O arco sagrado da vida

Tradução Léo Artése

Meditando na minha vida, nos meus estudos, resolvi ler o livro: Earth Medicine de Jamie Sams, que traz 364 meditações uma para cada dia. Quero compartilhar a tradução de um trecho da Introdução, que tem muito sentido com aquilo que acredito e que faço e a Meditação para este dia que escrevo, Domingo 11 de Outubro.

O primeiro calendário que os índios norte-americanos americanos tiveram foram Cascos de Tartaruga.Nossos antepassados viam a passagem dos ciclos e estações observando que treze luas se passaram antes da mesma estação retornar.Avó Nisa (Lua) foi a nossa guia. Através da mudança de seus ciclos, ela diz as mulheres quando seus corpos estão férteis e quando elas teriam a experiência dos Tempos-de-Lua, ou fluxo menstrual.

Vovó Lua desaparece e retorna, mostrando toda a sua face, treze vezes durante o ano. A Mãe foi representada pela criatura mais fértil de nosso planeta, a Tartaruga, que mostrou aos nossos ancestrais como marcar a passagem de cada ciclo lunar.

Cascos de tartaruga formaram as treze luas do ano dentro de um quadro formando um Circulo, que chamamos de Arco Sagrado ou Roda Medicinal.

Este circulo unificado representa a relação sagrada de toda a vida para toda a Terra. O Arco Sagrado, também representa o caminho anual que nossa Mãe Terra fez em torno do Avô Sol, através do céu ou órbita. A Órbita da viagem que Avó Lua faz em torno de nossa Mãe Terra é outro ciclo dando aos Ancestrais uma compreensão da importância de todos os ciclos concêntricos trazendo vida na unidade e harmonia.

Estes treze ciclos lunares inspiraram o nascimento da lenda do Clã das 13 Mães Originais (Matriarca) que representam dádivas e habilidades que os seres humanos devem desenvolver durante “O Caminho da Terra”, ou vida física.

Essas lições de desenvolvimento do potencial humano contém as competências que cada “duas pernas” (seres humanos) devem aprender para viverem em harmonia com todas as formas de vidaQuando aprendemos o que são as nossas potencialidades e desenvolvemos as habilidades de relacionamentos corretos, poderemos compartilhar os dons, com toda a Tribo Humana. A generosidade é a chave para trabalhar e beneficiar todas as coisas vivas. Se dermos de nós mesmos e de nossos dons, as bênçãos que temos recebido serão compartilhados. Nós podemos expandir os limites e as capacidades de todo o potencial humano.

Meditação 11 de outubro – Décima Lua

Jamie Samns

Tecelagem do sonho

Quando, no mistério,

Tecemos teias prateadas,

A vida torna-se o espelho

De sonhos que não se pode enganar?

E onde é que vamos carregar

Medos profundamente enterrados e dor,

Lembrando de deixá-los ir

Assim podemos amar de novo?

É algum lugar em nossa essência

Passamos a ter desejo de rotação,

Cada segmento criativo que nos leva,

De volta para casa, Para o coração novamente?

Despertai tecelões do mundo,

Nós estamos criando o sonho!

A Teia da Vida tem espaço para todos,

Dentro da Roda e seu esquema

Assim, tecem a teia da partilham,

De tudo o que já conhecemos;

Nosso sonho surge com carinho,

Através das sementes de amor das mais variadas formas.

ENTRE EM CONTATO

Envie um e-mail para a equipe do Site


©Desenvolvido por Agência Rumi

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?