Libertando as palavras; Comunicação e linguagem com liberdade

Libertando as palavras:

linguagem com liberdade

Nós pecisamos deixar fora nossas cabeças e abandonar nossa insistência em usar palavras com as lineares limitações características da comunicação adulta. No geral a conversa do adulto é estruturada por controles e para garantir que os outros possam entender corretamente.

As crianças são ensinadas que a linguagem pode ser usada sómente com outros seres humanos (e possivelmente em loja de animais de estimação), e não com árvores, binquedos, pássaros ou animais selvagens. Nós fomos ensinando-as a usarem palavras como os adultos usam.

Angeles Arrien, escritora do “Caminho Quadruplo’, ed. Ágora* :

A forma que o visionário tem de conservar a autenticidade e permanecer dentro do Arco Sagrado é dizer a verdade sem acusar nem julgar. Dizer a Verdade é um valor universal que destrói os padrões de negação e indulgência.

Leslie Gray, que pertence à linhagem dos Oneida, Powattan e Seminole, e que une as disciplinas de Estudos de Etnias Nativas e psicologia afirma que, em certas culturas nativas, o falar a verdade é denominado ” falar com a língua do espírito”. Willian Scutaz, em ” The Truth Option”, nos diz que a comunicação da verdade contribui para o enriquecimento interpessoal. para nos apresentarmos em plenitude, uns frente aos outros, e para chegar às relações humanas mais satisfatórias, devemos ser conscientes e honestos.

Dizer a verdade, sem críticas ou julgamentos, é a capacidade de expressar as coisas como elas são. Podemos fazer sem abdicar de nossas idéias, refletindo maneiras de se expressar ” com a língua e espírito.

A comunicação que se faz marcar pela integridade sempre leva em consideração o tempo e o contexto, antes de liberar o conteúdo. Muitas vêzes sabemos exatamente o que queremos dizer, mas não levamos em consideração se ´e o devido tempo ou o devido lugar para expressar o conteúdo da comunicação. A Comunicação direta – declarar o que vemos, sem culpar nem julgar – significa que devemos considerar o alinhamento entrre a escolha das palavras apropriadas, o tom da voz e a postura corporal.

Segue abaixo pensamentos extraídos de “Earth Medicine ” de Kenneth Meadows:

Quando nós falamos com Nossas Relações somos levados a conhecer muitas linguagens. Essas variadas formas de comunicação ensina-nos a usar todas as nossas percepções. Nós podemos falar com uma Relação Humana. Nós também podemos escolher cantar ou uivar com as Nossas Relações Criaturas, ou apenas ouvir suas canções. Com nossas Relações Plantas, nós podemos tocar para sentir suas necessidades ou seus espíritos.

Nós podemos falar palavras que desconhecemos, uma linguagem desconhecida par passar nossos sentimentos ou pensamentos aos nossos ancestrais do Espírito do Mundo, e nós podemos usar a voz, cantar ou dançar nossas mensagens de Graças ao Criador. Cada forma de expressão que nós usamos é uma forma de dizer, ou comunicar numa linguagem que pertencemos.

Jamie Sams : Cada ciclo da vida é tem sua linguagem própria. A linguagem em que estamos todos juntos ligados é chamada Hail-oh-way-an, a Linguagem do Amor, na linguagem Sêneca. Quando nós abordamos qualquer criatura com amor e calma em nossos corações, elas sentem que não precisam correr. Quando nos sentamos em silencio, podemos ouvir as vozes dos Espíritos do vento que se movem através das árvores. Se nós ouvirmos com nossos corações, os Espíritos da Água cantam para nós, trazendo suas mensagens de conhecimento.Fale com as Relações, a Mãe do Clã do Primeiro Ciclo da Lua, ensina-nos como compreender todas as formas de comunicação presentes nos seres vivos do mundo natural.

Amor – Paz e Luz !

Léo Artése

ENTRE EM CONTATO

Envie um e-mail para a equipe do Site


©Desenvolvido por Agência Rumi

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?