Rádio Cipó | Tocando agora:
comprar cd

Primavera – A ativação e o retorno da Luz – Ciclos da Lua

Primavera – A ativação

Primavera – O Retorno da luz – Portal da ILUMINAÇÃO

Ciclos da Lua
primavera-retorno-da-luz

Léo Artése

A força da noite e do dia tornam-se iguais. A Terra renova seu ciclo de nascimento e ressurreição. As plantas enterradas no solo durante o longo inverno, levantam suas cabeças, as folhas aparecem nas árvores, o zumbido dos insetos enche o ar e as cores vivas das flores primaveris dominam a paisagem. É o tempo de recomeçar, de plantar sementes em nossos jardins, e sementes para o nosso processo de crescimento durante o novo ciclo.

O alvorecer da manhã da primavera, 6:00 h, é a hora do Espírito Guardião da Direção Leste honrar o Sol, celebrando o Equinócio de Primavera. Na primavera, a vegetação nasce e começa a crescer. A primeira manifestação da energia vital é o brotar das folhas, reconhecíveis por sua cor verde.

É um momento de prosperidade, de crescimento. É uma estação excelente para melhorar as comunicações, interações de grupo, fertilidade e abundância.

Agradecemos os presentes, alegrias e as lições do inverno e das estações futuras. E, aqui agora agradeceremos todas as coisas boas que a primavera nos traz, os grandes presentes, que é a nossa vida.

Celebramos a Mãe-Terra e a Dança das Estações, honrando os espíritos da natureza e abençoando as sementes. Reinventamos cerimônias dos povos dos ciclos agrícolas, que foram parte de nossa vida espiritual. Estabelecemos um campo sagrado para nós e nossos ancestrais. As crianças que representam as sementes do futuro e estarão sempre presentes com sua alegria e vivacidade.

Ney Ching, no Livro de Ouro da Medicina Chinesa, ensina que os três meses de primavera, é o período do princípio e do desenvolvimento da vida.Durante esse período, o corpo deve ser encorajado a viver e não a ser morto. Devemos ceder-lhe livremente e não lhe tirar nada, devemos recompensá-lo e não castigado. Tudo isto está em harmonia com a exalação da primavera, e tudo isto é um método de proteção da nossa vida.

No IChing a primavera se corresponde com o hexagrama 11 Tai – Paz : indica uma época em que o céu parece estar na terra. O céu colocou-se sob a terra, e assim os dois princípios unem seus poderes em profunda harmonia. Essa união traz paz e bênção a todos os seres

Céu e terra unem-se: a imagem da PAZ. Assim, o governante divide e completa o curso do céu e da terra, favorece e regula os dons do céu e da terra e desta forma ajuda ao povo.

A energia da primavera impulsiona a encontrar a verdade da vida e libertar-nos de ilusões que dificultam nosso renascimento, traz a claridade para se trabalhar coisas materiais. O poder da Primavera é o de novos começos. Traz a época de novos crescimentos para todas as criaturas da terra. É a luz que vem após cada escuridão.

O Sabat do Equinócio da Primavera, no Hemisfério Norte, originou a Páscoa, a ressureição. Nos rituais celtas antigos, essa festa determinava a gravidez da Deusa e usavam como símbolos a lebre e os ovos representando a fertilidade da Grande Mãe.

A Primavera nos ajuda a saber que cada momento pode ser um novo começo. Os presentes são os da espontaneidade, admiração, inquisitividade e da verdade..

Voamos no Céu da consciência, da criatividade, da imaginação. Inspirados na transformação da Primavera, que prepara a Terra para o Crescimento do Verão, para o crescimento da Luz.

Mas, para nascer o novo, examinamos nosso jeito de ser, aquilo que aprendemos na vida e, com os olhos da Águia, voar acima dos preconceitos, das regras e escolher, do alto da nossa consciência, aquilo que nos serve e que nos eleva, e aquilo que queremos deixar cair.

No Caminho da Iluminação, do Leste, que é associado á Primavera, voamos para perceber que nossas vidas tem um propósito, que estamos aqui por uma razão que ainda não compreendemos inteiramente. Nos temos a clareza de que não podemos nos desconectar de nossa origem divina, do Poder Original, que criou o Universo.

Fazer a caridade, trabalhar no voluntariado, plantar arvores. Viver de forma ecologicamente sustentável, nos liga à Fonte Divina, nos harmoniza com um propósito espiritual, além da nossa própria compreensão. Comer de forma sustentável gerando mais saúde, menos sofrimento animal, menos destruição de florestas são fatores para a reflexão da luz que chega na primavera.

É momento de aprender a olhar nossos desafios como oportunidades de crescimento pessoal, ampliar a nossa força interior, a nossa fé, e a nossa criatividade. É reconhecer que somos seres espirituais, ativando essa energia vital aqui na matéria.

Neste momento em que a força de vida, a Terra e a Natureza aparecem, ficamos motivados para fazer nossa vida mover, depois das limitações do inverno.

Segundo a Direção Leste da Roda Medicinal dos nativos norte-americanos a primavera abre o Portal da Iluminação. Associado ao Poder do Leste está a “Águia Dourada” . O pássaro que voa mais alto, mais próximo do Céu. O Céu para o nativo é o Reino do Espírito. A águia voa acima das nuvens negras da ignorância. É no Leste o Lugar de Iluminação, do Corpo Espiritual. É a habilidade de enxergar longe, adiante, em outros mundos.

É no Leste que nasce o Pai Sol, que é o símbolo da Divindade ou da espiritualidade.É a habilidade para ver a nossa essência, ou o espírito das coisas. No leste compreendemos melhor a natureza espiritual das coisas. É o período da primavera, do renascimento.

Somos convidados, no Leste, para examinarmos nosso modo pessoal de ser, e nos decidirmos por qual sistema de crenças que nos serve. O principal poder do Leste é o de tomar decisões, usar o lívre-arbítrio. Tomando decisões mudamos a nossa vida, dirigimos a nossa vida. Decidimos de que forma vamos usar as nossas energias.

Através do masculino elevado nas asas da Águia Dourada, é o período propício para encontrar a verdade da vida e libertar aquilo que não nos pertence, daquilo que não é para nós, indo em busca de que verdadeiramente queremos., ver a vida com outros olhos, abrir a fonte da criatividade e da imaginação. Quando determinamos com o espírito as decisões têm equilibrio e harmonia.

A excelência espiritual se expressa através das virtudes. Para trilhar no Caminho Sagrado é preciso determinar nossas atitudes com o espírito, através da intenção clara, princípios éticos em todas as atividades e ambientes

Voamos nas asas da Águia Dourada no universo de beleza e de conhecimento, da criatividade e da claridade, buscando novos horizontes, novas atitudes, novos interesses, nova vida.

O Fogo Sagrado queimar-se-á como os tambores ecoam os ritmos da vida e os dançarinos meditam nas faíscas que voam no céu escurecido. Neste momento trabalharemos os dois poderes do Fogo: o da destruição (daquilo que queremos destruir em nossas atitudes, em nossa vida) e da elevação, da transformação ( nossos pedidos e intenções através da fumaça).

A Primavera é a estação do nascer do Sol e traz o milagre do novo nascimento. Uma nova vida está escondida no útero da Terra, e é despertada mostrando seu esplendor. A Estação do Despertar. Nós começamos na primavera onde o Sol nasce. É quando nos desiludimos, quando enxergamos através da ilusão, ou quando descobrimos novas informações, trazendo clareza para o caos, indecisão ou confusão. A partir de um novo ponto de vista recomeçamos rompendo velhos padrões, novas idéias surgem, renovamos nossa intenção, propósitos. a casa, as arvores mostrando os seus frutos, nos preparamos para um novo ciclo.

Por nascer no Leste, o Elemento Fogo e simbolizado pelo Leste na Roda Medicinal. Afeta a condição humana no Plano Espiritual, que é percebido no nosso coração. O Plano Espiritual é percebido através do amor de dar e receber, é o relacionamento com a essência da vida, com o próximo, com todas as nossas relações

Na cerimônias que realizamos no Sítio Lua Cheia, os participantes estabelecem contato com o Elemento e o elemental do Fogo, o elemento da Primavera. Conectamos o nosso plexo solar com o fogo e oferecemos tabaco saudando o poder destruidor, transformador e purificador do fogo. O fogo pode ajudar os humanos ou destruí-los. O fogo transforma tudo o que toca. A dádiva do fogo é uma faca de dois gumes.

Segundo Meadows, o Leste é o lugar para expandir a visão, a buscar coisas distantes, a ser hábil para se distanciar e ver o quadro como um quebra-cabeças, além de um quadro de peças individuais. O quadro nos mostra como olhar internamente, e a nos tornar mais hábeis para determinar onde fica cada peça separadamente. Então, o Leste é onde podemos aprender a por as coisas em perspectiva, dar foco. É o lugar de “ser”, é onde colocamos as perguntas e esperamos pelas respostas.

No leste, expandimos as nossa consciência, os nossos limites. Aprendemos a resistir à provocações, examinamos programações negativas, que vamos recebendo em nossa criação, dos familiares e orientadores, e, tornando “claros” esses padrões, reavaliarmos valores, virtudes, e abandonarmos aquilo que não nos serve mais. Cada vez que abandonamos um pensamento limitador recebemos um retorno de energia vital. Abrir a percepção, libertar-se de padrões antigos, alimenta a mente com inspiração.

Segundo os ensinamentos da Roda Medicinal, os 3 portais dos caminhos espirituais da primavera, um conjunto de práticas de virtudes, que influenciam nosso corpos (corpo, mente, emoções, alma).

O três caminhos espirituais do Leste (Primavera) são:

  • Claridade

Este primeiro Caminho Espiritual é considerado um presente para os humanos. Pode abrir qualquer mundo ou tornar-se a nossa própria prisão. No Nível Físico trabalhamos se para simplificar a relação com o mundo. No Mental para vermos as coisas mais nitidamente, ter mais lucidez. No Emocional para ser mais espontâneo, direto, desbloquear energias emocionais. No Nível Espiritual, para se tornar um canal a serviço da espiritualidade, mais conexão com o mundo espiritual

  • Iluminação

No nível físico é deixar energia vital fluir livremente e vitalizar nosso corpo. No nível mental dá a intuição para distinguir a verdade da ilusão, para conhecer verdades da vida e entender a relação com o Universo. No nível emocional nos impulsiona quando precisamos sentir o fluir das energias e para promover a paz. No Espiritual a vivência da verdade através do relacionamento com o Divino e a capacidade de compartilhar ensinamentos com outros. Para ampliar a conexão com o Universo e todas as relações.

  • Sabedoria

No nível físico ensina a reconhecer os limites do corpo, a reconhecer o que é bom e a agir no que se tem conhecimento. No mental a habilidade de discernimento equilibrando a experiência com o entendimento. Emocionalmente nos torna mais espontâneos. No nível espiritual nos inspira a filosofar.

A Roda Medicinal marca também as luas do período de primavera:

Ciclos da Lua da Primavera

De 23 setembro a 23 de outubro É o tempo de despertar. O primeiro dos três ciclos da primavera. Começa o ciclo do crescimento e iluminação no Leste e o equinócio da primavera . que marca a chegada da primavera, quando Mãe Terra traz uma vida nova que estava escondida em seu útero durante o inverno. Cumpre-se a promessa do renascimento que está implícito na morte, daquilo que aparentemente estava morto, mas na verdade, estava escondido. Os sinais estão na vermelhidão das folhas das árvores, na grama abaixo da terra, na construção das plantas e no florescer das flores, que abrem seu coração para trazer sua mensagem de alegria e admiração.

Esta lua ensina sobre os paradoxos da própria vida, de uma maneira mais direta e intensa, pela própria experimentação. Ensina a mostrar a afeição física e como se sentir confortável, tanto no Céu como na Terra, e a compreensão dos relacionamentos com grupos.

Na roda Medicinal de nativos norte-americanos (Sun Bear e Wabun ) é a A Lua do Florescer das Árvores (21/03 A 19/04) , é a primeira Lua de Wabun, Espírito Guardião do Leste. Essa lua nos ensina sobre energia, intensidade, mudança catalisadora, destemor e oportunismo. Esta posição poderá nos mostrar nossas habilidades de liderança, a enormidade de nosso próprio espírito, e a extensão de nossa visibilidade clara.

Pessoas vivenciando esta lua, precisam aprender a canalizar suas energias, saber fluir suas emoções e a ser mais pacientes com os outros.

Lua da Fertilização

De 24 de outubro a 21 de novembro. Marca o período em que as gramas crescem e se espalham rapidamente para transformar a paisagem. Indica um período do crescimento no ciclo natural que envolve a mudança dramática. A nova vida coloca fortalece as raízes e fixa a estabilidade da terra. É o tempo em que a primavera está agitando a sua expressão com arvores mais resplandecentes, flores e as forças criativas da natureza ficam evidentes em toda parte.

Esta Lua ensina sobre a força de transformar o seu mais íntimo ser, trazendo todas as lições que se tenha aprendido. Ensina sobre a extensão da própria energia, habilidade para criar mudanças, curiosidade, desejo de verdade, adaptabilidade, paciência, tenacidade, ambição , poder e a deixar nossa marca bem penetrante

Na Roda de Sun Bear e Wabun é a A Lua do Retorno dos Sapos (20/04 a 20/05). Esta é uma das posições a ser explorada, quando desejamos aprender sobre estabilidade, o valor do trabalho árduo, sorte e nossa habilidade de criar e manter um ambiente ordeiro e bonito.

Esta Lua nos ensina sobre perseverança, paciência, estabilidade e praticidade. Pessoas nesta posição devem evitar a teimosia, a indulgência e de conter todos os seus sentimentos.

Lua do Florescimento

De 22 de novembro a 21 de dezembro. É o tempo em que as sementes que estiveram plantadas no solo germinaram e agora estão crescidas cheias.

Esta Lua ensina sobre a força mental, medo profundo das emoções, relacionamentos ensinamentos e comunicação. Aprende-se sobre o desejo de justiça, e a habilidade para viver com as dualidades da natureza e da vida. Ensina sobre respeito, centralização, estabilidade, proteção, e certa capacidade para enxergar o futuro. Ensina também sobre como andar em equilíbrio na Mãe Terra.

Na Roda de Sun Bear e Wabun é a Lua da Plantação do Milho (21/05 a 20/06) Esta posição apontará qualquer ângulo cortante em nossa personalidade, a necessidade de equilibrar tempo e energia, e nossa capacidade de criar. Pessoas vivenciando esta lua, devem aprender a ser mais consistentes, menos suspeitos e mais dispostas a mostrar alguns dos seus próprios sentimentos profundos.

Varios autores da Roda Medicinal associam o totem da Primavera como a Águia Dourada. Com os olhos da Águia, nós podemos ver com a visão da Luz Solar, clareando a verdade na escuridão da ilusão. Vamos nos permitir ver a distância, para enxergar a nossa própria vida, livre de preconceitos e preocupações. Voando longe dos limites dos detalhes, focando coisas mais importantes, e, desenvolvendo nossos espíritos.

E na liberdade de vôo, não se prender a vícios, ou a padrões negativos. A Águia nos ensina a atacar nossos medos pessoais do desconhecido. Ensina a ampliar a percepção sobre nós mesmos além dos horizontes visíveis. Ela é o Leão Alado. Ambos associados á energia masculina e ao Sol.

Voando alto acima das nuvens da ignorância humana, vamos conquistar os limites deste mundo e alcançar outros reinos. E na Águia coragem, resitência e força para enfrentar desafios difíceis.

Vamos conquistando a habilidade de voar velozmente a grandes alturas espirituais para o reino onde todas as coisas são possíveis. A Águia é parte do Céu, junto ao Pai Céu e com o Sagrado Poder Solar da Transcendência.

O corpo mental cede espaço para o corpo espiritual
Na Roda Medicinal dos nativos norte-americanos, a primavera é a hora de Wabun, o Espírito guardião do Leste .

Momento da prosperidade, de tudo o que têm a ver com crescimento. Para melhorar comunicações, interações de grupo, fertilidade e abundância.

Estamos dizendo até breve ao Inverno, do Sul, do Búfalo Branco, dos poderes de limpeza, da renovação e da purificação; e dando boas-vindas , à primavera, ao leste, à Águia Dourada, aos poderes da claridade, da sabedoria e da iluminação.

Que o “Espírito da Primavera” traga a época de novos crescimentos para todas as crianças da terra. Novidade, entusiasmo e criatividade. É a época de novos rebentos, da luz que vem após cada escuridão, do brilho que veremos após ter saído do limbo. Aqui eu peço meu renascimento, aqui nesta época onde todas as coisas são possíveis. Tempo de despertar.

Kenneth Meadows, exemplifica:

Como nós sabemos quando estamos determinando com o Espírito ?
Nós determinamos com o Espírito quando seguimos o que o coração quer que façamos, porque a verdade do coração é a voz do Espírito. Nós damos com o coração e determinamos com o espírito.. O “Caminho do Coração” ou o “Belo Caminho”, é o jeito de amar que não tira partido ou vantagem dos outros para interesses próprios, mas os inclui nas vantagens que recebemos. O modo nativo considera que devemos ajudar uns aos outros para a Terra permanecer na Beleza.

“As leis que são formadas pelas atividades da mente, e nos designa a estabelecermos e a salvaguardar princípios ( que assim como vemos, são atividades do espírito) . É possível determinar a aplicação de algumas leis com a mente para manter a letra da lei e segui-la literalmente, mesmo sendo contrárias à intenção do espírito.

Nós viajamos através da vida com nossos próprios passos, fazemos nossas escolhas, e determinamos o caminho de como usar nossas energias na coreografia da vida na Terra.Nós somos, portanto, produto de nossa determinação e criadores das circunstâncias. Não somos meros robôs.

Segundo Meadows, no entendimento dos Quatro Ventos, o índio concluiu que o homem é composto de todos os outros reinos. Ele é carne, sangue, ossos e essência, e as águas do corpo, contém vida do mundo mineral, vida das plantas, das frutas, sementes e dos animais. O homem não é meramente uma parte do mundo físico. O mundo físico que inclui minerais, plantas e animais, é literalmente parte do homem. O homem é uma miniatura do sistema solar, um microcosmo do Universo.

O fogo, elemento associado à primavera é associado ao plano espiritual da existência, que não pode ser sentido pelos olhos, pelos ouvidos ou pelo toque e sim pelo coração. É uma experiência de amor, não do amor que permite excessos, mas do amor que é dado a si mesmo.

A primavera, como momento da claridade e iluminação, nos inspira a buscar um significado para a vida. Buscar a luz interior que dá clareza ao caminho. Tornar essa busca prazerosa, desafiante, na constante prática das virtudes e assim entrar no mundo da beleza e de qualidades que trazem alegria.

No xamanismo celta o Equinócio (o dia e a noite com a mesma duração) de Primavera é chamada por Ostara. Segundo M. Faur no Anuário da Grande Mãe, este Sabbat é de renovação, expectativas e esperanças e coincidia com outras celebrações antigas como as festas de Isis e Osíris, de Cibelle e Attis, de Astarte, de Demeter e Perséfone e de Athena, entre outros.

Voltando para examinar a Teia da Terra, mesmo as pessoas que nascem no mesmo lugar, no mesmo dia, na mesma hora, com influências e qualidades similares, não são idênticas. Embora tenham o mesmo totem, o totem é uma indicação móvel, flutuando no Cosmos por si mesmo, governado por nossa própria dinâmica interna. Então, duas pessoas do mesmo totem podem dividir experiências similares. O efeito é determinado pelo grau de exposição às influências e o nível de nossa reação. O Espirito que o índio define como a Essência da Entidade Real. O Espírito é a Essência real.

O índio não só aceita a realidade de uma vida após a morte, como também na vida antes do nascimento. A Natureza era sua testemunha para comprovar essa verdade. Antes de cada vida, damos um forte salto na primavera. Há vida antes dela e depois. Cada vida é como uma forma de produzir sementes para a auto-perpetuação. A vida passa. Isso é a Lei Cósmica.Se ele acompanha a vida que há depois da morte, existe também a vida antes do nascimento? O índio foi além desse conceito, crendo que as sementes que agora plantamos são para a próxima vida. As sementes da próxima vida estão sendo preparadas na vida presente que estamos vivendo. Em outras palavras : Não há como escapar da consequência de nossas ações. Cedo ou tarde o passado reaparece para nós.

Tendo a consciência da existência antes de nascer, porque não nos lembramos ? Porque iniciamos cada vida com um disco em branco de memória. O novo disco é inserido no drive a cada nova vida. Mas o disco rígido ainda retém informações no banco de memória do nosso “Eu Inconsciente.

Águia e a Primavera

A águia é um dos maiores e mais admirados pássaros predadores. Ted Andrews, em Animal Speak, cita a águia como fonte de inspiração para muitas sociedades. Sua habilidade para voar a grandes altitudes e caçar, maravilha e pasma àqueles que testemunham.

Águias de fato, são muito boas para conseguir comida, ela passa pouco tempo caçando. O fato de serem boas caçadoras no chão e voar a grandes altitudes, reflete muito sobre o significado totêmico das águias. Cada sociedade que tem contato com águias, tem desenvolvido uma metodologia mística sobre elas.

Na tradição asteca, um chefe disse que o povo assentou-se no lugar onde havia uma águia num cacto, comendo uma cobra. Esse lugar tornou-se a Cidade do México Na mitologia, era sagrada para Zeus, que assumiu a forma de águia, para controlar o trovão e o relâmpago. Os sumerianos acreditavam num Deus Águia, os Hititas usavam a Águia de duas cabeças como um emblema de proteção, com o qual não haveriam de ter surpresas.

Associada à Júpiter, era um forte símbolo para o Império Romano.

Nos hieróglifos, representava a vogal A, e também o símbolo da alma, do espírito e o calor da vida. No misticismo cristão, a Águia é o símbolo da ressurreição. Para os indios Pueblo, a águia é um pássaro do céu com habilidade de voar em aspiral ascendente, até passar através de um buraco para o lar do Sol. Ela era associada às energias do Sol físico e espiritual. Os Pueblo honravam as “Seis Direções” : norte – sul – leste- oeste- zênite (cume)- nadir (ponto mais baixo). A águia era o símbolo do Zênite. Das alturas ela pode sobrevoar todas as direções. As águias eram símbolo de visão e percepção.

Para os Hopis, as águias douradas e de cabeça branca são os maiores de todos os pássaros do céu. Alguns grupos de hopis, também incluiram o Falcão de Rabo Vermelho como águia, referindo-se a ele como ” Aguia Vermelha “.

A Águia tem sido cultuada e reverenciada por muitos povos há milênios. É incontestável a força do seu simbolismo no inconsciente coletivo da humanidade. Sua medicina é muito poderosa, voa alto, acima das nuvens negras da ignorância humana, ajuda-nos a conquistar os limites deste mundo e alcançar outros reinos. Povos Nativos encontram na Águia coragem, resistência e força para enfrentar desafios difíceis. Curandeiros e xamãs usavam suas penas como um importante instrumento de poder curativo.

A medicina da Águia, ajuda no desenvolvimento de poderes xamânicos, viajando em mundos alternativos. Invocando a Águia, conseguimos a habilidade de voar velozmente à grandes alturas espirituais para o reino onde todas as coisas são possíveis.

Por ser parte integrante dos céus; é associada ao Pai Céu e ao Sagrado Poder Solar da transcendência.

Bibliografia consultada:

Kenneth Meadows – The Medicine Way – Element Sun Bear, Wabun Wind & Crysalis Mulligan – Dancing With The Wheel – Fireside Richard Wilhelm – I Ching – Pensamento Willian Bloom – Tempos Sagrados – Triom Richard Heinberg – Celebrando os Solstícios – Madras

ENTRE EM CONTATO

Envie um e-mail para a equipe do Site




©Desenvolvido por Agência Rumi

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?