Pajé Sapaim curador da tribo Kamayurá – Alto Xingu

Pajé Sapaim da tribo Kamayurá – Alto Xingupaje-sapaim

Pajé Sapaim da tribo Kamayurá atualmente vivendo na aldeia dos Ywalapiti, ambas no alto Xingu

O Pajé é conhecido internacionalmente, principalmente por ter atendido o ator Leonardo Di Caprio e a modelo Gisele Bündchen que foram fotografados pintados e abraçados com Sapaim. Também ficou famoso pela apresentadora Xuxa, o cantor Egberto Gismonti a cura do ecologista Augusto Ruschi , etc

É considerado entre os indios o maior Pajé. A Aldeia Kamaiurá destaca-se ritualisticamente principalmente pelos rituais Kwarup – A festa dos mortos, o Jawari – Festa dos Guerreiros, Moitará – Encontro de Trocas, a luta corporal huka-huka .

Léo : Quem é Sapaim ?

Sapaim : Eu sou paje e médico da tribo, da aldeia, maior curandeiro do Brasil,. Então, hoje eu sou pajé, e o espírito da floresta me preparou para ser pajé. Então eu to consultando meu povo, a aldeia, eu to cuidando do meu povo muito forte.

E agora o pajé está aqui hoje consultando o branco.E aldeia está tudo bem, bem tranqüilo, porque eu deixei todas as aldeias estão bem. Já faz 3 anos que pajé saiu da aldeia, mas depois eu volto. Pajé não quer morar na cidade, vai ficar sempre na aldeia

Pajé vai ficar um pouco. Pajé quer conseguir o dinheirinho, pajé vai conseguir o que precisa conseguir. A verdade, a minha vontade é que pajé precisa na verdade é comprar motor de popa, porque tem muito barco da aldeia, e o povo sempre ocupando pra lá, pra cá. Então pajé precisa conseguir o barco. O meu barco particular. Para eu viajar, consultar, atender…tudo no rio é longe….então pajé precisa de barco para viajar e consultar.

Léo : Quando o sr. começou a curar? Quantos anos tinha ?

Sapaim : Olha eu…é… tem muito pajés na tribo…e…pajé não aprendeu com eles. Eu fui escolhido por Mamaé. Mamaé que significa o espírito.

Na época que eu nasci de minha mãe….o espírito estava lá olhando quando eu nasci…quando eu nasci de minha mãe o espérito sentiu minha energia…quando eu nasci. Disse que para ela eu nasci forte e muito bom. Então o espírito me escolheu…..para eu ser pajé. E, eu não sabia que ele tinha me escolhido para ser pajé….e eu cresci…andei…e eu acho… que eu

Tinha mais ou menos nove anos de idade. E chegou meu sonho…primeira coisa eu sonhei…..eu fumava charuto…um charuto grande…eu fumava….e voava…e corria no sonho. Eu cai dentro da lagoa e vi todos os espíritos dos peixes, os espíritos que vivem na água. E com isso eu ficava sonhando…sonhando…sonhando….até que me deu medo esse sonho. E…meu pai já foi pajé também. Meu pai ele entrou….

Léo : Como chama seu pai ?

Sapaim :O nome de meu pai é Kutamaph, e ele entrou e eu estava chorando, estava chorando muito porque….eu estava com medo do sonho…e quando ele me viu…ele perguntou : Porque você está chorando ?Alguém te bateu ? Alguém brigou com você ? Eu respondi :Não! Ninguém brigou comigo! Eu estou com medo desse sonho ?

Ai parei de chorar e perguntei : Me explica o que significa este sonho ? Está dando medo ! E ele me explicou :

Você não sabe, Mamaé escolheu você para ser pajé . Eu disse: Não ! Eu não quero ser pajé…não quero não. Aí ele explicou : Você vai ser pajé !

Aí eu cresci…e fiquei rapaz…eu acho que mais ou menos 12 anos… que aconteceu. Eu acompanhei meu irmão mais velho…ele é pajé também…o nome dele é Tacumã. O meu pai já tinha falecido. Aí eu lembrei muito meu pai e fiquei muito triste…e lembrava o que ele dizia de eu ser pajé….e acompanhava meu irmão…no começo… e a gente fou plantar mandioca, milho, melancia, abaxi, banana…e de manhã, por volta das 10h não tinha vento…e derrepente veio a luz do Mamaé, bem grande, onde nasce o Sol…

Léo : Como é Mamaé ? Ele tem a forma de um animal ou de um homem? É um índio?

Sapaim : A forma de uma pessoa ! Não é bicho !

Aí veio bem branco e caiu em nosso lado…caiu e estourou….bummm…aí subiu…e derrepente eu recebí uma energia dele…Como se a gente está com febre né…aí eu falei :

Meu irmão…eu não to bem…to com febre . Ele disse: Então…vamos para a nossa oca. Vamos voltar.

Aí nós chegamos tarde…por volta das 4:30h…quando eu cheguei na minha oca, piorei muito…Piorei bastante. E, deitei na rede….e quando o Sol acabou…ele veio….Mamaé veio. Entrou e foi direto onde eu estava…onde estava a minha rede…aquele charutão grande e comprido….

Léo : Só com Tabaco ou com outras ervas ?

Sapaim : A gente faz charutos só com a folha do fumo.

Aí Mamaé sentou…só que a família da oca não viu ele entrar…Ele sentou ao meu lado e …minha irmão e meu irmão…fizeram fogueirinha para me esquentar…eu tava tremendo…e eu via ele….Ele disse : Você ficou com medo de mim quando eu cai de seu lado (tratava-se de uma queda)…eu que cai de seu lado…eu que escolhi você para ser pajé.

Aí não tem como fugir né ? Do que ele falou !

Léo : Mamaé é um espírito que vem do vento, do céu, da terra ..? Da onde vem Mamaé ?

Sapaim : Vem da floresta.

Depois ele disse: Como eu escolhi você….Quando você nasceu de sua mãe…agora já está na hora. Eu vim preparar você para ser pajé . Você vai ser Grande Pajé ! Você vai ser grande curandeiro, eu vou te preparar.

Então ele fumou charuto…e passou energia…e aí eu piorei muito. Dor de cabeça…dor no corpo…tudo. E meu irmão veio me perguntar dizendo : Você está mal, está ruim ? Eu disse : Tô ! Então ele disse: Eu vou chamar o pajé da aldeia para curar você. (Só que ele não via Mamaé ao meu lado).

Então foi chamar os pajés da aldeia…aí vieram dez pajés…dez. Vieram e sentaram, cada um trouxe um charuto né…E aí cada um perguntou :

O que aconteceu ? E disse : Não Sei !!

Então seu irmão foi nos chamar curar você. Você irá ficar bom hoje ou amanhã . E o espírito me falava : Não..você não vai ficar bom agora, ele não conhece a minha energia. Ele não tem como me tirar.

Aí jogaram fumaça, chuparam a cabeça, o corpo, chupava tudo. Olhando ele disse : Eu não estou vendo ? Eu não estou na mão dele ele tentando tirar a minha energia ? Eles não vão conseguir ! Émuito difícil tirar a minha energia ! E aí aí foram embora. Todos os pajés foram embora. Para oca deles. Aí quando eles foram embora…ele fumou charuto…fumou e jogou fumaça no meu rosto e eu desmaiei. E aí..toda a família veio chorando…..

Léo : Para onde o sr. Foi quando desmaiou ?

Sapaim : Eu fui com ele !

Léo : Com Mamaé ?

Sapaim : Com Mamaé. Aí eu voltei, respirei minha energia…e aí toda a família perguntou…o que aconteceu e eu disse : Não Sei ! Não to doente ! Não to doente. Não to mal não ! E derrepente ele tirou a coisa da mão dele, tirou daqui (testa) e fechou meus olhos….

Léo : O que ele tirou ?

É como se fosse um papelão, fita crepe. Colocou na minha boca, e eu não consegui falar, e nos meus olhos, e eu não consegui enxergar…

Léo : Ele cobriu tudo ?

Sapaim : Tudo ! E ele ficou passando a energia em meu corpo e eu fiquei um mês na rede sem comer, sem beber, sem falar, sem enxergar. Depois de um mês ele disse… Ele me chamava de neto…Ele disse: Neto! Você agora está bem preparado, você agora está muito forte, e você vai ser o maior curandeiro da tribo.

Os pajés daqui diziam que era tudo mentira, Que ele não mostrava energia. Que ele tem que mostrar. Aí depois de um mês ele me fez mais uma vez desmaiar. Eu fiquei mais de uma hora desmaiado. Depois ele soprou e eu respirei. Aí ele disse : Agora voce já está bom e pode levantar. Aí eu não sentia mais aquela energia toda na cabeça e fiquei livre. Fiqui bom.

Deepois ele disse : Agora você já está bom e eu vou tirar aqui (Olhos). Tirou pendurou soprou e sumia. Depois tirou daqui (boca) soprou e sumiu. Ele disse : É assim que você vai tirar a dor de seu povo e de toda a sua família. Você tem que mostrar para todos os pajés da aldeia.

Léo : Tirou e apareceu na mão ?

Sapaim : Na mão ! E aí fiquei bom ! Fiqui bom e nunca senti mais nada. Aí ele disse: Agora, você vai ficar na sua oca, não pensa em sai, não pensa em pescar, não pensa em caçar…

Léo : Quanto tempo ?

Sapaim : Fiquei um mês, no outro mês ele deixou..

Léo : O sr comia ?

Sapaim : Aí eu comia ! Aí eu sentia fome depois que eu fiquei bom. Agora quero comer, quero beber ! Eu não comia nada !

Léo : Mas nesses trinta dias o sr. Ficou sem comer ?

Sapaim : Sem comer, sem beber…Ele ficava jogando a fumaça…para eu não sentir fome. Daí…fiquei bom . Aí ele disse : Agora eu não vou dizer para você ficar um mês, dois meses na sua oca não ! Agora você vai ficar dentro da sua oca um ano. E, fiquei um ano…

Léo : Mas…sem comer também ?

Sapaim : Não…ai comendo !

Léo : Mas o sr. Ficava sem sair…de dia e de noite ?

Sapaim : Aí eu não saia nem de dia e nem de noite. Ficava lá preso. Eu só ficava rodando dentro da casa….da oca. Aí depois de um ano ele mandou sair : Pode sair !

Léo : O sr. Ficou até os 10 anos, então, em preparação ?

Sapaim : Em preparação ! Aí eu comecei a trabalhar…eu chamei todos os pajés da aldeia para me ver….

Léo :* Com 10 anos ?*

Sapaim : Não …com 11 anos. Mostrei o que ele passou para mim…aí eu disse :

Hoje eu sou pajé, Mamaé me preparou para eu ser pajé, disse que eu vou ser o grande curandeiro aqui da aldeia. Agora eu vou mostrar o que ele passou para mim.

Aí fumei charuto …eu peguei minha pena e limpei minha mão…não tem nada…peguei e saiu o que ele colocou na minha mão…e ficou mexendo…mexendo…e aí todos os pajés levaram susto…todos os pajés viram…todo mundo ficou com medo. E aí eu disse aos pajés :

Eu sou pajé, e é assim que eu vou arrancar a dor de vocês.

Léo : Que fantástico ! Quantos anos o sr. Tem ?

Sapaim : Não sei quantos anos eu tenho (gargalhadas…) E eu saí e depois ele mandou voltar para eu ficar mais dois anos dentro da minha oca.

Léo : Sem sair também ?

Sapaim : Sem sair ! Ele estava me preparando para eu ficar mais forte ainda. A´[i ele me mostrou todas as plantas…qualquer planta eu conheço…qualquer planta..todas.

Léo : Quais são as doenças que o sr. mais cura lá na aldeia ?

Sapaim : Eu curo…tem espírito bom…tem espírito mal…tem animal mal…Então é espírito ruim que está jogando a doença…

Léo : Esse espírito ruim tem um nome ?

Sapaim : A mesma coisa….Mamaé ! Mamaé ruim..

Léo : Ah ! Mamaé siginifa espírito..então ..ruim ou bom ?

Sapaim : É espírito..então esse Mamaé ruim joga doença no povo…e pajé cura…pajé vê…pajé conhece esse Mamaé ruim. Tem o espírito bom que não faz nada…não joga doença…Mamaé bom só ajuda.

Léo : E o Mamaé entra no corpo das pessoas…ele usa o corpo das pessoas , fala através das pessoas ou só fica perto ?

Sapaim : Não, não..ele fala

Léo : Por exemplo, ele entra no corpo do sr ?

Sapaim : Entra !

Léo : Então nessa hora não é mais o sr. Que fala e sim Mamaé ?

Sapaim : É Mamaé que fala …. Mamaé que ta vendo a dor das pessoas.

Léo : Quando o sr, cura então…Mamaé é que está dentro do sr ?

Sapaim : Isso ! Mamaé é que está dentro de mim ! Aí então hoje..eu vejo o espírito…eu converso com o espírito..ele diz o que vai acontecer amanhã ou depois…ele está explicando…então pajé espera o que vai acontecer. Hoje, hoje em dia os brancos estão levando malária, gripe, tuberculose, doenças…então pajé não tem como curar..

Léo : Porque é espírito de branco ?

Sapaim : É espírito de branco…Doença de branco.

Léo : Agora…doenças de índio o sr. Cura todas ?

Sapaim : Eu curo tudo ! Depois eu sonhei para curar as doenças que branco leva…para curar…catapora, sarampo…e então hoje cura doenças de branco também…mas tem a planta para curar sarampo….

Léo : Que planta o sr. Usa ?

Sapaim : Tem boas ervas para curar.

Léo : O sr. Sabe algumas em nossa língua de branco ?

Sapaim : Não ! Só tenho os nomes todos em minha língua.

Sapaim : Eu já mostrei essa planta para a equipe da escola Paulista de Medicina….então já mostrei essa planta.

Léo : O sr. Usa alguma planta para as pessoas sonharem mais ? Para ter uma visão espiritual ?

Sapaim : Tem sim ! Mas, só na aldeia .

Léo :* Como é o nome dela* ?

Sapaim : Só na minha língua ! O nome dela é Iguapó…

Léo : O sr. Faz chá para as pessoas tomarem ?

Sapaim : Não ! Não é chá . É só para passar no rosto, para sonhar.

Tem uma frutinha….sementinha que também uso para sonhar longe.

Léo :* Essa também não toma ?*

Sapaim : Não ! Só para passar no rosto. Aí…recebe aquela energia

Léo : E como se chama ?

Sapaim : Tacupeá ! Eu tenho um pouco.

Léo : O sr. Tem um aí ? E dá para eu sonhar um pouquinho agora com ela?

Sapaim : (gargalhada) Mas eu trouxe só um pouquinho para usar quando eu vou consultar as pessoas.

Léo: E chá? O Sr. Faz algum ?

Sapaim : Sim ! Quando a pessoa está com problema de estômago, pajé faz chá. Pessoal toma e fica bem. Então…hoje pajé trabalha bem…Muito forte… e sonha longe. Eu vejo as pessoas de longe.

Léo : O Tacupeá o sr. Toma antes de fazer o trabalho ? Ou seja, antes o sr. Passa o Tacupeá no rosto ?

Sapaim : Eu passo na minha mão. Quando consulto as pessoas eu uso o Tacupeá pelo corpo. E de noite eu passo.

Léo : Para sonhar ?

Sapaim : Para sonhar !

Léo : Para falar com os espíritos, por exemplo ?

Sapaim : Assim eu posso descobrir de onde vem a doença.

Léo : E quando o sr descobre de onde vem a doença, o que faz ?

Sapaim : Daí quando eu descubro a doença e da onde vem, o espírito vai me mostrar. Então, eu conheço toda e qualquer planta, qualquer árvore. Bom, os médicos da Associação paulista, até hoje ficam encima de mim, do pajé, eles querem que eu mostre o remédio bom. O segredo do pajé. Pajé não abre a mão para eles.

Bom ! Então eu virei pajé…aprendi através de Mamaé. Então hoje sou pajé forte.

Léo : O que significa Sapaim ?

Sapaim : Sapaim significa “índio pequeno”. Na língia da tribo “índio pequeno”, mas pajé cresceu !? (gargalhadas)

Sapaim é o apelido que Orlando Villas Boas me deu. “Índio Pequeno que não cresce, que mora num buraco de pedra.

Então…hoje não é mais Sapaim. Eu entreguei Sapaim para

o meu neto novo. Então hoje ele é que é Sapaim . Agora eu sou só…Pajé.

Léo : Qual é o seu nome verdadeiro na língua da tribo ?

Sapaim : Meu nome é Yanomaká Kumã !

Léo : E o que significa ?

Sapaim : Onça ! “Grande Onça” . Kumã é grande, Yanomaká é onça.

Léo: * A maior das onças ! É isso ?*

Sapaim : É !

Léo : Muitos brancos estão usando a medicina de índios de várias tribos, de vários países. Como o sr. vê isso ?

Sapaim : Hoje em dia, o branco não é minha área. Não é da minha terra. O branco está estudando as ervas de outros índios…outros povos…Na verdade os brancos estão estudando…pesquisando…E pra mim o que esle está estudando, pra ele vai ser muito fraco. A verdade é que minha erva, ninguém vai conseguir. Pra o branco estudar…..é muito difícil..

Léo : Então o sr faz as curas vendo que doença é….o Mamaé diz qual é a doença e também a planta que vai curar. É assim que o sr. cura ?

Sapaim : É !

Léo :* Por exemplo, o sr. está em São Paulo…..deve ter trazido várias ervas da aldeia?*

Sapaim : Eu não trouxe várias ervas não. Eu trago as que quero trazer. Agora o resto fica guardado.

Léo : Quando sr faz uma sessão…..ela demora quanto tempo ?

Sapaim : Eu consulto pessoa…ela fica deitada…mais 1 hora. Eu tenho que sentir…eu tenho que ver tudo o que pessoas estão sentindo. Aonde a pessoa sente dor…

Léo : Então…não precisa falar nada ? O sr. vai sentindo ?

Sapaim : Eu vou só olhando ! Aí…vou descobrir onde tem dor. Então dali, o pajé arranca a dor das pessoas…com a mão…as duas mãos. E sai na minha mão. Eu mostro…aqui (mostrou as mãos). Eque eu faço…fecho a mão…depois sopro….fuuuuu….E vai embora .

Dr. Wilson Gonzaga : Quando ele diagnostica, ele pega ador. Ele passa a mão e a dor se materializa como uma massa cinzenta meio gosmenta. E todo mundo vê ! Ele faz um gesto, sopra e massa desaparece. Ele tirou do local onde estava doendo.

Léo : Na seqüência ele dá uma erva para a pessoa ?

Dr. Wilson Gonzaga : Hoje ele atendeu o dia inteiro. Depois ele dorme e descobre a erva de cada um, e no dia seguinte ele passa.

Léo : Então ele irá receber as mesmas pessoas amanhã ?

Sapaim : O trabalho continua no sonho.

Léo : Então o sr ainda irá sonhar, e recber a erva que cada um vai ter que tomar ?

Sapaim : Isso ! Exatamente !

Léo : Qual foi a pessoa mais famosa que o sr atendeu ?

Sapaim : Bom…eu já atendi a Ministra da Noruega. Ano passado eu viajei para a Noruega. Então pajé foi lá na casa dela. Pajé consultou…pajé mostrou…e ela sentiu bem. Ela não sentiu mais nada. Ela todo mundo me filmou…eu consultando ela.

Agora já a muitos anos, e primeiro…que mostri meu trabalho….foi Augusto Ruschi…que pegou veneno de sapo.

Naquela época pajé saiu pela primeira vez na cidade….pajé ficava sempre na aldeia. Então, na época do governo Sarney…na época dele…então todo o Brasil se preocupou muito com ele. Tinha ido fazer exame. Não sei quantos anos…o médicos não descobriram o que era esse veneno e a Funai mandou rádio pro pajé, mas a gente não quis sair.

A gente estava trabalhando na aldeia…. por duas vezes a Funai mandou rádio. E como pajé não queria…a Funai mandou avião pra buscar pajé. E pajé entrou todo pintado…e pajé sujou avião…porque pajé veio pintado (gargalhadas). E Raoni, tava lá na Funai em Brasilia, e o presidente da Funai em Brasília perguntou se Raoni sabia curar veneno de sapo. Ele disse: Não ! Não sei curar ! Eu não sou pajé ! Aí ele me mostrou, Raoni me chamava de irmão. Ele disse: Eu tenho meu irmão. Ele é grande pajé e curandeiro.

Então a Funai mandou avião pra buscar pajé. Pajé foi na Funai…e pajé foi conversar com o presidente da Funai….e ele me perguntou se eu sabia curar o veneno. E eu disse : Eu sei ! Eu sei curar !

Então ele arrumou uma passagem…pajé foi para o Rio…primeira vez que pajé saiu. Ai eu consultei o Ruschi…que tava mal. Peguei ele na garganta e no pescoço….e saiu o veneno. O veneno branco do sapo…e mostrei. E Raoni….lá que ele virou pajé. E disse: Eu vou curar também.

Três dias eu fiquei consultando ele. Depois de três dias acabou aquele veneno. Ele ficou muito contente…saiu na televisão…no jornal. Ele já morreu. Ele viveu três anos depois do veneno do sapo . Depois ele pegou outra doença. Não sei se coração? Não sei ! Foi a primeira vez que sai da aldeia.

Então hoje…todos os brancos não esquecem do pajé. Porque eu já mostrei meu trabalho….já mostrei o veneno. Então…hoje em dia…o branco precisa muito do pajé.

Gisele Bündchen foi lá…procurou pajé na aldeia.

Léo : Com o Leonardo Di Caprio ?

Sapaim : Também ! A Xuxa….. Gisele Bündchen, a mãe dela..o namorado (Leonardo)

Léo : A Gisele é bonita…não é pajé?

Sapaim : Não sei ! (gargalhadas). Só que ela não passou pela Funai de Brasília. Ela foi direto, sem autorização. Derrepente…o avião dela pousou na aldeia…a gente nem conhecia ela. E ela disse:

– Eu sou Gisele Bündchen, e este é Leonardo, meu namorado (risos).

Aí ela disse:

– Eu vim procurar pajé….para o pajé me consultar. Ela dormiu na casa do cacique e meu sobrinho, Aritana e aprendeu lá, a fazer bijou, raspar mandioca, e dançou junto com as mulheres e pintaram ela, e pintaram também o namorado dela (Leonardo).

Só que o povo pintou ele (L.Di Caprio) com pintura de mulher !

Léo : Ele quem quis ?

Sapaim : Não ! Nós que quisemos ! (gargalhadas).

Aí eu vi e pensei : Pôxa ! Pintura de mulher ele está usando ? (gargalhadas). Foi assim ! Mas ela gostou muito ! Então é assim..meu trabalho é assim.

Pajé já viajou muito ! Pajé já foi até o Japão, Nova York, Washington, Europa, Marrocos…..Já viajei muito ! Aí depois que o pajé viajou…pajé parou um pouco na aldeia….cuidando de meu povo.

Léo : O sr. já atendeu vários brancos ! Qual é a maior reclamação deles?

Sapaim : O que eu estou mais consultando…é pessoa que manda energia ruim. A gente também tem isso ! É olho grande, inveja, preocupação, nervoso. Então as pessoas mandam más energias para as outras, como eu sou pajé….eu faço a limpeza. Eu tiro !

Então…a pessoa não tem como viver bem, preocupada, não consegue trabalhar bem, porque ele está usando a energia da pessoa que mandou. Isso é o que eu estou vendo!

Léo : O que mais acontece é isso ?

Sapaim : Isso ! Por isso vou tirando…vou limpando….para a pessoa ficar bem. Se você ficar assim muito carregado, pesado, triste, preocupado, nervoso…..você está sentindo a energia da pessoa que mandou, e sua energia fica presa, amarrada. Voc~e não tem como soltar essa energia. É assim que pajé faz !

Léo :* Além de Mamaé, quais são os espíritos que protegem a aldeia.*

Sapaim : Tem vários espíritos.

Léo : Mas qual é o principal ?

Sapaim : Na verdade a gente chama só Mamaé mesmo. Mamaé só…mais nada!

Dr. Wilson Gonzaga : O sr contou uma história sobre Jesus, que o sr. sonhava…e sonhava…e no sonho sonhava….. Pode contar para nós de novo ?

Nísia: Eu perguntei para ele, viu Léo, se ele acreditava em Jesus Cristo…aí ele me contou a história.

Sapaim : Sim é ! O sonho de Pajé é assim : Hoje o pajé vai dormir…vai sonhar… aqui embaixo. (Ele gesticulava mostrando as várias etapas do sonho, como degraus) Lá pajé dorme no sonho (ou seja ele sonha que está sonhando…) …. pajé acorda num outro lugar…pajé olha lá….pajé dorme lá também….pajé sonha….já num outro mundo….E aqui (gesticulava na idéia de degraus) não é mais alto…..o que eu já vi lá…o povo que eu vi….é o povo que mora mais alto. Onde as pessoas que vivem….o povo já não pisa mais na terra….pessoas ficam como pendurados (flutuando). Então o povo lá….as roupas deles são todas brancas, tudo é branco…só não tem cabelo…tudo careca…então tudo anda pendurado.

Então…de lá…vem pensamentos bons…energia boa. Tudo de lá vem aqui para baixo. E…para nós.

Só que o povo joga energia ruim na gente, então…o que veio…atrapalha energia boa. Isto é o que eu estou sonhando.

“Maocini” – Nosso Criador. Eu sonho sempre com ele. De lá vem energia boa. Apessoa que é boa recebe…a pessoa má não recebe. Pessoa boa só recebe energia boa de lá.

Aí pajé veio descendo…acordando….acordando…Quando pajé chegou aqui embaixo…….

Dr. Wilson Gonzaga : O sonho…do sonho….do sonho…

Léo : São os degraus do sonho ?

Sapaim : É assim que pajé está sonhando !

Léo : E a mulher lá na aldeia ? Ela não cura também ? Existe mulher pajé ?

Sapaim : Mulher pajé não cura nada. Mulher pajé só quer namorar ! (gargalhadas)

Léo : Então…ela é mais esperta, não é ? (gargalhadas)

Léo : A mulher não cura na aldeia…então ?

Sapaim : A mulher não !

Nísia : E qual a diferença da mulher da cidade e da mulher da aldeia ?

Sapaim : A índia é muito diferente do que a branca…muito diferente…energia diferente….energia da branca diferente. Porque ? Sempre eu digo como a gente ainda vive…pajé fica nu…índia fica nua. Então energia funciona igual, não tem diferença…Agora energia da branca é diferente. Pra nós como vocês ficam vivendo sempre de roupa….fecha energia. É isto que estou vendo ! Fecha a energia e…num fica assim igual…energia de mulher e energia do homem.

Bia Labate : Muitos brancos te procuram para fazer aprendizado. Daí eu queria saber se eles aprendem e porque você os ensina?

Sapaim : O que eu estou ensinando ? Bom, tem um branco que quer que eu ensine a ser pajé. Só que para ele não é fácil…é muito difícil o branco aprender a ser pajé, aprender a planta. Difícil ! Muito difícil. Ele não tem como sonhar a planta…ele não tem como conversar com a planta…como enxergar, como conhecer a planta. É muito difícil para o branco. Só se o branco…que sabe mexer a planta…pajé conhece…ele estudou a olhar a planta…a pessoa não está mais a própria energia dele…ele está com a energia da planta misturada…a energia da planta vai tirando toda a energia dele e a enrgia da planta passa para ele. Pois eu sei que já tem branco que conhece planta, porque ele está com a energia da planta. Eu hoje não uso mais a minha própria energia…ela acabou…porque eu to com energia do Mamaé. Toda a energia que eu tenho é só Mamaé. Agora minha energia mesmo acabou porque Mamaé limpou, Mamaé trocou.

Bia Labate : Mas tem branco que faz curso com você ? A gente conheceu uma pessoa…O Léo organizou um encontro de xamanismo que o Wilson participou, onde tinha uma pessoa que recebeu um nome seu, uma que chama Yatamalo, e outras pessoas que conheci que também aprenderam com você.

Léo : A Marise Dantas da Paraiba

Sapaim : Sim ! Eu conheço ela. Como ela viu meu trabalho, tirando as dores das pessoas, então ela me viu…então ela disse : Pajé ! Você pode me ensinar ? Eu quero aprender seu trabalho ? É que eu trabalho com pessoas. Como você está tirando a dor ? Você pode me ensinar ? Eu quero ficar pajé.

Eu disse : Olha ! Você é branca ! Muito difícil. Eu posso dar ela pra você…E dei. Não sei se hoje ela está vendo as pessoas…não sei…eu não encontrei ela sabe ? Não sei se ela está vendo a energia das pessoas ! Mas eu dei para ela o nome Yatamalo, o nome das mulheres pajés do Xingu.

Léo :*Qual é mensagem que o sr. daria para nós brancos ?*

Eu posso dar para as pessoas minha energia e meu espírito. Eu posso mandar para o pessoal viver bem, bem tranqüilo…eu mando minha enrgia…eu mando minha reza. Tem reza para mandar para as pessoas…então pessoas recebem meu espírito…minha energia…minha reza…então pessoa já sabe que é para as pessoas viverem bem.

Então as pessoas precisam cuidar de rezar, da energia e do espírito…mais nada !

Ikatu ( Obrigado)

ENTRE EM CONTATO

Envie um e-mail para a equipe do Site


©Desenvolvido por Agência Rumi

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?