Sexta lunação

Esta lua traz a dádiva das habilidades de cura se aprender a desenvolve-la. Para adquirir habilidades em qualquer área que queira trabalhar, aprender sobre a própria beleza , dos outros e do meio ambiente.

Esta Lua ensina sobre as próprias habilidades, a serem mais sensitivo, mais veloz, e apreciar a beleza em todas as suas formas. Revela forças e as fraquezas que vem da energia vital.

O texto abaixo é do Livro de Mirella Faur, publicado sob sua autorização : O Anuário da Grande Mãe – Gaia. Além desse a autora tem os livros publicados: “O legado da Deusa. Ritos de passagem para mulheres.” Ed. Rosa dos Tempos R.J. e “Mistérios Nórdicos. Deuses. Runas. Magias. Rituais.” Ed. Pensamento S.P. O seu blog: http://sitioremanso.multiply.com/

Plenilúnio em Sagitário

Sol em Gêmeos

Conceito da Polaridade Astrológica

Sagitário e um signo de fogo; seu impulso dominante e direcionado para a liberdade física, mental, emocional e espiritual, transpondo barreiras e limites, buscando a expansão. Gêmeos e um signo de ar, inquieto e curioso, que busca os conhecimentos intelectuais e as mudanças profissionais, afetivas e existenciais, enfatizando a diversidade e a mutabilidade. A combinação desses dois signos móveis possibilita um direcionamento das energias físicas ou mentais, sem dispersar ou desviar o foco. O próprio símbolo de Sagitário exemplifica a busca de um alvo, com concentração e objetividade, sem se deixar perturbar pela dualidade e superficialidade geminiana. A deusa Ártemis/Diana nos mostra o exemplo de suas Arqueiras Celestes e nos traz o apoio de suas Ninfas da floresta.

Elementos Ritualísticos

Velas púrpuras ou laranjas, tochas ou fogueiras (pela proximidade do Sabbat Litha).

Galhos e folhas de mangueira, castanheira, figueira ou cedro, flores de lírio da cachoeira, colônia, dália ou madressilva, sementes de anis estrelado ou cumaru, musgo, pedaços de estanho.

Incenso de sândalo, vetiver, sálvia ou balsamo, essência de cravo, híssopo, açafrão ou gengibre.

Cristais ou pedras polidas de topázio, turmalina, fluorita, malaquita, turquesa.

Roupas esportivas, botas, bastão mágico, a imagem de um alvo, a representação de uma flecha, imagens ou reproduções de animais totêmicos (cavalo, lobo, alce, cervo, antílope, jaguar, faisão, falcão, grifo). Musicas indígenas ou a Cavalgada das Valquírias e a Nona Sinfonia. Comemoração com comida grega e vinho.

Divindades

Os deuses regentes da comunicação sao Hermes/Mercúrio, Thoth, Odin, Ogma, Ganesha, Nuada, Apolo e Taliesin.

As deusas sao Epona, Rhiannon, Etain e Macha e as regentes da natureza selvagem como Artemis/Diana, Artio, as Amazonas e as Valquírias, as Driades, Rauni, Saule e Zemina. Os Anjos associados sao Tzaphkiel e Mikael.

Os Orixás correspondentes sao Xangô, Oya, Yori, Iroko.

Rituais

Para a complementação das polaridades e integração da dualidade (casamento interior, harmonizando os opostos); direcionamento da energia física e mental para um determinado objetivo; viagens xamânicas para encontrar seus animais de poder e contatar a Amazona interior; homenagens e conexão com as Deusas das florestas e dos animais, reconhecendo e equilibrando seu lado instintivo e a necessidade da liberdade interior e exterior; jornadas xamânicas, “busca da visão”, oferendas para os Seres da Natureza, praticas de centramento e equilíbrio.

Mentalização

“Abro-me para novos conhecimentos e abandono minha inquietação e dispersão.”

A matriarca da sexta lunação

E “A Contadora de Historias” que, por meio de seus contos, ensina o relacionamento correto com nossos irmãos de criação, como usar o humor para afastar os medos, como equilibrar o sagrado e o profano e preservar a tradição oral de nossos ancestrais.

ENTRE EM CONTATO

Envie um e-mail para a equipe do Site




©Desenvolvido por Agência Rumi

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?