Lilith na Astrologia, Nodos Lunares

Lilith na Astrologia, Nodos Lunares

lilith
Lilith é, ao igual que os Nodos Lunares, um ponto virtual associado à maior distância (apogeu) a Lua em relação à Terra. Em outras palavras, desenhe a trajetória do movimento da Lua em torno da Terra, identifique o ponto de trajetória a maior distância (apogeu) a Terra, a projeção no zodíaco tropical deste ponto visto desde a Terra vai determinar a posição zodiacal de Lilith.

 

Cálculo da Lilith na Astrologia

Lilith é, ao igual que os Nodos Lunares, um ponto virtual associado à maior distância (apogeu) a Lua em relação à Terra. Em outras palavras, desenhe a trajetória do movimento da Lua em torno da Terra, identifique o ponto de trajetória a maior distância (apogeu) a Terra, a projeção no zodíaco tropical deste ponto visto desde a Terra vai determinar a posição zodiacal de Lilith. A projeção do apogeu da Lua, Lilith, desloca-se 6 minutos e 30 segundos por dia, 40 graus ao ano, e leva 3.232 dias para dar uma volta completa no zodíaco, quase 9 anos.

Mean e Tru

Temos, também como no caso dos Nodos, as posições Mean (Média) e True (Verdadeira).

Os franceses, que são os que mais fazem referência à Lilith, usam a Mean. Seu Ciclo Médio é de 8 anos e 9 meses. Priapo

Priapo é o ponto virtual oposto à Lilith na elipse da órbita lunar (perigeu) Pode-se trabalhar com o eixo Lilith – Priapo

Asteróide 1181

Há ainda outra Lilith, conhecida por Lulu, é um asteróide descoberto em 1927 que demora cinco anos para percorrer todos os signos. Na astronomia é conhecido como o asteróide 1181.

Distância 2,1470446 UA
Excentricidade 0,1949764
Período orbital: 1590,88 dias (4,36 anos)
Descoberto no 11/02/1927 por Benjamin Jekhowsky

Lilith na Astrologia

Lilith como ponto associado ao apogeu da Lua, momento em que a Lua está mais distante da Terra, sugere ser associada a conteúdos da função Lua que estão mais longe do controle da consciência.

A cada posicionamento da Lua existe um posicionamento zodiacal de Lilith, assim como dos Nodos lunares.

A situação astrológica da Lua no mapa natal fala da função lunar nesta vida, os nodos falam do eixo darma – karma, e Lilith – Priapo fala do eixo feminino – masculino oculto.

A deusa Lilith, dama do reino do obscuro tem sensualidade perigosa e desconhecida. Sua força oculta e descontrolada recusa à submissão e a obediência. Estas características a fazem candidata ideal para pertencer as entidades que representam a energia do apogeu lunar.

Lilith no mapa natal

Lilith simboliza –quando em destaque no mapa– uma personalidade independente e irreverente que se resiste a se submeter a alguém ou comprometer suas crenças em nome de interesses alheios. Estas pessoas podem se destacar por suas vidas revolucionárias e irreverentes com tonalidades forças na sua sexualidade, sensualidade, poder pessoal ou formas de lidar com estes assuntos. Pode também caracterizar a pessoas que lidam com a cura profunda.

A desarmonia, irreverencia e insubornabilidade de Lilith tem como objetivos denunciar onde se controla e manipula; impulsionar a pessoa a libertação de cristalizações, ajudando ao desapego e a desidentificação de comportamentos e valores castradores; promovendo assim a criatividade, permitindo redescobrir talentos e potenciais.

Lilith representa uma força que emerge do inconsciente para promover o movimento e a evolução em busca de maior amplitude de resposta e evolução. Assim quando não é entendida e bem canalizada pode provocar sofrimentos. Quando desconhecida ou reprimida, a energia de Lilith pode transformar-se em perturbação e violência, manipulação e destruição.

A situação astrológica de Lilith pode indicar dicas importantes da forma em que se manifesta na pessoa as forças do Caos e do aparente “mal”.

Ela parece estar ligada ao sentimento de fundo de ‘frustração’ ou incompletude. A casa ou signo onde ela se encontra corresponde a área de experiência (casa) ou qualidade arquetípica (signo) em relação à qual o indivíduo vive com um sentimento inexplicável de falta e insatisfação e constante expectativa, mesmo que a experiência simbolizada por aquela Casa ou signo esteja sendo realizada satisfatoriamente.

Casa

A casa onde Lilith se encontrar pode indicar onde são vivenciadas tentações, frustrações,e feitas escolhas erradas ou perturbadoras. Nos assuntos desta casa tende-se a mostrar intransigência e instintos com tendência à destrutividade pessoal, sente-se a força perturbadora da incompletude e a falta.

A casa em que se encontra Lilith sinaliza o setor das vulnerabilidades que promove o crescimento visceral. É a casa onde pode-se usar a força da magia e da sensualidade de maneira criativa redescobrindo os próprios recursos e talentos de forma mais ampla e plena.

A casa onde lilith se encontra deve ser aquela em que a pessoa precisa aprender a se desapegar, e libertar-se da identificação e a consideração.

A seguir colocarei o significado de Lilith nas casas na sua forma mais negativa. A pessoa ao identificar estas tendências poderá reprogramar-se transformando a negatividade em forças virtuosas de aprimoramento e poder pessoal.

Casa um

Busca por atenção sobre si. Sente-se desconfortável com o próprio físico. É difícil o contato físico, gosta mas esconde que gosta. Tem muito medo de não realizar o que já tenha começado. Tem solidão interior. Suas iniciativas são desastrosas. Pessoa frustrada, tem uma infelicidade que não sabe de onde vem e, para disfarçar, defende-se com uma agressividade doentia. Insatisfeita, procura pelos defeitos de tudo e todos. Pode cometer excessos em trabalho, sexo e prazeres. É incapaz de dar valor ao que consegue. Indiscreto. Descontrole passional. Problemas afetivos.

Casa dois

Necessidade compulsiva de possuir e acumular. Avarento, faz qualquer coisa para adquirir valores e bens. Sofre muitos obstáculos para conseguir seus objetivos. Gosta de vida fácil. A preocupação excessiva com os bens pode prejudicar a saúde. É uma pessoa invejosa. Tem tendência a perder tudo o que conseguiu acumular por ganância (numa má aplicação por exemplo ou num jogo). Dificilmente tem o que quer e se o tem não consegue manter, perde. Interessa-se pelo proibido. Pode ficar pessimista com tudo.

Casa três

Fascinado com qualquer tipo de meio de comunicação. Faz manobras espertas para seduzir através de sua expressão e fala. Diz o que os outros querem ouvir. Persuasão, comunica incessantemente e é hábil em alternativas. Superficial, não é levado à sério. Orgulho da sua inteligencia. Não se sente pertencendo a alguém. Nervoso. Fala coisas que podem provocar sofrimento.

Casa quatro

É absorvente. Vulnerável a vida privada e área doméstica, as quais sempre trazem dificuldades e frustrações com a família. Sujeito a ser colocado de lado ou abandonado pelos seres queridos. Preocupado com fantasmas. Mediunidade. Vive preso ao passado. Desafios e perturbações com propriedades. Pessoa não doméstica. Dificuldade em expressar sentimentos e se relacionar afetivamente. Renega suas origens.

Casa cinco

Ego é seu inimigo, exagera, fere-se se não é reconhecido. Faz trapaças para aparecer, dizer que foi ele quem fez. Luxúria. Ostentação, mostra o que não tem e fala o que é. Come e bebe demais e excede para satisfazer seus desejos. Gasta muito dinheiro com os outros para aparecer. Tem problemas com os filhos, especulações, romances ou diversões. Normalmente passa por grande decepção no amor. No sexo é autoreferente, quer só de seu jeito, que desafia os limites do outro. Medo irracional de engravidar. Relação insegura com filhos. Orgulho ferido. Abuso do poder pessoal.

Casa seis

Tempo e trabalho perdidos. Preocupação com o que ‘deveria’ fazer. Pressões diárias e dos deveres impedem interesses pessoais. Se perde em milhões de detalhes inúteis. É desleixado nas suas obrigações. Problemas de saúde, doenças de difícil diagnóstico. Sujeito a doenças sexuais. Faz trapaças no trabalho, pode trabalhar com coisas desonestas ou política. Tem tendência a cometer furtos profissionalmente.

Casa sete

Sofre porque busca ser querido e amado mas não consegue. Faz de conta que está tudo bem e não pede ajuda. Evita competições, tem medo de falhar, sente-se desconfortável com os outros e acaba afastando-os. Preguiça e comodismo fazem com que arrastem situações de sofrimento e frustração. Não consegue paz e harmonia nos relacionamentos. Problemas nos relacionamentos, gosta do que é proibido. Sofre por sua beleza ou falta dela, inseguro, indeciso.

Casa oito

Ressentimentos e feridas emocionais. Tem dificuldade de transformar situações, estagnado, passa por privações. Tem fascinação por coisas mórbidas, formas negativas ou estados de após – morte. Ódio e ciúmes que corroem por dentro. Obsessivo. Passa por sofrimentos por causa de envolvimentos financeiros com outras pessoas. Problemas com inventários, impostos, seguros e pensões. Complicações e desejos sexuais que faz de tudo para esconder, ou mostrar demais. Passa por assaltos e pode ser molestado sexualmente. Sujeito a magia negras.

Casa nove

Falta de percepção. Comete erros de julgamento. Impede a expansão como se nada desse certo. Dificuldade em assuntos legais, culturais, éticos ou religiosos. Fazem mau uso de sua generosidade. É negligente. Maus reflexos e dado a negligências.

Casa dez

Ambição compulsiva frustrada. Faz qualquer coisa para conseguir poder. Trabalha por trás das cenas para tirar proveito. Muito medo de perder posição social ou de tanto medo nem sequer batalha pelo que quer. Passa por interferências e interrupções na vida profissional. Escravo da compulsão por aceitação social. Problemas com figuras de autoridade, pessoas mais velhas, figura paterna. Pode sofrer acusações injustas e antipatia a priori.

Casa onze

Atraído por assuntos cósmicos e sofre por eles, não consegue entrar em sintonia com a força cósmica. Vítima de magias. Problemas com grupos, amizades, atrai-se por pessoas que lhe fazem sofrer. Faz más escolhas. Recebe pouca recompensa nos seus interesses humanitários. Dificuldade para realizar seus objetivos. Excêntrico. Má coordenação, espasmos. Tornozelo frágil.

Casa doze

Desgasta-se com situações e pessoas negativas. Confusão emocional, passa por arrependimentos. Magoado e enganado pelos outros. Períodos de isolamento, confinamento e frustrações. Envolve-se com coisas ilegais, imorais. Problemas psíquicos, atrai o pior. Faz mau uso dos dons espirituais. Precisa ter muito cuidado nas escolhas de com o quê e com quem se envolve. Sujeito a escapismos, vícios, traições.

Lilith nos signos

A posição zodiacal de Lilith potencializa as qualidades negativas ou desafiantes do signo onde se encontre. A seguir o essencial de cada signo.

Áries

A pessoa pode ter tendência a liderança, batalha, conquista e depois faz algo que a denigre.

Touro

A pessoa pode ter tendência a acumular e possuir e depois perder tudo;

Gêmeos

A pessoa pode chegar ao poder através de seu dom da palavra, e depois a própria palavra o destrói.

Caranguejo

A pessoa pode de tanto acalentar e investir na família e vida afetiva perder e prejudicá-la.

Leão

A pessoa pode chegar ao poder por seu brilho pessoal que mais tarde o destroi por exagero de vaidade ou abuso de poder.

Virgem

A pessoa pode desenvolver um espírito crítico destrutivo e julgador.

Libra

a pessoa quer ser mais amada, aceita e considerada. Sofre por não ser bela ou ter o status que gostaria.

Escorpião

A pessoa pode ser controladora, vingativa e morrer de ódio.

SAGITÁRIO

A pessoa pode ser exagerada, ambiciosa com desmedida. Extremista religioso ou ideológico.

Capricórnio

Pessoa dogmática e retrógrada quer controlar tudo e na verdade é controlado por tudo.

Aquário

Pessoa irreverente e irresponsabilidade, cria grupos e projetos que depois destrói.

Peixes

Drogada. Falsificadora. Confusa. Em nome do amor, a sensibilidade e o serviço manipula e engana.

Aspectos a Lilith

Os aspectos, sejam eles harmônicos ou não, indicaram os dramas onde manifestam-se desafios, conflitos reprimidos, que se não conscientizados podem levar a perturbação e a autosabotagem.

Quando Lilith se encontra mal aspectada, pode criar tendência a manipulação sexual o abuso de poder, recusa em comprometer-se, tendência ao abandono, fuga, rejeição.

Trânsito sobre Lilith

Ao ativar a Lilith podem se desencadear processos e fatos que dêem passagem ao ódio primal, a raiva e emoções reprimidas. Pode-se também ativar desejos sexuais desconhecidos.

História, mito e etimologia

A seguir informações tiradas da internet por uma conhecida que adoto o nome de Lilith, lamentavelmente não me deu as fontes da sua pesquisa:

“Pode ser associada a entidade suméria Lulu, que significa libertinagem. Ela seria um demônio noturno que excita à volúpia e a desordem.

Na parte hebraica do Oriente Médio temos os nomes de *Lilith, Lilitu, e Lul*u associados a paixão turva e a sexualidade desenfreada que pode insidiar e submete.

No Egito a Lilith aparece como Ishtar.

Na Grécia, pode ser associada à Perséfone (raptada por Hades) e a Hecate que preside a magia e os encantamentos no mundo dos mortos e do nascimento.

Na Bíblia, Lilith pode ser associada a primeira companheira de Adão.

“…No entanto, ela negava-se se submeter ao homem. Inclusive no ato sexual, ela queria ficar sobre Adão, mas este lhe negava o desejo. Então, insatisfeita, ela fugiu para o deserto e foi viver com os demônios (onde existe também a versão de que haveria procriado com eles)…”

“…Adão teria então pedido a Deus uma nova e submissa companheira e foi assim criada Eva. Lilith permaneceu no reino dos demônios atormentando o sono dos homens…”

Lilith, a primeira mulher feita por Deus em igualdade de condições que o primeiro homem e expulsa do Paraíso por tentar fazer valer seus direitos.

Não se sabe com certeza de que forma a lenda de Lilith, esta primeira companheira de Adão, foi banida da versão Bíblica da Igreja. Mas indo às Escrituras hebraicas poderemos encontrá-la como uma mulher feita de pó negro e excrementos, portanto, condenada a ser inferior ao homem.

Segundo Sicuteri, é na época da transposição da versão jeovística da Bíblia para a versão sacerdotal que a lenda da Lilith teria sido eliminada.

O autor também apresenta uma pesquisa acerca da etmologia do nome Lilith.

Na Suméria a raiz Lil aparece nas formas dos nomes de espíritos malignos como Enlil, Ninhil e Mulil.

Na liturgia Acadiana e Mesopotâmica aparecem preces e esconjuros apresentando os nomes de Lilitu e Lilu como figuras malígnas. Em 2000 AC parece que o nome transformou-se em Lillake.

Há ainda uma etimologia hebraica que fazia derivar o nome bíblico da Lilith de Layl ou Laylah que significa noite (no sentido do espírito da noite). Assim ela seria o Espírito da Noite”.

No fundo, Lilith já fora criada como um demônio, tendo gerado, juntamente com Adão, outros seres iguais a ela, que se vingam de Deus na humanidade . Essa natureza satânica é, por assim dizer, uma advertência do que a cultura rabínica e patriarcal nos faz com relação àquela que perturbou a noite toda o sono de Adão: Lilith, feita de sangue (menstruação) e saliva (desejo), uma expressão da fatalidade.

O alfabeto Bem Sirá (século VI ou VII) conta que Lilith, inconformada com a situação de desigualdade vivida com Adão, questiona: “Por que devo deitar-me embaixo de ti? Por que ser dominada por você? Contudo, eu também fui feita de pó e por isso sou tua igual.” E Adão, ciente da supremacia do homem, nega-se a mudar a ordem.

Lilith revolta-se, pronuncia o nome mágico de Deus, acusa Adão e vai embora. Voa para as margens do Mar Vermelho, onde passa a viver em promiscuidade com os diabos, gerando cem demônios por dia, os chamados Lillim. E lá ela se transforma e assume seu tenebroso destino, seduzindo homens em seu sonho, espalhando a morte, pois foi declarada guerra ao Pai. Encarnando o feminino negativo, Lilith transfigura-se, posteriormente, em inúmeras deusas lunares (Ihstar, Astarte, Ísis, Cibele, Hecate), arquétipos das forças incontroláveis do submundo.

na Idade Média personifica a bruxa, contra a qual o homem moveu uma das mais sangrentas perseguições de toda a sua história. Na psicologia significa a outra ou o outro num triângulo amoroso.

Alguns estudiosos dizem que ela era a mulher de Samuel da qual surgiram as imagens de Adão e Eva.

No Zohar, livro do Esplendor do séc. 13, é tratada como a rainha dos demônios que levava os homens a cair em tentação.

Na Kabala, alguns consideram que seja o 10º sefiroh, Malkuth, que reina no submundo, nas trevas e na escuridão, incapaz de se sintonizar com Deus, sujeita a tentações e frustrações, outros autores veriam a serpente do paraíso, como uma incorporação de Lilith.

Lilith também foi relacionada com o Espírito do Vento, o mais repugnante e monstruoso dos demônios sumério-acadianos, identificada pelas populações nômades como o desapiedado Vento do Sudoeste, capaz de enfraquecer a vida humana. Ela é considerada como um demônio do Ar (elemento que é associado às forças demoníacas, pois é ele que separa o Céu da Terra). Na própria capa do livro de Sicuteri há uma representação suméria em que vemos a Lilith com asas e garras ao invés dos pés.

Representações de Lilith

Nas antigas esculturas e gravações em pedra surge uma mulher corpulenta, de seios fartos e boca sensual, cuja energia agressiva está presente com uma profunda vibração. As pernas femininas se transformam em patas de animais, como garras feias de abutre, no lugar dos dedos. Tem expressão sorridente e provocativa e cabelos que se transformam em serpentes. Tem assas por braços. Ao seu lado, figuras lunares: dois cães e duas corujas. Algumas representações de Lilith também a fazem segurar o símbolo do signo da Balança, talvez como um sinal de seu poder sobre os relacionamentos e a justiça.

Lua escura. Lilith como a lua da Terra

Em 1897, o astrônomo alemão George Waltemath documentou pela primeira vez o que chamou de Lua Escura, um corpo não-refletivo que orbita a Terra a cada 119 dias. O astrólogo inglês Sepharial deu-lhe o nome de Lilith, mas nem todos a utilizam.

ENTRE EM CONTATO

Envie um e-mail para a equipe do Site


©Desenvolvido por Agência Rumi

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?