Virada Musical Xamanica – A História

Por Léo Artese

No final de 2016, tive uma inspiração de fazer uma espécie de Woodstock Espiritual no Brasil, e fazendo meu trabalhos xamânicos, acabei indo parar em novembro de 2016 em Woodstock para almoçar e na praça onde estava o restaurante estava acontecendo uma roda de tambores, as pessoas cantavam e dançavam, entrando num transe…Senti uma grande sincronicidade e um chamado. Pensei numa forma de criar uma “folia espiritual”, um espaço onde os praticantes de xamanismo pudessem se reunir com grupos musicais que cantavam em cerimonias. Ou seja diversão, expansão da consciência e cura. Um espaço de convivência de grupos musicais e praticantes. Um ponto de encontro da musica espiritual e seu público.

Depois, em 2017 mudamos o nome para VMX – A Virada Musical Xamânica, que estabeleceu um novo calendário para os xamânicos no período de férias. O sucesso foi tão grande que repetimos a dose em 2018. E, no verão europeu de 2018, levamos nosso projeto para Europa, onde fizemos A Primeira Vigília Musical Chamânica em Madrid – Espanha. Agora estamos nos preparando para a Terceira Virada Musical Xamânica nos dias 22, 23 e 24 de fevereiro de 2019, uma semana antes do Carnaval.

Em julho de 2018, realizamos, com nosso organizador Pedro Garcia, pela primeira vez na Europa, a Velada Musical Chamânica em Madrid e provavelmente em 2019, a Shamanic Musical Vigil, na Califórnia, as versões estrangeiras da Virada Musical Xamânica (VMX) que iniciamos em Itapecerica da Serra – SP em 2017.

Importância da Musica nos rituais

Uma explicação simples… A canção no xamanismo é uma forma de rezar e invocar energias. Esse simples é tudo! Invocar através da canção de poder é caminhar no sagrado, uma linguagem que transcende explicações e são compreendidas pelo coração.

Os corpos dos participantes abastecem-se de energia de vida, bênçãos chegam até eles,  são envoltos numa atmosfera sagrada, percebem que não há separação, e que o eterno reside dentro  de cada um de nós

Alguns povos se entregavam a longos  períodos de êxtase, ao dançar e  cantar  para viajar no tempo e espaço aos reinos profundos e além da imaginação.

Os antigos rituais eram, efetivamente, meios de fazer com que as formas celestes descessem ao nível da alma, atravessando o nível do espírito e chegassem até o corpo, para a cura e autoconhecimento.
Às vezes uma palavra cantada, uma frase, um nome, é o suficiente para despertar o poder pessoal do participante e com isso transformar seus conceitos e consequentemente sua vida.
Posso acrescentar também o efeito dos sons em nosso corpo sutil, nossos centros energéticos e também a liberação de substancias benéficas ao nosso organismo, proporcionado pelo prazer e encantamento pela beleza das imagens criadas na mente pela canção.

Evolução das Musicas Medicina/
As músicas realizadas em ritos e cerimonias, foram saindo do ambiente espiritual e entrando mais no dia-a-dia das pessoas. Hoje pessoas se encontram para ouvir canções de poder, musicas medicinas, musicas xamânicas, musicas de rezo, musicas espirituais. Existem muitas pessoas que só querem ouvir esse gênero em suas casas, nos carros, nos celulares…Isso é muito importante! As pessoas ouvem coisas boas para  mente. São canções que pregam a paz, o amor, a união, a felicidade, louvam a natureza, divindades, as forças espirituais.

Com o tempo as pessoas que se conheciam nos rituais e cantavam juntas, começaram a formas bandas, talentos individuais do gênero emergiram . Essas canções são um maravilhoso foco de divulgação das virtudes humanas e de um xamanismo universal.

Importância para os dias de hoje

Muitos vivem, atualmente, com uma sensação de separação, de isolamento, um sentimento de que deva existir um sentido maior na vida. As musicas xamânicas podem trazer a consciência de que somos apenas um “microcosmo”, de que somos parte de “algo maior”, de que somos filho da Terra, parte de uma Terra Viva, de um organismo. Podemos sentir o Sagrado, perceber novas dimensões, obtermos a profundidade e o sentido que está faltando em nossas vidas.

As musicas permitem uma reconexão com o “Mistério da Vida”, com forças visíveis e invisíveis, que permeiam a nossa existência, em níveis sutis. Sentindo e compreendendo essas energias nos tornamos “unos” com o Universo, recuperando o equilíbrio dentro de nós mesmos.

A musica compele a mente a viver dentro do coração, até que a mente ignorante seja destruída. Na verdade, o antigo modo de viver abre caminho para um jeito mais consciente.

Quando convidamos o amor para despertar poderes mais profundos, trabalhar nos desafios torna-se uma aventura. O praticante, através das canções de poder, explora a estrutura de sua própria consciência e vai compreendendo como os fatos acontecem na sua vida, deixando de ser vítima das circunstâncias. Sente-se inspirado pelos desafios e aprende a utilizar a energia de forma a caminhar no amor, paz e alegria.

No xamanismo usamos as canções e sons para evocar espíritos guardiões, espíritos de cura, para intensificar a energia, para alterar a consciência, permitir a mente livre de pensamentos indesejáveis, para proporcionar visões. A melodia, o ritmo e as palavras estabelecem uma comunicação com o sagrado, libertando, de forma espontânea, a energia para curar e elevar a consciência.

Nossa Missão

  • Criar um ambiente propício para reunir praticantes e estudiosos de xamanismo afim de restabelecer uma conexão direta com a natureza, através de uma viagem musical que permita explorar – através dos ritmos da canção, chocalhos e tambores, instrumentos de poder. Um vasto panorama de sons de várias tradições xamânicas, a fim de obter, com o coração, a intenção de cura no ritmo da respiração sagrada.
  • Unir cantoras (es) e grupos musicais que se apresentam as cerimonias xamânicas.
  • Criar um espaço de relacionamento dos frequentadores de práticas xamânicas, ode possam realizar trocas de conhecimento.

A Virada Musical Xamânica também marca um ”ponto de encontro”, uma hora de poder, entre os praticantes. Ela permite uma “folia” , os participantes cantam e dançam por duas noites seguidas, até o amanhecer do dia, a programação vai mesclando cantores e bandas já consagradas com novos talentos. A Terceira Virada Musical Xamânica acontecerá de 22 a  24 de fevereiro no Sítio Lua Cheia em Itapecerica da Serra – SP Mais informações no site www.viradamusicalxamanica.com.br

Os Festivais de musicas medicina, xamânicas, de rezo são um “caminho alternativo absolutamente do bem” para os jovens que querem fazer folias. Nesses ambientes não são servidas bebidas alcoólicas, geralmente a alimentação é natural, vegetariana. Nas duas versões da VMX, não tivemos a ocorrência de nenhum briga, sequer verbais, pois o ambiente não propicia violência. Uma opção saudável, pacifica, amorosa, encantadora para os jovens das próximas gerações, que irão transformar esse mundo.

Woodstock

Para honrar essa inspiração, vejam este texto escrito em 2009, por Steve Rabey, sobre o que foi o Woodstock

40 anos depois, vibrações espirituais de Woodstock ainda ressoam

Os organizadores do Woodstock planejaram o evento para uma multidão de 50.000 em sua reunião agosto há 40 anos na zona rural de Nova Iorque. Em vez disso, cerca de 500.000 pessoas compareceram para ouvir Jimi Hendrix , Janis Joplin e The Who, transformando o festival em um icone – e alguns dizem evento espiritual que ainda ressoa na América.

“A comunidade cresceu fora do Woodstock”, diz o organizador Michael Lang em seu novo livro The Road to Woodstock. “Um senso de possibilidade e esperança nasceu e se espalhou ao redor do globo.”

Historiador de rock Pete Fornatale vai mais longe. “Eu queria dizer que Woodstock foi uma experiência espiritual”, diz o autor de Back to the Garden: The Story of Woodstock. Fornatale não é fanático religioso. “Eu não sou um crente. Eu não sou um descrente. . Mas ele está claramente em uma cruzada para explorar as dimensões espirituais do festival, que os organizadores se mudaram da cidade de Woodstock para uma fazenda perto de Betel, que significa “Casa de Deus” em hebraico.

“A espiritualidade pode não ser a primeira coisa que as pessoas associam com Woodstock”, diz Fornatale, que recentemente falou sobre seu livro no Museu de Bethel Woods, situado no site do festival. “Mas os jovens estavam em busca de uma identidade e de um significado que eles encontraram lá naquele fim de semana.”

Fornatale vê o festival como uma cerimônia de enorme comunhão com hinos como Amazing Grace e Swing Low, Sweet Chariot realizada por Arlo Guthrie e Joan Baez , sermões de profetas musicais os gostos de Sylvester Stewart de Sly and the Family Stone, e uma moderna leitura de milagre dos pães no ethos comunal de freqüentadores do festival que partilavam o alimento com fome de Jesus .
Nem todos os historiadores compartilham a leitura do Woodstock de Fornatale, mas a maioria concorda que a geração Woodstock transformou a vida religiosa e espiritual dos americanos.

“A contracultura tornou-se a cultura”, diz Mark Oppenheimer , que examinou mudanças entre protestantes, católicos e crentes judeus em Batendo na porta do céu: Religião americana na era da contracultura.

Oppenheimer diz principais mudanças religiosas da época eram “estéticas, não teológica.” Como ele explica, “Woodstock não era sobre um monte de conteúdo intelectual ou argumentos sofisticados. Em vez disso, houve um extraordinário acontecimento social, artístico e musical,. E isso é o que a época foi para a religião. ”

Durante os anos 1960, alunos do seminário Batista do Sul teve lutaram por seu direito de usar o cabelo longo ou sandálias. Pelos anos 70, Oppenheimer diz, líderes religiosos perceberam que não havia “nenhuma virtude em ser abotoado e quadrado.”

Agora o olhar desabotoado é a norma para os pastores de mega-igrejas como Rick Warren . “Ninguém questiona que um sujeito corpulento que está na frente com uma barba e uma camisa havaiana podem falar profeticamente sobre a mensagem do Evangelho”, disse Oppenheimer. “Isso não é algo que teria acontecido na década de 1950 ou 1960”.

San Francisco escritor Don Lattin , que já escreveu três livros sobre espiritualidade de 60, disse que uma chave para as transformações daquela década pode ser encontrada no Instituto Esalen , um centro de retiro na Califórnia muitas vezes visto como o berço do movimento de potencial humano.
“Houve uma mudança generalizada do teológica à terapêutica”, disse Lattin, autor de sequência Nossa Bliss: Como os ideais espirituais dos anos sessenta formaram as nossas vidas hoje. “Foi tudo sobre o sentimento bom ao invés de ser bom. Era sobre a redução do estresse, não a salvação “.

Hoje, o legado de Esalen pode ser encontrado em igrejas “buscadoras sensitivas” que comercializam a congregação com base em suas necessidades sentidas e centros de retiro católico que oferecem sessões de ioga, meditação e o Eneagrama.

E enquanto membros da geração Woodstock eram em sua maioria se opôs à Guerra do Vietnã, muitos abraçaram a tecnologia de computador criado pelo complexo militar-industrial, disse Universidade de Stanford professor de Fred Turner , autor de De Contracultura para Cibercultura. “Os comunalistas da década de 1960 tinha fé na capacidade dos indivíduos de usar tecnologias de pequena escala de comunicação para criar comunidades de consciência”, disse Turner, que acredita que este ethos ajudou Internet de hoje.

Enquanto esses autores não negligenciaram o lado escuro dos anos 60, incluindo a desagregação da família, eles argumentam que ainda estão seguindo os passos da geração Woodstock.

VMX 2019 – O ANO DA UNIÃO!

Brevemente teremos ingressos antecipados para este grande encontro.
Reserve em sua agenda! Imperdível!

Compartilhe: