Xamanismo e PNL

“Minha missão é inspirar as pessoas para que elas possam se conhecer melhor, buscar a felicidade, conectarem-se ao Sagrado e viver em harmonia com todas as relações, com todos os reinos. ” (Léo Artese)

 

 Xamanismo & Programação Neurolinguística (PNL)

O xamanismo engloba práticas de cura de ancestrais primitivos e indígenas ao redor do mundo. Por meio de sua visão sistêmica, temos como premissa básica o reconhecimento de que fazemos todos parte da família universal, onde tudo está interligado. O praticante apropria-se do espírito essencial que está nele mesmo, na natureza e em todos os seres, ampliando o conhecimento sobre si e sobre a sua relação com o universo quando ainda fazia a formação em Master Practitioner em PNL Sistêmico, com Deborah Epelman, fui percebendo como a ferramenta explorava o funcionamento interno da mente humana; como pensamos, como surgem nossos desejos, objetivos e medos e como buscar motivação, fazer conexões, dar sentido às nossas experiências. Aplico PNL em todas as áreas em que atuo, como professor de oratória, personal coach e também como instrutor de xamanismo.

É possível identificar alguns elementos comuns entre xamanismo e PNL, principalmente os mapas, a criação de mapas, que através de uma viagem mental aborda sentimentos, sonhos, necessidades físicas, emocio­nais, mentais e espirituais. A PNL é capaz de modelar os elementos críticos de um sistema, pesquisando a relação xamanismo e PNL observei que al­guns antropólogos consideram a PNL como uma religião da Nova Era. O médico e antropólogo Jean M. Langford categoriza a PNL como uma forma de magia popular; isto é, uma prática capaz de efetuar mudanças através de efeitos não específicos (por exemplo, o efeito placebo). Para Langford, a PNL é semelhante a uma “sincrética religião popular que casa a magia da prática popular com a ciência da medicina profissional”.

Também Bandler e Grinder foram influenciados pelo xamanismo, nos livros de Carlos Castaneda. Várias idéias e técnicas têm sido emprestadas de Castaneda e incorporadas em PNL incluindo chamado de indução dupla e da noção de “parar o mundo” (modelagem). Também li uma definição (Tye 1994) que caracterizava PNL como um tipo de psicoxamanismo.

Os caminhos do xamanismo são, acima de tudo, espirituais. A prática xamânica compreende a capacidade de entrar de estados alterados de consciência. No xamanismo considera-se a doença como originária do mundo espiritual. A maior atenção não é dada para os sintomas, ou à doença em si, mas à perda de poder pessoal que permitiu a invasão da doença.

Sentimentos, pensamentos e imagens podem, na realidade, causar liberação de substâncias químicas. Um equilíbrio químico é essencial á manutenção da saúde. As imagens e visões são usadas como instrumento para reestruturar o significado de uma situação, de modo que ela deixe da criar sofrimento.

As imagens transmitem mensagens compreendidas pelo sistema imunológico. Elas ligam os pensamentos conscientes aos glóbulos brancos. Saúde é estar em harmonia com a visão do mundo. É uma percepção intuitiva do universo e de todas as suas relações.

No xamanismo aprendemos que nos relacionamos de quatro formas fundamentais, com os nossos quatro corpos, físico, mental, espiritual e emocional, através da intuição, pensamentos, crenças, tipo de personalidade. Também temos um relacionamento transcendental com nossos guias com os espíritos da natureza, elementais, divindades.

Os xamãs compreendem a conexão do corpo, alma e mente de foma sagrada, espiritual. O trabalho do xamã tem efeito terapêutico ao induzir estados alterados de consciência e criar imagens que se comunicam com tecidos e órgãos, e até células, para promoverem mudanças.

A PNL trabalha com a linguagem verbal e não-verbal, no xamanismo aprendi que antes de se praticar o uso da palavra é necessário conferir poder à sua palavra. Antigamente eu acreditava que bastava utilizar palavras de efeito positivo para que pudéssemos alcançar efeitos positivos. Sem dúvida, palavras positivas atraem vibrações positivas. Porém, só existe um meio de você carregar suas palavras de poder, para extrair delas seu potencial mágico, é torná-las sagradas, é colocá-las na prática da verdade

Quando você pronuncia uma palavra, principalmente com emoção, emite uma energia ao universo. Como toda energia tem movimento,  como tudo o que você emite ao universo acaba voltando ao mesmo ponto, o padrão de vibração que vai, vem trazendo na volta vibrações semelhantes para quem as emitiu, como um bumerangue.

Os estudiosos afirmam que os anjos falam metaforicamente, como se fosse a PNL (Programação Neurolinguística). Jesus Cristo falava por parábolas, os Mestres ensinavam através dos contos, usavam a palavra com maestria.

Os mestres xamânicos se expressam poeticamente, metaforicamente, seus ensinamentos são revelados abrindo o livro da natureza. Uma verdade que se esconde debaixo de cada pedra, de cada folha. A sabedoria ancestral, fruto da observação da vida do homem na Terra, passado de pai para filho, atravessando as eras, formando uma rede de poder, que podemos chamar de egrégora. Das canções de poder, hinos, mantras, kyrtans, gregorianos, pontos etc. passa pelo intelecto, mas não para nele.

O poder é atribuído à palavra de acordo com o remetente. Muitos | mestres iluminados que já passaram por esta Terra usavam sua palavra I para curar. Os xamãs e curadores, sacerdotes, magos etc. fazem seus decretos, usam suas palavras mágicas, ou melhor, suas palavras de poder, sejam declamadas ou cantadas.

O xamanismo, como a mais antiga prática espiritual da humanidade, lem como base em suas práticas o respeito pela ecologia, o reconheci­mento do sagrado, a necessidade de expandir a consciência e de se obter respostas em mundos paralelos. Suas práticas estabelecem contato com outros planos de consciência a fim de obter conhecimento, poder, equilí­brio, saúde. Propicia tranquilidade, paz, profunda concentração, estimula o bem-estar físico, psicológico e espiritual.

A interação harmônica dos elementos equilibra a jornada da nossa alma, faz girar a “Roda da Vida” em harmonia. No xamanismo praticado na atualidade estudamos os talentos elementais:

  • A Terra é relacionada com o corpo físico e com as sensações.
  • A água é relacionada com a alma e com as emoções e sentimentos.
  • O ar é relacionado com a mente e os pensamentos e idéias.
  • O fogo é relacionado com o espírito e associado à consciência, à clari­dade, à inspiração.

No xamanismo temos recriado ritos que permitem sentir o sagrado, perceber novas dimensões, a profundidade e o sentido que está faltando em nossas vidas. As práticas xamânicas permitem compreender melhor a linguagem do inconsciente ao estabelecer uma comunicação com o nível mais profundo do ser, criando uma atmosfera sagrada que permite ir além do racional e nos modificar profundamente através do amor e da gratidão.

 

O Processo de Comunicação Humana

Com o que vemos, pensamos, ouvimos, tocamos, sentimos, criamos uma imagem mental. Ao mesmo tempo forma-se uma reação mental e emotiva, traduzindo esse sentimento em palavras. É uma resposta ao estímulo interno ou externo. Ela está na dependência da atenção. A atenção e uma resposta do interlocutor ao estímulo. Quando produzimos um efeito sem resultados, nos expressamos. Quando transmitimos resultados nos comunicamos.

A comunicação pressupõe um transmissor e um receptor ao menos. Se expandimos o conceito de ser humano em uma abordagem holística, onde temos corpo físico, mental, espiritual e emocional, nós aprendemos que também existe uma comunicação interior, ou seja, a comunicação consigo mesmo.

Alguns restringem a comunicação entre seres humanos, mas o con­ceito pode ser expandido abrangendo a comunicação com máquinas, ani­mais, plantas, com divindades etc.

A história da humanidade, os conhecimentos, a sabedoria têm sua base na comunicação. Palavras brandas e suaves afastam a ira e palavras cruéis suscitam o ódio.

O maior desafio para o homem deste milênio é harmonizar suas relações e relacionamentos, seja com a família, fornecedores, clientes, alunos amores, amigos, chefes, funcionários, com Deus, com o cosmos, com a natureza etc., e a grande ferramenta para isso é a comunicação. Isso porque somente através da comunicação é que os homens trocam suas experiências. O nível de progresso na sociedade está diretamente ligado com a capacidade maior ou menor da comunicação entre os povos.

Na sociedade moderna o resultado do avanço progressivo da comunicação pode ser acompanhado desde os gestos e grunhidos até a comunicação via satélite. Desde os primórdios, os homens já possuíam uma necessidade de se comunicar em diversas dimensões do ser. Imagine c homem no “momento zero” da humanidade, tinha pouca informação, um cérebro muito limitado, possuía o necessário para garantir sua sobrevivência, comer e procriar.

A comunicação é a resposta a um estímulo. Se o estímulo é ignorado, não há comunicação, ou seja, uma mensagem que não exerce efeito não é comunicação.

O ato de tornar comum não se limita às coisas externas do indivíduo, mas também a ele próprio, suas idéias, vontades, com a alma. Inclui pro­cedimentos por meio dos quais uma mente pode afetar outra mente, não somente de forma falada e escrita, mas através das artes, símbolos, sons, semblante, toque, olfato, visão, paladar.

Acredita-se que o homem primitivo começou a se comunicar com ges­tos e grunhidos, expressava emoções de acordo com a intensidade delas, comunicava-se com seus deuses, comunicava-se com a natureza. Depois vieram as escritas nas rochas, tambores, os sons etc.

Uma das chaves da comunicação é a interpretação. Quando as inter­pretações coincidem, nasce o significado comum, a compreensão. A comu­nicação é efetiva quando interpretada igualmente entre o transmissor e o receptor. A forma como interpretamos as mensagens que nos chegam e que formam imagens em nossa mente chamamos de percepção.

O significado é o produto final da percepção e da interpretação. Toda a reação cognitiva humana, percepção, imaginação, pensamento e racio­nalização são esforços para a significação. A comunicação depende da significação comum dos símbolos entre o transmissor e o receptor e a or­ganização dos pensamentos e o vocabulário são essenciais para que a co­municação se proceda. A mensagem deve ser dominada pelo transmissor.

A linguagem é a comunicação compreensiva de pessoa a pessoa. Os limites da linguagem constituem os limites do conhecimento, ou seja, a aquisição de conhecimentos é a parte integrante da comunicação. O co­nhecimento é comunicável através da linguagem. Linguagem e pensamen­to estão ligados.

 

Roda da Transformação

Todos nós já tivemos decepções na vida e todos nós já vencemos muitos desafios. Quando nos faltam atitudes para enfrentar os desafios que a vida nos coloca, criamos um bloqueio com relação à experiência. Quando tomamos a atitude correta, saímos fortalecidos.

Quando passamos por fases agudas e desafiantes temos, por outro lado, uma grande oportunidade de conhecer melhor como funciona nosso sistema de autodefesa, nossa autoestima, nossos reflexos condicionados limitações, assim como podemos colocar à prova as nossas convicções.

Literalmente, um trauma, no nível físico, é provocado por um ferimento, uma pancada. Emocionalmente, experiências frustrantes podem acarretar bloqueios que podem ser chamados de medo, timidez, culpa, desanimo, sensação de incapacidade, baixa autoestima etc., que fazem com a pessoa viva com as sombras do passado e com insegurança e medo do futuro, que interferem no caminho do coração.

Programações negativas do modelo de criação, experiências negativas do passado, preconceitos, abusos, assaltos, acidentes de carro, separações traições, falsidade etc. contribuem para esses sintomas.

A Roda da Transformação não tem a pretensão de substituir nenhuma terapia especializada e sim fornecer uma ferramenta espiritual, criando “rodas interiores”, que ajudam a neutralizar os efeitos das sensações negativas sobre os acontecimentos do passado, através da meditação ativa que permite criar uma “nova realidade”, criando um ambiente de mudanca baseada no sagrado.

 

Passo-a-passo:

Fique em pé.

Primeiramente pense numa situação em que viveu um acontecimer:: traumático, indesejável, vergonhoso, enfim, onde sentiu sua expressão to­lhida, sua fé pessoal abalada ou menosprezou suas capacidades e talentos

Ao dar foco à situação, visualize uma roda à sua esquerda e entre nela dando um passo para esquerda. Agora vivencie essa situação colocando toda a força da sua memória, com os cinco sentidos, dando vida e trazendo  emoções do passado para o presente, de forma a impregnar esse círculo com essa situação desagradável.

Ao sentir que essa Roda já está impregnada com esse acontecimento, que chamaremos de Roda do Passado, dê um passo para a direita, saindo da Roda.

Como um observador(a), sem entrar na emoção, olhe para a Roda da Esquerda e veja quais recursos te faltaram para sair em equilíbrio da situação, tais como: motivação, determinação, coragem, força de vontade, confiança etc. Escolha inicialmente três principais.

Em seguida, visualize sua Roda da Transformação bem à sua frente. Veja como ela é: colorida, flexível, brilhante, fosca etc.

Separe o primeiro recurso. Relembre em qual situação de sua vida teve a oportunidade de contar com esse recurso e quando tiver clareza entre na Roda da Transformação dando um passo à frente e reviva a experiência com toda a emoção até sentir que a Roda está impregnada com esse primeiro recurso.

Repita o mesmo passo com os outros dois recursos.

Quando estiver com os três recursos impregnados, dê um passo atrás, trazendo consigo sua Roda da Transformação e, imediatamente, dê um pas­so para a esquerda depositando sua Roda no círculo traumático e visualize a situação, só que agora com os três recursos que faltavam. Veja como fica a cena, ao mesmo tempo em que medita na palavra “reprogramando”. Sinta seu corpo, sua mente, a alegria de estar livre de uma programação.

Novamente dando um passo para direita, coloque outra vez sua Roda bem à sua frente. Visualize uma linha imaginaria após a sua Roda que divide o tempo em passado e futuro. Projete a situação lá no seu futuro… como irá reagir agora?

Sente-se e medite sobre a experiência.

 

A Missão da Alma

Quando as metas que traçamos estão em consonância com a missão da alma, o universo conspira a favor. Quando se aproxima o verdadeiro propósito da alma, tudo da natureza interior vem à tona. A pessoa entra em um processo mais rápido de transformação pessoal. Quando convida­mos o amor para despertar poderes mais profundos, trabalhar nos desafios torna-se uma aventura.

No xamanismo treinamos para assumir a responsabilidade final pelas nossas criações. Culpar outros pelas nossas frustrações humilha nosso espírito e nos faz sentir desesperançados e fracos. Nesta era em que vive­mos, buscamos compreender Deus não somente nos grandes mestres, integrando o seu poder em nossas mentes e corações. Isso é uma grande responsabilidade! Assumindo essa responsabilidade pessoal, nos capacitamos a tomar decisões lúcidas sobre o que queremos e desejamos.

Quando perguntamos:

  • Devo mudar de trabalho/carreira?
  • Por que meus relacionamentos não dão certo?
  • Por que não acho a pessoa certa?
  • Qual é a finalidade de minha vida?
  • Por que eu mereci isto?
  • Por que sinto um vazio?

Na verdade, estamos perguntando a nós mesmos qual é a direção ce nossa alma e como podemos unir essa direção à nossa personalidade, ou seja, buscamos harmonizar o nosso caminho com o nosso destino. Cada um de nós tem seus impulsos, sentimentos e necessidades específicas, cada um tem sua direção correspondente para a alma viajar na “Estrada da Vida”, assim como um destino para atingir (toda viagem tem um destino! ) dentro de um determinado tempo de vida.

Nessa jornada nos deparamos com desafios, obstáculos, relacionamentos, provas, família etc., que influenciam na direção da nossa personalidade e que podem nos tirar do verdadeiro caminho que a alma traçou para viajar. Deparamo-nos com bifurcações. Nossos conflitos internos surgem quando a alma se distancia do caminho verdadeiro, nos levando à tristeza, depressão, raiva, impotência, um vazio profundo. Dizemos até a expressão popular “vontade de sumir do mapa”.

Nosso grande desafio é descobrir a estrada da alma na qual a nossa personalidade possa prosperar. A prosperidade é o sinal de uma integração entre a alma e a personalidade. Nossa alma, que conhece o passado sabe o que a vida precisa para continuar o estudo que foi deixado em outras vidas. Nossa alma é a força primordial, por trás de nós, que forja o nosso destino infinito.

Uma missão não é algo que se force a fazer, ou é criada a partir de suas preocupações atuais. É algo profundo que só pode ser descoberto interiormente. Ao descobrir sua missão você pode ter a certeza de que as metas buscadas são suas. Descobrindo a sua missão, e vivendo-a, ela unificará seus interesses, ao mesmo tempo em que se desenvolve. A lição fundamental:

Faça o que gosta de fazer!

Quando as pessoas percebem que sua vida está terminando e olham para trás é fácil ver como muitos sonhos não foram cumpridos. A maioria das pessoas não tinha honrado nem a metade dos seus sonhos e morreu sabendo que era devido às escolhas que fez ou não fez.

A maioria não percebe que felicidade é uma escolha. Fica presa em ve­lhos padrões e hábitos. O chamado “conforto” da familiaridade sobrepôs as emoções das pessoas, assim como suas vidas físicas. Medo da mudança as levaram a fingir para os outros, e para si mesmas, que estavam contentes.

Nossa missão na vida reflete quem somos e orienta nossa maneira de agir no mundo. Aproveite o tempo de plantar da primavera para semear seus sonhos. Nunca é tarde demais enquanto lhe resta tempo para viver. Ela é o propósito que o atrai para o seu futuro, unifica suas crenças, é a noção de quem você é.

Quando você vive sua missão, fica entusiasmado, concentra-se em desenvolver habilidades, busca realizar incansavelmente essa missão com todo o vigor, que cria um poder. E fará isto dia por dia. O descontentamen­to de tanta gente com seu trabalho as leva a uma vida dividida. A missão é um motivo profundo para estarmos vivos. Pergunte a si mesmo se tem um emprego ou está realizando um sonho. Você possui uma combinação única de desejos, interesses, habilidades desenvolvidas, e também vastos talentos por serem desenvolvidos. Descobrindo a missão e vivendo-a ela unificará seus interesses, ao mesmo tempo em que se desenvolve.

Pense quais são os valores mais significativos. Veja você fazendo coisas que goste de fazer. Veja as cenas, guardando as imagens que representam seu propósito e sua missão.

Pergunte a si mesmo: isto representa o que sou?

De que forma, cumprindo minha missão, eu vou ter uma boa vida?

Agora declare a missão: minha missão na vida reflete quem sou, e orienta minha maneira de agir no mundo.

No meu aprendizado a busca de uma declaração, que sintetiza a mis­são, afirma o propósito de vida, traz uma dinâmica, clareza e foco e ajucs a enfrentar os desafios transformando-os numa aventura a ser vivida. É a clareza de que precisamos para tempos melhores.

Acredito que o xamanismo e a PNL oferecem ferramentas suficientes para estimular e inspirar aqueles que buscam enfrentar os desafios da vida a tomada de decisões e as transformações necessárias para a saúde da alma, da mente e do corpo.

Esse meu texto é parte do livro “Ferramentas de PNL”, coordenado Por Deborah Epelman, Suely Cassis e Andréia Roma, professoras de PNL da PAHC  – Sociedade Brasileira de Programação em Auto Conhecimento e Comunicação, editado pela Editora Leader. Trata-se de um livro, onde profissionais da área aboradam ferramentas de PNL para o crescimento pessoal e profissional
Léo Artese