Mulher mutante, senhora da esperança (Deusa dos Navajos)

Mulher mutante, senhora da esperança (Deusa dos Navajos)

Rosane Volpatto

Os navajos viveram séculos na área de Four Corners (Quatro Cantos), nos estados do Arizona, Utah, Novo México e Colorado. Esses indivíduos , que chamavam a si mesmos de “dine”, são conhecidos por seus tapetes coloridos, suas exóticas pinturas na área, seus poderosos cerimoniais, sua joalheria impressionante e sua capacidade de incorporar o velho ao novo.

A Mulher Mutante é a mais abençoada, reverenciada e benevolente pessoa sagrada de seu povo. Ela apareceu no mundo presente de forma sobrenatural. Mãe a Avó de todos, segundo uma versão de sua lenda, ela é filha do Rapaz da Vila Longa com a Moça da Felicidade, as formas interiores da terra. A benevolência dessa pessoa sagrada: fornece imunidade contra várias entidades malignas”. Ela trouxe consigo o Caminho da Benção, o mais amado cerimonial navajo. É utilizado de numerosas formas, incluindo proteção da casa, ritual de casamento, ritual de parto, proteção contra doenças e acidentes. É especialmente conhecido como o ritual da puberdade das moças, o “Kinaalda”. Foi a Mulher Mutante quem teve o primeiro “Kinaalda”, na verdade, diferente das mulheres tradicionais de hoje, ela teve dois.

A lenda (Uma Versão)

Quando a Deusa Ancestral Atse Etsa descobriu Estsanatlehi, debaixo da montanha, decidiu educa-la para ser a salvadora da Terra.

Quando ela cresceu, Estsanatlehi encontrou um jovem homem. Todos os dias eles iam para a floresta fazer amor. Nun destes dias, os pais de Estsanatlehi, ao procura-la, encontraram apenas o curso das pegadas. Então descobriram que sua filha tinha o próprio sol como amante.

Ficaram imensamente felizes quando então, Estsanatlehi deu à luz há gêmeos: o Matador de Monstros e o Nascido para a Água. As crianças, especialmente o primogênito, tinha como missão livrar o mundo dos monstros. O segundo menino, tornou-se o pai de todas as águas do mundo.

Oito dias após seu nascimento, já eram homens, prontos para irem ao encontro do pai. Mas ao chegarem a casa do pai, lá encontraram outra mulher. Decepcionados com a intrusão, trataram mal os meninos.

Persistentes, os gêmeos de lá não saíram e utilizando-se dos instrumentos mágicos do pai, exterminaram vários monstros. Depois de celebrarem a vitória em companhia da mãe, construíram para ela uma casa toda de turquesa no fim do céu, onde o Sol poderia visita-la novamente.

Entretanto a guerra que os gêmeos travaram contra os monstros diminuiu a quantidade de habitantes da Terra. Então, Estsanatlehi raspou a pele de seus seios, costas e ombros e criou o casal ancestral do povo najavo. Eles se reproduziram rapidamente, dando origem as grandes clãs dos Navajos.

Sentindo que sua criação estava completa, retirou-se para seu castelo de turquesa e de lá abençoou seu povo, presenteando-os com as estações, as plantas e os animais de caça.

Somente quatro monstros sobreviveram da guerra de seus filhos contra o mal: o Inverno, a Miséria, a Idade e a Fome, que a Deusa permitiu a sobrevivência para que seu povo pudesse dar mais apreço às suas dádivas.

Esta Deusa Sagrada, por suas ações diretas e indiretas, torna a terra segura para os humanos. Ela traz a ordem a este mundo. Isto é muito significativo, pois antes de sua entrada em cena, o mundo se encontrava em estado de caos e desordem. A Mulher Mutante defende a paz, e vive para sempre. Seus decretos falam de amor. Ela e suas leis são imortais.

Estsanatlehi é considerada a irmã de Yolkai Estsan, a esposa do Deus da Lua. Ela representa o ciclo universal da vida e detém o poder total da criação, como também está identificada com a Lua. Ela é conhecida ainda, pelo nome de Mulher Turquesa.

Identificada com o processo da vida em movimento, ela é também uma Deusa Tríplice. Na Primavera era considerada uma mulher jovem. No Outono aparecia como uma mulher anciã em seu declínio, que morria no Inverno para depois renascer no Verão. A restauração da juventude é o padrão da Terra e é também o padrão da Mulher Mutante.

Estsanatlehi é a pessoa sagrada, que se identifica com a beleza dinâmica, que figura como um eterno símbolo de esperança para o povo navajo.

Seus símbolos são: o arco-íris, as flores, a pena do beija-flor, borboletas, cristais, as garras do urso, o espiral, a serpente, as estrelas e abeto (árvore associada à vida).

Invoque a Mulher Mutante para: proteção, prosperidade e fertilidade. Em seus rituais use um incenso de abeto ou sálvia.

Ritual

A Mulher Mutante chega em nossas vidas para nos lembrar que devemos comemorar nossos ciclos. Os Ciclos menstruais são os mais importantes na vida de uma mulher.

Você celebra sua menstruação e a tem como uma época de reflexão? E você que está na menopausa, sente medo de ficar velha e feia porque não menstrua mais? Devemos dançar e comemorar todos os nossos ciclos e inclusive a menopausa, que é quando retemos nosso sangue mágico dentro de nós. É quando nos tornamos uma fonte de sabedoria para nossos entes queridos e para a comunidade.

Respeitar e valorizar os ciclos, significa honrar o seu processo único, o caminho único da vida. Ao celebrarmos nosso ciclos, nós nos celebramos como mulheres.

Celebre seu ciclo

Reserve um horário e um lugar onde não seja incomodada.

Sente-se ou fique em pé e depois relaxe e identifique o ciclo que você está vivendo agora. Trace um círculo chamando os quatro elementos. Ande ao redor do lado de fora do círculo e preencha-o com respeito e honra. Você pode fazer isso tocando uma música, dançando e cantando o refrão:

-“Amo os meus ciclos, gosto de ser mulher”

Não esqueça de observar que sentimentos isso desperta.

Continue até sentir que a energia do ciclo é forte, então entre no círculo e respire profundamente. Deite-se ou sente-se, o que for mais confortável para você. Deixe a energia da celebração que você criou alimenta-la até o âmago do seu corpo/mente/espírito. Sinta o poder de cura refazer os tecidos dilacerados e feridos. Sinta-se mulher, tenha orgulho de ser mulher, por sangrar ou reter seu sangue sábio dentro de si. Quando sentir-se totalmente alimentada, agradeça à Mulher Mutante e a si mesma, à sua feminilidade. Saia do círculo. Libere o que você havia invocado.

Seja Bem-Vinda!

É uma benção termos nascidos mulheres em uma época em que as mulheres estão despertando a verdadeira energia feminina e começando a reconhecer-se e abrir-se para a totalidade de seu poder.

Somos nós mulheres que possuímos mais responsabilidades, nestes tempos em que a Deusa volta a caminhar sobre a Terra. Isto porque participamos desta energia feminina que é a Terra, pois o nosso corpo é o corpo da Mãe-Terra e também porque faz parte de nossa verdadeira essência cumprir o rol de feiticeiras e curadoras, de “paridoras” do mundo maravilhoso que virá.

Devemos alinhar nossa vontade com a vontade da Deusa. ESTE É O SEGREDO!

ENTRE EM CONTATO

Envie um e-mail para a equipe do Site


©Desenvolvido por Agência Rumi

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?