHA) : A maioria das dietas vegetarianas é pobre em produtos de origem animal. Também costumam ter índices de gordura total, gordura saturada e colesterol mais baixos que as dietas não vegetarianas. Muitos estudos demonstraram que os vegetarianos parecem apresentar um risco menor de obesidade, doença coronariana (que provoca ataques cardíacos), pressão alta, diabete melito e algumas formas de câncer.

No entanto, a dieta vegetariana pode não ser saudável caso contenha calorias em excesso e quantidade insuficiente de nutrientes importantes.

As dietas vegetarianas podem ser saudáveis e completas em termos nutricionais quando são cuidadosamente planejadas para incluir nutrientes essenciais. Orientações do Sitio Vegetariano, coordenado por Marly Winckler socióloga, vegetariana desde 1982, Coordenadora para a América Latina e o Caribe da União Vegetariana Internacional e preside a Sociedade Vegetariana Brasileira :

Não é preciso comer alimentos de origem animal para ter proteína suficiente na dieta. As proteínas vegetais, sozinhas, podem fornecer a quantidade necessária de aminoácidos essenciais e não essenciais, contanto que as fontes protéicas sejam variadas e a ingestão de calorias seja suficientemente alta para atender à necessidade energética. Cereais integrais, leguminosas, legumes, verduras, sementes e castanhas contêm, todos, aminoácidos essenciais e não essenciais. Não é preciso combinar cuidadosamente esses alimentos (“proteínas complementares”) dentro da mesma refeição.

Já se demonstrou que a proteína da soja é igual às proteínas de origem animal. Pode ser sua única fonte de proteínas, se você quiser.

Ferro: Os vegetarianos podem sofrer um risco maior de deficiência de ferro do que os não vegetarianos. Feijão, espinafre, produtos enriquecidos, levedo de cerveja e frutas secas são boas fontes vegetais de ferro.

Vitamina B-12: algumas marcas enriquecidas de flocos de cereais, de bebidas à base de soja, de levedo de cerveja e de outros alimentos (verifique os rótulos), além de suplementos vitamínicos.

Cálcio: Os estudos mostram que os vegetarianos absorvem e retêm mais cálcio dos alimentos que os não vegetarianos. Verduras como espinafre, couve e brócolis e algumas leguminosas e produtos à base de soja são boas fontes vegetais de cálcio.

Zinco: O zinco é necessário para o crescimento e o desenvolvimento. Entre as boas fontes vegetais estão os cereais, as castanhas e as leguminosas

O que é natural ? É natural levarmos os nossos filhos em matadouros, para que eles vejam e saibam como os alimentos chegam para ele ? Tenho certeza absoluta que esse não seria um bom programa para qualquer criança. Agora sinto que todos eles gostariam de ir a um pomar, colher frutas, ou numa horta . Por que ?

Porque comer carne não é tão natural assim ! Para nós, alguns macacos e outros animais.

As feras se deliciam quando vêem um corpo esquartejado saindo sangue, e os levam para os seus filhotes, é um grande prazer. Nós sentimos enjôo, ficamos chocados.

Um dos maiores filósofos gregos, Pitágoras, condenava o hábito de comer carne. Os pitagóricos eram vegetarianos e faziam refeições simples. Um pouco mais tarde na Grécia havia Hipócrates, o Pai da Medicina. Foi o maior médico da Grécia, e dizia:

“Todo o homem deve ser um aprendiz da natureza. Se realmente deseja cumprir o seu dever, deve tratar de conhecer as relações que existem entre a saúde do homem e a sua alimentação”.

ENTRE EM CONTATO

Envie um e-mail para a equipe do Site


©Desenvolvido por Agência Rumi

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?