Roda da Fortuna

Parte da Fortuna

Debora Camacho http://portodoceu.terra.com.br/estudo/parte-fortuna.asp

Começando por Manilius (Astronomicon), anterior a Ptolomeu, temos as 12 sortes,12 chances,12 pontos sensíveis (denominados “partes” ou “lotes”) que dividiam a eclíptica à partir da Parte da Fortuna. Esse sistema, que portanto tinha a Fortuna como “ascendente” funcionava como um apoio para aprofundar questões específicas do mapa natal. Firmicus Maternus (Mathesis) também fala em doze partes mas seu conteúdo difere de Manilius.

A Parte da Fortuna era de tal importância que estava incluída nos cinco significadores originais das Direções Primárias (que têm em Ptolomeu sua origem) juntamente com o Sol, a Lua, o Ascendente e o Meio-do-Céu.

Ainda em Ptolomeu temos que o cálculo da Fortuna se dava “na ordem dos signos, à partir da distância da Lua ao Sol, levando essa distância ao Ascendente. Desse modo temos que a relação do Sol com o Ascendente corresponderá a relação da Lua com a Parte da Fortuna, sendo pois esta como o Ascendente da Lua”. E continua: “Esta mesma razão parece explicar o porquê de considerar no caso de um nascimento noturno, a distância da Lua ao Sol e marcar esta distância, à partir do Ascendente, no sentido contrário ao Zodíaco”.

Na Astrologia contemporânea porém, não há mais distinção entre as Partes diurna e noturna, portanto para qualquer horário de nascimento, a equação é:

Parte da Fortuna Diurna= Ascendente + Lua – Sol

É interessante observar também que, sendo o arco de afastamento da Lua em relação ao Sol o mesmo da Lua em relação ao Ascendente, temos que quem nasce na Lua Nova terá a Parte da Fortuna próxima ao Ascendente e quem nasce na Lua Cheia a terá próxima ao Descendente.

O significado da Parte da Fortuna varia. Em Ptolomeu ela é textualmente um ponto de riqueza, prosperidade material e financeira. O planeta conjunto à Fortuna dava indicações de como o indivíduo conquistaria a fortuna. Por exemplo, com Marte, através do comando militar e armado. Com a Vênus, através do dote da esposa. Com Mercúrio, através das ciências e das viagens. Na Astrologia Eletiva com base na Horária, a parte da Fortuna era tão benéfica que, por exemplo, se o significador da questão estivesse em más condições, devera-se ligá-lo ao Ascendente, Meio-do-Céu ou Fortuna em bom aspecto. Assim, era possível melhorar as condições do planeta.

Entretanto, em Morin, a Parte da Fortuna não era obrigatóriamente um ponto de boa fortuna, podendo até mesmo ser nociva, de acordo com as condições do planeta regente do signo no qual se encontrava. Ele também se detinha na casa onde estava localizada, estando pois a Parte da Fortuna em acordo com os significados essenciais da casa, sem fazer nenhuma menção à Fortuna como significador de riqueza ou fortuna material.

Na definição de Dane Rudhyar “é o ponto focal da expressão do poder gerado pelo relacionamento Sol/Lua. Esse poder se manifesta de várias maneiras: sexo, amor, magnetismo sexual, saúde radiante…Capacidade individual para a felicidade e a natureza especial dessa felicidade”.

Elói Dumón também nos chama a atenção para o posicionamento da Fortuna por casa: “…nela o indivíduo deseja encontrar sua realização, mesmo que diga o contrário. Motivação emocional e instintiva da pessoa. Mostra o motivo fundamental que determina sua conduta externa. Indica a natureza do mundo interno e sua forma de realização.

O regente do signo da Parte da Fortuna mostra o primeiro desejo ou impulso interno onde a pessoa buscará a realização. Seu êxito dependerá das condições do seu regente”.

Para alguns astrólogos, os resultados mais interessantes do trabalho com a Parte da Fortuna aparecem na sua utilização nas técnicas de previsão (Trânsitos, Revolução Solar, Progressões). Na Progressão ela funciona como um deflagrador dos acontecimentos, do mesmo modo que a Lua progredida sendo, portanto, uma valiosa ferramenta para Retificação da Hora do nascimento. Na Revolução Solar devemos observar a casa onde se encontra bem como aquela à qual se sobrepôe no mapa natal, pois seguramente, naquelas áreas aparecerão algumas das questões daquele ano. Já os Trânsitos sobre a Fortuna natal nos revelam que algo do simbolismo do planeta será vivido naquele momento (ainda que de forma mais branda que o trânsito sobre um ângulo ou sobre um outro planeta). No Mapa Diário também devemos estar atentos para a sua localização e aspectos. Alexander Ruperti apresenta em seu livro Les Multiples Visages de La Lune um trabalho sobre a Parte da Fortuna usada na montagem do que chamou de “cruz secundária” e que envolve também o Meio-do-Céu.

Uma outra maneira de compreendermos o significado da Parte da Fortuna é pensarmos que se levarmos a Lua à posição da Fortuna teremos o Sol no Ascendente. Isto nos sugere uma idéia de “operação emocional”, um processo quase alquímico de iniciativa lunar para alcançarmos a fortuna (aqui entendida como destino, fado). É como se pudéssemos estar mais próximos da oportunidade (ou chance segundo Manilius).

Na verdade é questionável se a Parte da Fortuna é de fato um ponto onde nos é prometida a bem-aventurança independentemente de nossa atuação como pode parecer numa primeira leitura mais superficial. Parece que a questão que se impõe é a do significado que nós ocidentais comumente damos à palavra fortuna.

Concluindo, não há dúvida de que a Parte da Fortuna, por conter no seu simbolismo o Sol, a Lua e o Ascendente, não pode ser deixada de lado. Segundo Robert Zoller “o fato de Morin incluir esta referência em sua obra…ele que atacava abertamente as doutrinas que considerava erradas, rejeitando-as em sua prática…se a Parte da Fortuna sobreviveu ao seu bisturi, esta é uma indicação da sua importância”.

Um dos aspectos mais fascinantes da Astrologia, bem como o mais mistificante, é a Roda da Fortuna. Ela harmoniza o indivíduo ao meio ambiente no qual será mais natural ser bem sucedido, e define para cada indivíduo onde será o seu conceito único e particular de sucesso!.

Os 3 pilares energéticos de sucesso

Qual é a sua posição diante do Universo? Está colhendo os frutos que plantou no passado ou semeando na vida presente? Quais os fatores que ativam a Roda da Fortuna ?

Você gera um portal energético ou um triângulo das Bermudas?

Revelando a sua Roda da Fortuna (análise no mapa natal do posicionamento da Roda da Fortuna e seu significado)

Construindo o caminho do sucesso

Roda da Fortuna

O nome ‘Roda da Fortuna’ evoca sorte. A Parte da Fortuna é um arcano do Tarô ligado ao senso de oportunidade e às mudanças. A posição da Parte da Fortuna no mapa está intimamente ligada as fases da Lua:

Nascidos no início da Lua nova – Parte da Fortuna na casa um (ou Ascendente)
Nascidos no início da Lua crescente – Parte da Fortuna na quarta casa (ou Fundo do Céu)
Nascidos no início da Lua cheia – Parte da Fortuna na sétima casa (ou Descendente)
Nascidos no início da Lua minguante – Parte da Fortuna na décima casa (ou Meio do Céu)

A Parte da Fortuna indica um ponto onde você encontrará realização pessoal se investir no assunto daquela casa e signo em que ela está.

Assim, fica claro que os indivíduos da Lua nova devem buscar a realização pessoal, entenderem a si mesmos. Que os indivíduos da Lua crescente devem buscar o entendimento com a sua família e origens. Que os indivíduos da Lua cheia precisam aprender a se relacionar e a entender o outro. E que os indivíduos da Lua minguante precisam deixar sua contribuição impessoal ao mundo, fazendo algo significativo.

Porém, há posições intermediárias, que é quando uma pessoa não nasce no primeiro dia da mudança lunar.

Para que serve o seu conhecimento da Parte da Fortuna? Para você se dirigir para aquele assunto e saber que encontrará grande realização se dedicar-se a ele. A ‘sorte’ da Roda da Fortuna (que também é chamada de ‘Parte da Fortuna’, por ser uma das partes árabes) não está tão ligada a bens materiais quanto a uma sensação interior. Por exemplo, você nunca considerou uma ‘sorte’ conhecer alguém? Materialmente, você não ganhou nada ao conhecer uma pessoa, mas por dentro sim, e é disso que fala a Parte da Fortuna.

Por sintetizar o Ascendente (seu corpo físico e sua maneira de se externar), o Sol (sua vontade, sua vitalidade) e a Lua (sua intuição e emoções), a Parte da Fortuna mostra um assunto que, se você se desenvolver nele e se apropriar de seus atributos encontrará certo equilíbrio, algo difícil de explicar, mas que será altamente significativo para você.

A casa onde se encontra a Roda da Fortuna indica o campo de experiência que está favorecido e que deve ser desenvolvido e, o signo, a maneira de fazê-lo. Assim, se sua Parte da Fortuna está na primeira casa em Peixes, você deve buscar o entendimento de si mesmo(casa um), mas de uma maneira pisciana, através da inspiração, imaginação e flexibilidade.

Roda da Fortuna

O nome ‘Roda da Fortuna’ evoca sorte. A Parte da Fortuna é um arcano do Tarô ligado ao senso de oportunidade e às mudanças. No mapa astral, a Parte da Fortuna é a soma do grau Ascendente com o grau da Lua menos o grau do Sol. É, portanto, um ponto ‘abstrato’. Não tão compreensível quanto a energia de um planeta, por exemplo. A Parte da Fortuna significa a soma entre a sua atuação no mundo (Ascendente), seu passado, suas emoções e suas necessidades (Lua), e tudo isto em equilíbrio com a sua vontade e missão (Sol). Ela sintetizaria tudo o que seria importante para você, portanto.

Exemplo de cálculo da Parte da Fortuna Ascendente: 8 Peixes ou 11 signos + 8 graus Lua: 20 Touro ou 1 signo + 20 graus Sol: 5 Touro ou 1 signos + 5 graus Subtraia a posição do Sol da posição da Lua e some com o resultado com o grau do Ascendente = 20 – 5 = 15 + 8

Parte da Fortuna: 23 graus de Peixes

A posição da Parte da Fortuna no mapa está intimamente ligada as fases da Lua:

Nascidos no início da Lua nova – Parte da Fortuna na casa um (ou Ascendente) Nascidos no início da Lua crescente – Parte da Fortuna na quarta casa (ou Fundo do Céu) Nascidos no início da Lua cheia – Parte da Fortuna na sétima casa (ou Descendente) Nascidos no início da Lua minguante – Parte da Fortuna na décima casa (ou Meio do Céu) A Parte da Fortuna indica um ponto onde você encontrará realização pessoal se investir no assunto daquela casa e signo em que ela está. Assim, fica claro que os indivíduos da Lua nova devem buscar a realização pessoal, entenderem a si mesmos. Que os indivíduos da Lua crescente devem buscar o entendimento com a sua família e origens. Que os indivíduos da Lua cheia precisam aprender a se relacionar e a entender o outro. E que os indivíduos da Lua minguante precisam deixar sua contribuição impessoal ao mundo, fazendo algo significativo. Porém, há posições intermediárias, que é quando uma pessoa não nasce no primeiro dia da mudança lunar. Para que serve o seu conhecimento da Parte da Fortuna? Para você se dirigir para aquele assunto e saber que encontrará grande realização se se dedicar a ele. A ‘sorte’ da Roda da Fortuna (que também é chamada de ‘Parte da Fortuna’, por ser uma das partes árabes) não está tão ligada a bens materiais quanto a uma sensação interior. Por exemplo, você nunca considerou uma ‘sorte’ conhecer alguém? Materialmente, você não ganhou nada ao conhecer uma pessoa, mas por dentro sim, e é disso que fala a Parte da Fortuna. Por sintetizar o Ascendente (seu corpo físico e sua maneira de se externar), o Sol (sua vontade, sua vitalidade) e a Lua (sua intuição e emoções) a Parte da Fortuna mostra um assunto que, se você persistir, encontrará certo equilíbrio, algo difícil de explicar, mas que será altamente significativo para você.

Na primeira coluna você tem o campo de experiência que deve ser buscado e, na segunda coluna, a maneira de fazê-lo. Assim, se sua Parte da Fortuna está na primeira casa em Peixes, você deve buscar o entendimento de si (casa um) mesmo, mas de uma maneira pisciana, através da inspiração, imaginação e flexibilidade.

ENTRE EM CONTATO

Envie um e-mail para a equipe do Site


©Desenvolvido por Agência Rumi

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?