Estudo de Inverno – Parte 2

Spread the love

 

Aqui você pode procurar idéias que podem transformar sua vida. É o lugar da purificação, da renovação para a preparação de novos começos.

Os componentes desta direção segundo Kenneth Meadows (The Medicine Way) são:

1. Qualidade: Conhecimento e sabedoria

Conhecimento é aquilo que nós conhecemos. Isto é processo de conhecimento. Conhecer é ter um entendimento através da experiência pessoal do que é conhecido. Conhecimento está acima da crença. Crença é confiar na palavra ou opinião de outro. A opinião é não saber. Quando o que está sendo acreditado já é sabido, não é nenhuma opinião mas conhecimento.

Para os ancestrais, o conhecimento abraçava a filosofia, a religião e a ciência. Não eram disciplinas separadas, e integrou-os no conhecimento. Entretanto, a aquisição do conhecimento sozinho não se considerou suficiente. O conhecimento teve que ser mantido na sabedoria.

O conhecimento responde a perguntas como: Que? Como? Quando? Onde? e Quem? O conhecimento transforma-se em sabedoria quando dá respostas à pergunta: Porque? A sabedoria é também conhecimento aplicado. A sabedoria verdadeira é conhecimento aplicado com amor. A sabedoria manifesta-se quando o conhecimento que abraça a filosofia, a religião e a ciência são aplicados com amor. Aquela é a lição que a qualidade do Sul tem que nos ensinar.

2. Totem: Búfalo

O búfalo era o animal mais importante para o índio norte-americano porque forneceu tudo que era necessário para sustentar a vida. Sua carne era alimento, sua pele é material fornecido para a roupa e para a cabana. O búfalo era assim, um animal que dava na sua totalidade, a fim de que o homem pudesse viver. O búfalo simbolizava o espírito que dá totalmente de sua essência no processo da vida. Era também um símbolo da dependência do homem com a natureza para garantir sua vida.

3. Elemento: Ar

A característica do elemento ar é movimento, locomoção, mudança, frequentemente repentinas, constantes e às vezes inesperadas. É suavidade, frescor, liberdade e exalação. O ar traz ‘a respiração da vida’ e está transformando-a. É a qualidade que nós percebemos quando nós falamos de algo que incorpora nossas vidas ‘como uma respiração no ar fresco’, transformando a atmosfera inteira.
O ar tem a característica de ser um portador.

Nossos pensamentos, sonhos e aspirações viajam como se fosses carregados pelos ar. Os pensamentos parecem vir ‘fora do ar’. Assim o ar representa as características da mente que tem a habilidade de se mover livremente e rapidamente. Aprenda escutar o vento, ele escova a alma de todas as coisas vivas e continua seu curso com uma partícula de tudo que toca.

Quando você aprender a viajar com o vento, você não estará mais preso ao veiculo da carne, mas livre para cantar e voar como um pássaro. Então sente que, os pássaros, os animais e as árvores somos todos nós, respirando no grande vento e sendo respirados por ele. Você não pode ver o vento mas ele está lá, e se você parar e se aquietar por um momento sentirá sua presença e a do Grande Espírito. O vento dobra árvores poderosas e balança-as com um sussurro, contudo, você não pode vê-lo – somente estar ciente de sua presença e de seu poder. Vem e vai, mas sempre está lá.

Do mesmo modo, você não pode ver o Grande Espírito, exceto, na majestade de cada alvorecer e no ritmo e fluxo da natureza em torno de você. Basta você sair na mata e olhar. Se você escutar, você ouvirá sua voz no vento e na canção das flores acima de sua cabeça, no reconhecimento. Se você escutar, você ouvirá sua poesia nas árvores, nos montes e nos vales. Você ouvirá se escutar e verá se olhar.

4. Cor: Branco

O branco é a cor da pureza, do equilíbrio e da vida que renova-se. O branco é a soma de todas as cores do arco-íris e representa, assim, a perfeição ou a conclusão. Simboliza as aspirações mais elevadas. O branco indica a pureza da intenção.

5. Reino: Animal

A humanidade civilizada, vivendo em cidades grandes, acostumadas com controle remotos e a apertar botões, perdeu o toque com a natureza e confunde completamente sua relação com o Reino Animal.

Numa das mãos o amor é expressado aos animais domésticos, mas frequentemente, de uma maneira desequilibrada, querendo que cães, gatos, pássaros, peixes e répteis, vivam como seres humanos, ganham até pompom na cabeça, fazem tratamento de beleza etc.

Na outra mão os animais são tratados como objetos sem sentimento e só tem valor na extensão do que podem ser úteis para satisfazer as exigências dos humanos.

Uma das causas dessa negligência do valor intrínseco da vida animal, é a opinião de que os animais não têm alma e estão meramente aqui na terra para servir os homens. Em tempos modernos já tiveram uma opinião quase idêntica sobre as mulheres. Alguns teólogos já discutiram, no passado, se as mulheres tinham alma.

Assim, o índio não considera os animais como criaturas inferiores, mas como expressões do Grande Espírito, que vivem de uma maneira diferente. Apenas porque um animal não pode falar uma língua humana, não temos o direito de supor que não há uma inteligência, emoção, sensibilidade.

 6. Corpo Celestial: As Estrelas

Estima-se por astrônomos, que há aproximadamente 5.000 estrelas que são visíveis ao olho nu e mais de 200.000 que podem ser vistas através de binóculos com uma lente de 50mm. Estima-se que a galáxia contém, ao menos, cem milhões de estrelas.

No pensamento nativo, as estrelas são o símbolo da universalidade e da proteção divina.

As estrelas figuraram nas preces ao sol e para todas as estrelas que são sóis para outros planetas.

Apesar de todos os avanços científicos de século á século, a humanidade tem ainda pouco conhecimento das realidades do cosmos. É possível que os ancestrais tiveram um conhecimento maior do cosmos do que o homem moderno, e que este conhecimento esteve perdido ou destruído?

Há umas lendas entre os Cherokees, que seus antepassados suportam as névoas do tempo e eram ‘as crianças dos povos das estrelas’. Os indíos maias reivindicaram ser ‘as crianças das Plêiades’.

Não é sem significado que o símbolo da estrela é um símbolo que inspire a humanidade para a perfeição.

7. Aspecto Humano: A Mente

O cérebro é a matéria cinzenta dentro do crânio. É físico, material, confinado dentro do escudo protetor grosso do crânio. O cérebro mantem-nos vivos. A mente não é física e material. É invisível e ‘inconfinável’. Pode ir em qualquer lugar e dirige nossa vida. O cérebro tem a energia que pode ser medida com o eletroencéfalograma. O cérebro tem uns 18 bilhões de neurônios, os centros do nervo que ativam a força, a energia, todas as vezes que nós pensamos, por mais aleatório que um pensamento pode ser.

A mente tem uma energia que não pode ser medida, somente parcialmente experimentada como consciência. A energia da mente vai aonde a consciência vai. Esta energia da mente é a fonte do poder que vai além do espaço que a ciência física possa medir. O cérebro é a ferramenta da mente e de sua consciência.

Nós temos estabelecido que você não é seu corpo. Seu corpo é apenas um veículo que é necessário para explorar e experimentar a dimensão física, material. Você é sua consciência. Esse entendimento permite sentir a essência da existência nas palavras por estarem tão próximas de nós. A partir do momento em que aceitar que você é sua consciência, poderá constatar que ela não pode ser destruída, mas pode mudar recebendo um outro corpo.

8. Período De Tempo: O Futuro

A mente é não material, é parte da alma. Nosso destino é criado por nós, nossa própria decisão e ações individuais e coletivas. Portanto a maior parte do futuro está em nossas mãos. O futuro não está fora da nossa realidade atual, mas é parte dela e é também parte do nosso passado.

O ensinamento aqui é que o futuro está contido dentro do nosso presente. Portanto, se quer um futuro melhor, olhe suas ações no presente. As sementes do seu futuro estão contidas nos seus pensamentos de agora.

Melhore a qualidade de seus pensamentos agora e seu futuro será melhor do que o seu presente.

9. Estação: Inverno

A característica do inverno é a renovação. O inverno é o tempo em que a terra está parada e aparentemente adormecida. Mas essa parada é somente fora, no período do descanso aparente, as energias mais profundas da terra estão entrando na preparação para o crescimento rápido que deve logo vir.

É paradoxal. O crescimento rápido, dentro do descanso, apenas porque a vida é escondida na morte. O crescimento interior para suportar o crescimento exterior.

Outra lição aqui, as coisas nem sempre são o que aparecem.

10. Número: Quatro e quatorze

Quatro são 2 x 2. É dualidade e o equilíbrio. É o poder do equilíbrio, do alinhamento e da harmonia. Quatro é um estado ‘de permanência’.

Um número sagrado entre os índios. Há quatro grandes poderes, quatro elementos, quatro sentidos, quatro ventos, quatro estações, quatro raças (branco, vermelho, amarelo e preto), quatro idades do desenvolvimento humano (infância, juventude, adulta e maturidade), quatro lições a serem aprendidas (auto-conhecimento, auto-compreensão, auto-controle e auto-realização).

Quatro no inverno é considerado como o poder da resistência e da persistência.

Quatorze dá o acesso nos planos internos, ao espírito dos animais e ao aspecto masculino da terra.

11. Inimigo: Certeza

A certeza pode ser definida como um estado da mente que faz você pensar que já sabe tudo o que deve saber sobre um assunto, ou quando você responde já saber por ter lido em algum lugar, etc, você está no perigo de ser superado pela certeza.

A certeza pode tentar obstruir a realização de uma nova verdade. O professor verdadeiro dá o conhecimento com humildade. A certeza é a inimiga da claridade da mente e da finalidade.

12. Manifestação: Filosofia, religião e ciência

Os povos antigos não separavam a filosofia da religião e da ciência. Eram considerados aspectos de uma mesma coisa.

 

Deixe uma resposta

Show Buttons
Hide Buttons