Uso sacramental da Ayahuasca – Centros de Xamanismo

Uso sacramental da Ayahuasca – Centros de Xamanismo

As plantas enteógenas como Ayahuasca são um veiculo para penetrarmos na mente de Gaia. Com toda essa crise ambiental que o planeta atravessa pedem também uma revitalização, uma ressacralização do mundo. Em todas as partes do mundo já estão surgindo os “centros verdes”. As entidades religiosas ayahusqueiras de maior tradição são : Igreja Nativa Americana, Daime, Santo Daime (Linha do Pad. Sebastião); União do Vegetal; Barquinha, Catimbó, Igreja Nativa Americana, Movimento Rastari, Igreja Nativa America do Fogo Sagrado, entre outras.

Transcrevo abaixo parte do triálogo de Ralfh Abrahan, Terence McKenna e Rupert Sheldrake extraído do Livro: Caos, Criatividade e o Retorno do Sagrado, editado pela Cultrix :

Sheldrake : Uma das grandes vantagens emocionais do cientismo para as pessoas é o seu senso de superioridade. Converti-me ao cientismo por volta dos quatorze anos de idade. Mais ou menos como aconteceu com você Ralph, eu olhava para todas as pessoas à minha volta e as via rezando ou parecendo rezar, e imaginava que desde um ponto de vista superior, em face do qual tudo isso era superstição. As pessoas modernas sentem-se superiores à parte da religião que lhes parece infantil e pertencente ao passado. Entretanto, está ocorrendo, em toda nossa volta, um colapso de fé no cientismo; tem-se acentuado uma difundida desilusão pública com relação à ciência.

McKenna: A ciência e a política verde podem ser sacralizadas por meio da experiência psicodélica. A pessoa psicodélica sabe que o cientista que despreza pessoas curvadas em oração é um pobre tolo. Um partido verde que utilizasse uma linguagem mística, uma linguagem psicodélica, uma linguagem de integração com a natureza e com a emoção seria atraente ao extremo. É por isso que Rupert se mostra tão apaixonado pelos cultos da ayahuasca no Brasil, pois, em um novo nível, eles procuram preservar as florestas chuvosas e ajudar o povo dos duendes, mas, em outro nível, eles oferecem uma religião psicodélica que diz respeito à à imaginação, ao coração e à alma do mundo.

Sheldrake: A faixa noroeste da América voltada para o Oceano Pacífico é uma parte do mundo onde se verifica uma tentativa de reintegrar a política verde e os cultos psicodélicos das tradições judaicas e cristãs. Na Europa, muitos pessoas usam cogumelos nativos que contém psilocibina, mas não sei se eles são usados num cenário cerimonial . Na América, os culto do cogumelo desenvolveram-se sob a influência de círculos de peiote e das tradições norte-americanas da Igreja Nativa referente ao uso sacramental das plantas. Não creio que ainda restam na Europa tradições indígenas vivas desse tipo.

O moderno culto da ayahuasca originou-se na Amazônia, quando um cristão (Mestre Irineu) ingeriu essa substância e teve uma visão de Maria, que lhe apareceu como Nossa Senhora da Floresta. Ela estava vestida de verde e revelou o esquema do uso ritual da ayahuasca – que os devotos chamam de daime – como uma comunhão. Tais coisas são reveladas e não inventadas. precisam ser canalizadas. Se um culto do cogumelo tivesse de crescer na Inglaterra, isso precisaria ocorrer espontaneamente, por meio de oração e da orientação visionária.

Centros:

Centro de regeração e fé – A Fundação

A historia da Doutrina começa com o nascimento de Raimundo Irineu Serra, em São Vicente do Ferré no dia 15/12/1892 no Estado do Maranhão. Irineu um negro alto com 2 metros de altura, filho do ex-escravo Sancho Martino e Joana Assunção, o fundador da Doutrina Santo Daime.

Saiba mais http://dev1.wikionline.com.br/Lua/SubLua1185897462It001

Santo Daime – Cefluris

O seringueiro e construtor de canoas Sebastião Mota de Melo, natural de Eurinepé, Amazonas, foi um homem simples de sólida convicção espírita e trabalhador incansável. Discípulo do Mestre Irineu, dele recebeu o dom de trabalhar com o Santo Daime. Reuniu em torno de si centenas de adeptos – não por proselitismo, mas de forma natural, como resultado da amizade e do respeito que ele conquistou, ao atender a todos que o procuravam em busca de um conforto para os males da alma e do corpo. Há cerca de 15 anos retirou-se dos arredores do Rio Branco, Acre, onde havia fundado a comunidade religiosa conhecida como Colônia Cinco Mil, e levou parte de seu povo para uma área virgem no interior da floresta, denominada Rio do Ouro, onde trabalhavam a seringa e construíam casas, desenvolvendo também atividades agrícolas. Dois anos depois fundou o assentamento que se transformaria na atual Vila Céu do Mapiá, no município de Pauini, Amazonas.

A iniciativa cresceu sob sua liderança espiritual e seu exemplo de trabalho. Dirigia pessoalmente mutirões, acolhia pobres, doentes e necessitados. Em 1974 mandou registrar sua entidade, o Centro Eclético de Fluente Luz Universal Raimundo Irineu Serra ( CEFLURIS ), com sede na cidade do Rio Branco, como um centro espírita estruturado sob a forma de sociedade religiosa sem fins lucrativos, responsável pela organização da Doutrina e pela feitura e distribuição da bebida sacramental utilizada nos rituais. O Padrinho Sebastião, como era carinhosamente chamado por seus afilhados, faleceu em 20 de janeiro de 1990 no Rio de Janeiro, vítima de uma insuficiência cardíaca que o fez sofrer nos últimos anos. Além da viúva, senhora Rita Gregório de Melo, deixou aos filhos Padrinho Alfredo e Pad. Waldete, respectivamente, como presidente e vice-presidente da instituição, a responsabilidade pela continuação de sua obra espiritual e da administração comunitária, feita a partir de uma associação de moradores, cuja diretoria é eleita periodicamente por seus sócios. Atualmente a população da comunidade compreende cerca de 1.000 pessoas, entre a vila e pequenas colocações ao longo do Igarapé Mapiá.Com o crescimento espontâneo registrado nas últimas duas décadas e os desafios sociais e institucionais decorrentes, a Doutrina se espalhou por diversas regiões do País e do Mundo. Website: http://www.santodaime.org

União do vegetal

O Centro Espírita Beneficente União do Vegetal, sociedade religiosa sem fins lucrativos, tem por objetivo contribuir para o desenvolvimento humano, com o aprimoramento de suas qualidades intelectuais e suas virtudes morais e espirituais, sem distinção de cor, credo ou nacionalidade. Suas leis situam a cidade de Brasília – Distrito Federal, Brasil – como Sede Geral. A UDV tem como símbolo da paz e da fraternidade humana Luz, Paz e Amor.

Centro – é o espaço onde se reúnem os espíritos encarnados para obter a concentração mental, estado propício ao autoconhecimento.

Espírita – pela crença nos preceitos milenares da reencarnação.

Beneficente – pelos comprovados benefícios prestados aos seus discípulos e à sociedade.

União do Vegetal – por utilizar em seus rituais, para efeito de concentração mental, o chá denominado Hoasca, preparado com a união de dois vegetais, Mariri e Chacrona, comprovadamente inofensivos à saúde.

A missão do Mestre

O uso ritualístico do chá Hoasca entre os povos amazônicos remonta aos períodos anteriores ao descobrimento da América, no século XVI. A UDV foi recriada em 22 de julhode 1961 por José Gabriel da Costa. Aqui, de braços abertos aos seus primeiros discípulos, o Mestre da União dá início à sua missão. Em 10 de fevereiro de 1922. Ao meio-dia, nasceu o Mestre da União do Vegetal, José Gabriel da Costa, na localidade Coração de Maria – município de Feira de Santana, na Bahia. Filho de Manuel Gabriel e Dona Prima Feliciana, viveu até a juventude no seio de sua família, seus pais e mais treze irmãos, que dele dão o testemunho de pessoa simples e de notável correção moral. Ainda jovem, mudou-se para trabalhar na cidade de Salvador, onde viveu por apenas quatro anos. Alistou-se como Soldado da Borracha para colher seringa na floresta amazônica. Chegou a Manaus de navio e de lá partiu para Porto Velho, no antigo território federal de Guaporé (Rondônia), onde trabalhou como enfermeiro em hospital público e conheceu Raimunda Ferreira, dona Pequenina, sua esposa. Depois, mudou-se para os seringais. Próximo à fronteira com a Bolívia, entra em contato com a Hoasca, bebendo ali o Vegetal pelas primeiras vezes.

Ainda nos seringais, ao lado de Dona Pequenina, Mestre Gabriel recriou, a 22 de julho de 1961, a União do Vegetal.

No final de 1965, retornou a Porto Velho, em busca de melhores condições de desenvolver as atividades religiosas da sociedade que recriara, distribuindo o Vegetal inicialmente numa pequena olaria de sua propriedade.

Quando passou a realizar as sessões em sua residência, Mestre Gabriel já se fazia acompanhar de alguns discípulos que viriam depois a constituir-se nos mestres responsáveis pela expansão de sua doutrina por todo o país.

Estraido de siete da União do Vegetal. Mais informações : http://www.udv.org.br/

A Barquinha

Fonte: Wikipédia

A Barquinha foi fundada por Daniel Pereira de Mattos, ex-marinheiro oriundo do Maranhão. Após alguns anos da sua passagem para a vida espiritual, o centro foi oficializado como “Centro Espírita e Culto de Oração Casa de Jesus Fonte de Luz”. Com o tempo foram se abrindo outros centros que seguem a Doutrina.

Funcionando desde 1945, em Rio Branco, Acre, é uma organizacao religiosa cristã, que sincretiza práticas religiosas africanas, indígenas e européias.A história da Barquinha está ligada ao líder religioso do CICLU (Centro de Iluminação Cristã Luz Universal) Raimundo Irineu Serra – também sistematizador da doutrina daimista. Em 1936, Daniel, acometido de uma enfermidade no fígado, foi fazer um tratamento espiritual através do daime com o Mestre Irineu.Após uma visão, Daniel começou os trabalhos espirituais com o uso do Daime em um seringal, por nome de Santa Cecília. Neste espaço, começou o seu trabalho de atendimentos, por ele designados de Obras de Caridade.

Mestre Daniel tinha, segundo depoimentos, uma relação muito próxima com o mar.

Wladymir Sena Araújo, em A Barquinha: Uma cosmologia amazônica em construção, fala sobre o significado místico da barca:

“para os seus integrantes tem dois significados: o primeiro é o de que a mesma (a barca) representa a própria missão deixada por Daniel e a segunda expressa a viagem de cada um. Esta barca é a viagem de suas vidas, em resumo, uma viagem dentro da grande viagem. Ela tem como característica principal realizar uma grande travessia. A barca tenta sobretudo atravessar uma grande tempestade. Os homens que nela viajam estão na barca de Deus. Ele é portanto o seu proprietário de direito. Para que a barca não afunde é necessário “trabalhar”, procurando evitar que a Barquinha desapareça mar a dentro. Esses trabalhadores vivem em função de seu proprietário e o trabalho é uma dívida que os praticantes tem com ele.”

Igreja nativa americana – Native American Church

Seu fundador foi Quanah Parker, um chefe Comanche que estudou o peyote no México no 1880s, como a medicina para curar doenças e ferimentos sérios. Na época de sua morte em 1911, o peyote era usado por diversos tribos, que integravam elementos do cristianismo e dos nativos. Gradualmente o uso ceremonial do peyote espalhou para outras tribos.

O estabelecimento formal de igrejas veio principalmente em resposta às controvérsias sobre o uso do cacto, que ameaçavam criminalizar o seu uso. Os indios defenderam bravamente a liberdade religiosa em seus estados respectivos e no congresso. Consideravam o Peyote como uma medicina holística e um sacramento cristão como “uma parcela do corpo de Cristo”.

A igreja americana nativa representa uma fusão do cristianismo, invocações de Jesus, leituras da Bíblia, uso de crucifixos com as religiões do peyote . Primeiramente em Oklahoma e mais tarde em outra nativas americanas tradicionais. As contrapartes nativas do ritual que a igreja nativo americana usa é semelhante aos rituais mexicanos do peiote; o fumo sacramental envolvido na palha do milho, penas, tambor d’agua, chocalho, incensos, fogo central (fogo transversal na forma de meia lua), artefatos sagrados, a ênfase nas quatro direções. Estima-se que a Native American Church – NAC conta com aproximadamente 250.000 participantes.

Website : http://www.nativeamericanchurch.com/

Igreja nativa do fogo sagrado de Itzachilatlan

Fundada por Aurélio Dias Tekpankalli.aA Igreja do Fogo Sagrado, tem representações nos países EUA, Canadá, México, Nicarágua, Peru e Equador, além do Brasil.Cerimônias do Caminho Vermelho http://www.fogosagradodobrasil.com.br

Catimbó

fonte:Wikipédia

O Catimbó baseia-se no culto em torno da planta Jurema. Não há dúvida que o Catimbó é xamanista com muita práticas de pajelança, mas é baseado em Mestres, apesar de os Caboclos também participarem. O Catimbó não é muito diferente ou melhor do que esses cultos, e não se pode dizer que suas entidades sejam de nível superior; pelo contrário, sob o ponto de vista espírita-kardecista, são entidades de baixa energia e que guardam muitas referências com a última vida que tiveram em “terra fria”. .

O Catimbó é uma reunião alegre e festiva quando em sua forma de roda (ou gira), mas, pela falta da corrente doutrinária formal vários formatos serão encontrados, dependendo da “ciência”, vidência, maturidade e ética de quem o dirige e realiza, podendo haver práticas bem soturnas.Cultua ervas, símbolos e santos católicos, mas se tivermos que caracterizar qual é o principal objeto de culto não ha dúvida que são as ervas. O Catimbó tem como principal elemento a árvore da Jurema e todos os Mestres tem um erva de fundamento.

A jurema é uma árvore que floresce no agreste e na caatinga nordestina. Da casca de seu tronco e de suas raízes faz-se uma bebida mágico sagrada que alimenta e dá força aos “ encantados do outro mundo” . Acredita-se também que é essa bebida que permite aos homens entrar em contato com o mundo espiritual e os seres que lá residem, mas o Catimbó existe sem que seja necessário fazer ou beber a Jurema, Catimbó não é Santo Daime. Tal árvore é símbolo e núcleo de várias práticas mágico-religiosas de origem ameríndia. De fato, entre os diversos povos indígenas que habitaram o Nordeste, se fazia e em alguns deles ainda se faz o uso ritual desta bebida.

Este culto se difundiu dos sertões e agrestes nordestinos em direção às grandes cidades do litoral, onde elementos das outras matrizes étnicas entraram em cena. Desse modo, o símbolo da árvore que liga o mundo terreno ao além, embora amarga (muito amarga…), dá sapiência aos que dela se alimentam, ganha novos significados, surgindo um mito com traços cristãos. Neste sentido a Jurema surge como a árvore que escondeu a “ sagrada família” dos soldados de Herodes, durante a fuga para o Egito, ganhando desde então suas propriedades mágico religiosas.

Mais informações : http://www.catimbo.com.br/

Takiwasi

Centro em Tarapoto, no Peru dirigido há anos pelo médico frances Jaques Mabit, especializado na cura e reabilitação de pacientes dependentes de drogas e outras doenças como câncer, aids e etc.Atualmente recebe pessoas do mundo inteiro, e a base do trabalho é a ingestão da ayauasca. O centro chama-se Centro de Rehabilitacion de Toxicomanos y de Investigacion de las Medicinas Tradicionales ” Takiwasi “. É formado da união de médicos, cientistas e curadores nativos. Website: http://www.takiwasi.com/

Movimento Rastafari

Apresenta impottantes traços de práticas xamânicas : uso de um sacramento vegetal (Ganja),busca da experiência mística / transcendental, tambores, musica.

Surgiu com a coroação do imperador da Etiópia Hailé Selassié, em 1930. Através da musica popular jamaicana, o reggae, ganhou conhecimento internacional na década de 70 e fez seguidores no mundo inteiro.

O rastafari é conhecido por suas enormes tranças de cabelo (dreads), alimentação vegetariana, sacralização da ganja, gestos vagorosos, olhar sereno e bom humor. Pró-cristãos, seguem os ensinamentos da Bíblia. A bebida alcoólica é evitada, bem como, além da carne, ovos, queijos e massa branca. Plantar o que se come é o ideal para eles (deveria ser para todos nós!). A alimentação rasta é comumente chamada de Ital, termo oriundo de natural e vital.

Os dreads (cabelos trançados) surgiram por voltas de 1935, inspiradas em fotos de guerreiros massais e somalis da Africa Oriental. A idéia correntre de que as tranças são sujas, nunca lavadas, não é verdadeira. Uma espécie de touca de lã tecidas nas cores etíopes, a tam, as guarnece do sol e vento.

Fumar a ganja é um sacramento, comparável a hóstia ou ao incenso na igreja cristã. Citam o Gênesis, 1 29 :

“Deus disse: Eis que vos dou toda a erva de semente que existe sobre toda a face da Terra, e toda a árvore que produz fruto com semente, para vos servires de alimento.

Sob o efeito da ganja, os rastas dizem manter íntima relação com divindades, unidade com o mundo e raciocínio lógico. É consagrada durante meditações , cânticos e orações. Na forma de chá, é utilizada para relaxar crianças pequenas que choram muito ou se mostram tensas. Inúmeros pratos da cozinha rasta fazem uso da erva, também usada contra males do corpo como infecções, febres e dores de cabeça.

Bob Marley, levou, através da sua música, a realidade jamaicana e os rastafaris, às primeiras páginas de todos os jornais do mundo.Está gravada na história da Jamaica a imagem do primeiro-ministro branco, Edward Seaga, unificando os brados de Jah Rastafari no funeral de Bob Marley. A música é o maior veículo de pregação e reivindicação social. São intrinsicamente ligados à musica. Em Salmos 18, 50 lê-se:

“Por isso, Senhor, te darei graças entre as nações, entoando hinos a teu nome.

A base de tudo são os tambores burru, tradição ritmica africana difundida nos tempos de escravidão e adotada pelos rstas como nyahbinhi drums Eles cantam e louvam a JAH= DEUS, com tambores e o sacramento vegetal na mão.

Segundo Ras Kadu, musico, vocalista, integrante da Banda Jah I Ras :

” Só duas coisas q acho importante corrigir, é que os Dreads não surgiram em 1935 e sim a milenios atrás. Na verdade quando se assume a vivencia RASTA é feito o voto Nazireu discrito na Biblia em Levitico 21 (Livros de Moisés) onde abandonamos as bebidas alcoolicas, consumo de carnes, o corte de cabelo e qualquer tipo de agressão ao corpo humano, tais como tatuagens, amputamento de algum membro, etc…

Talvez o adepto mais conhecido dessa antiga disciplina que temos informação seja Sansão, que como sabemos era Nazireu e desde de seu nascimento nunca havia cortado o cabelo, as escrituras inclusive narra que ele tinha “SETE TRANÇAS” que para nós é claro que são Sete Dreads imensos…..

Outro ponto importante é que a vivencia RASTAFARI é afirmada por nós como a cultura mais antiga da Terra, atraves da historia sabemos que os povos do mundo inteiro migraram na verdade do primeiro continente habitado por seres humanos de carne e osso, mas precisamente da ETHIOPIA.

Afirmo inclusive que o xamanismo rastafari é uma vertente das praticas e vivencias dos Anciões Africanos Etiopes e isso se comprova cientificamente e historicamente por dados e pesquisas dos antropologos.

(Entende-se “Apresenta importantes traços de práticas xamânicas : uso de um sacramento vegetal (Ganja),busca da experiência mística / transcendental, tambores, musica”)

A Etiopia guarda grandes segredos, entre eles o maior tesouro desse pais, que é a herança da humanidade, encontra-se dentro das montanhas de Askum, onde a cerca de 1.500 anos atras Salomão confiou na mão da Rainha de Sabá (ou Rainha do Sul) a guarda da ARCA DO PACTO DE JEOVA, talvez o objeto de maior importancia Biblica.

NA verdade esse encontro entre o Rei Salomão e a RAinha de Sabá gerou um descendente chamado Menelik, esse descendente de Salomão firmou uma dinastia de REIS honrada, fundamentada no DEUS UNICO, JEOVÁ (JAHOVAH) daí o nome JAH, vale lembrar que nessa epoca praticamente tdos povos africanos eram politeistas. MAs o fato mais intrigante dessa história é que na Afrika existe um livro chamado “KEBRA NEGAST” que tem tanta importancia quanto a Biblia para o povo Etiope, esse livro narra a historia dos Reis, e nele contem uma profecia maxima, que diz: “Quando o 225º Rei da Dinastia de Menelik fosse coroado Rei a redenção estaria proxima”

Esse Rei foi RASTAFARI MAKONNEN (Dai o Rastafari) coroado no 2 de Novembro de 1930, e honrado com o Titulo de HAILE SELASSIE I que significa “O PODER DA SANTISSIMA TRINDADE”

Selassie I restaurou a força, e junto com ele coroou toda humanidade.

Sobre os tambores, NYAHBINGHI quer dizer batida do coração, termo usado tambem no toque xamanico, me informaram os anciões da vivencia que existem dois sons primordiais na nossa existencia, a batida do coração e o sopro da respiração, sentidos e escutados quando ainda estavamos na barriga de nossa mãe.

Leozão espero ter ajudado, esses pontos são bem importantes, é a raiz da nossa historia, a raiz de Davi e Salomão, a raiz RASTAFARI. A Tribo RASTAFARI agradece a força!!!!!!!Se precisar de qualquer coisa estamos ai !

Mais informações:

www.ganjahzumba.hpg.ig.com.br
http://www.reggaevale.com.br/rastafari.htm

ENTRE EM CONTATO

Envie um e-mail para a equipe do Site


©Desenvolvido por Agência Rumi

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?