Rádio Cipó | Tocando agora:
comprar cd

Entrevista com o xamã Leo Rutherford

Tive a honra de entrevistar Leo Rutherford, um xamã contemporâneo inglês (ele não se considera xamã e sim “xamanista”, professor e pioneiro do xamanismo no Ocidente.Ele foi uma das primeiras pessoas a trazer os ensinamentos do xamanismo para o Reino Unido e fundou a Eagle’s Wing Centre for Contemporary Shamanism (Centro de Xamanismo Contemporâneo Asas da Águia), “Escola de Medicina Xamânica” em 1987.

Tendo trabalhado na indústria durante 20 anos, ele estava sofrendo de estresse agudo e depressão aos 40 anos de idade – e procurando encontrar um caminho com mais coração – ele descobriu a sabedoria ancestral dos xamãs indígenas, um caminho que o transformou.

Publicou cinco livros, incluindo: View through the Medicine Wheel’ (O-Books 2008), ‘Shamanic Path Workbook’ (Arima Pubs, 2006), ‘Principles of shamanism’ (Harper Collins 1996).

Publicará também em 2011: SPIRITUALITY VERSUS RELIGION – Freedom vs Control ‘

Mr.Leo tem um ótimo senso de humor e muita sabedoria, posicionamentos polêmicos e é um dos grandes ícones do neo-xamanismo mundial

 

Leo Rutherford – As asas da águia

Léo Artese:

De Léo Para Léo, Mr. Rutherford, gostaria de saber um pouco sobre sua história pessoal:

Leo Rutherford

Eu venho do chamado Centro-Oeste Britânico. Meu pai era um advogado, assim como vários tios e antepassados. Fui enviado para um colégio interno aos oito anos de idade – porque era “bom para mim” e “o dinheiro poderia comprar a melhor educação”. Abandonei tempos após, porque era bom para mim!

Eu cresci com todo o ensino convencional simples e religião. Eu era um cristão, porque me disseram que eu era. Jesus tinha morrido para mim e então deveria acreditar no que era dito e não perguntar o porque, pois seria ruim para mim.

Léo Artese

Como voce entrou o caminho xamânico e como tornou-se um xamã ou xamanista?

Leo Rutherford

Através de uma mente muito questionadora e insatisfeita, uma incapacidade de acreditar nas coisas que eu tinha aprendido, incapacidade de ter qualquer sentido de religião, acrescido de um agudo senso das iniquidades que as pessoas com essas crenças foram capazes de cometer “porque era a coisa certa a fazer . Também por meio de uma crise de meia-idade no final da minha carreira de engenharia e gestão empresarial.

Eu entrei em engenharia por interesse da infância e porque eu confiei em máquinas muito mais do que em pessoas. Isso moveu-me inexoravelmente para a gerência e aos 28 anos eu tive a grande sorte e oportunidade de assumir e dirigir uma pequena empresa que fazia contêiners metálicos. Isto canalizou minha energia e eu consegui empregar mais de 200 pessoas, mas eu trabalhei duro, demasiadamente por um tempo muito longo e o estresse me pegou.

Deixei a empresa e busquei a vida com verdadeira significação e objetivo. Eu também tinha um monte de coisas emocionais para curar e eu era uma pessoa muito introvertida e problemática (isso é 10 anos de colégio interno!) E precisava de muita boa orientação e ajuda para ter a coragem de deixar o meu verdadeiro eu para fora. Passei cinco anos vivendo em São Francisco, participando de workshops inúmeras incluindo um monte de dança e movimento do trabalho, um mestrado em Psicologia Holística e no envolvimento dois últimos anos no caminho dos Nativos Americanos.

Eu passei cinco anos vivendo em San Francisco participando de inúmeras oficinas, que incluíam muita dança e trabalho de movimento, fiz mestrado em Psicologia Holística e nos últimos dois anos, me envolvi com o caminho nativo americano.

Léo Artése

Poderia descrever suas principais atividades?

Leo Rutherford

Oficinas / cursos sobre diversos aspectos da forma xamânica adaptado para atender as necessidades da população urbana / suburbana da Grã-Bretanha de hoje. De 1987, durante 20 anos dirigi um curso anual chamado “Elementos do Xamanismo”. Nos primeiros 10 anos eu mesmo e colegas oferecíamos simultaneamente 2 cursos. No segundo ano, os que se interessavam em continuar, geralmente 65%, faziam um curso que tinha a forma de uma viagem ao redor da Roda Medicinal de suas vidas.

No ‘Sul’ para curar (ou pelo menos tratar os dentes!) Na história pessoal, para o ‘Oeste, para enfrentar a morte e fazer da morte um aliado não um inimigo, com efeito, significa viver sem medo sendo aquilo que é. No Leste para fazer conexão com a terra e com os mundos dos espíritos na busca da visão. Finalmente, para o ‘Norte’ para materializar tudo o que foi aprendido, rever e dar a quem possa ajudar.

Nos últimos anos dediquei-me mais na direção de treinar pessoas que estão prontas atender “Practitioner Trainings” Eu trabalho com duas colegas, e nós tomamos muito cuidado para manter um espaço amoroso e de não-julgamento, onde pessoas feridas possam ter a confiança de que serão ouvidas, reconhecidas e não criticadas. Nós trabalhamos com a Roda da Medicina – o maior mapa de como funciona o Universo, com a jornada xamânica clássica, com o movimento / dança / Trance Dance – usando o corpo para passar os limites da mente e das emoções, com cerimônias de muitos tipos, incluindo Tenda-do-Suor , Busca da Visão, Rituais do Fogo, rituais para sofrimento e raiva.

Léo Artese

Como é o seu traabalho com a Roda Medicinal

Leo Rutherford

A fundação da Roda é a Contagem 20 também conhecido como Contagem da Criança “, pois é como as crianças foram ensinadas a contar. Esta é uma bela roda de relacionamento entre as grandes forças do cosmos e as pequenas forças locais que atuam sobre o ser humano. Aqui está um trecho de um dos meus artigos:

A Roda Medicinal é um círculo de poder e conhecimento, uma maneira de entender a vida, enquadrado em um círculo. Ela ensina a nossa ligação com todas as coisas, nos mostra o caminho de volta ao Centro, o nosso caminho para casa. A Roda Medicinal é um reflexo do Universo e do indivíduo. Assim como acima, assim abaixo – a maior é refletida na menor e o menor no maior.

As antigas culturas matriarcais viam seu mundo em termos de círculos e ciclos e por isso era natural ensinar sobre a vida desta maneira. A Cabala judaica é uma outra maneira de ensinar essas verdades essenciais, mas apresentadas em formato vertical, como convém a uma sociedade hierárquica orientada para o masculino. Cada sistema vem do entendimento e as atitudes de sua cultura de origem e de diferentes formas de compreensão da vida na Terra.

Medicina significa força vital, força da vida, a integridade. Para ser inteiro é preciso ser curado, pôr fim à separação das partes de si mesmo e da separação da vida, para se tornar um ser humano completamente integrado. A medicina é algo que traz o poder pessoal e da compreensão, força e sabedoria adquirida através da experiência de vida. Medicina é o poder, no sentido real da palavra – o poder sobre si mesmo e sua habilidade para responder de forma consciente e co-criar a vida. Um ser humano totalmente integrado é uma pessoa holística (inteira) .

A Roda Medicinal ensina a viver de vida de uma forma que traz a cura e saúde para a Mãe Terra e toda a nossa família, amigos e outras criaturas. Ele orienta-nos a manter nossa conexão com o Grande Mistério e para todos os aspectos da vida. Nossa Medicina pessoal é o que temos a “dar e receber” de outros seres humanos e para o mundo, é o que contribuir para o coletivo em nossa vida . É o que podemos olhar para trás no final da vida com orgulho e prazer – o que contribuímos para a evolução de Tudo O Que É, nossa colaboração para a evolução de toda a vida.

A base de meu trabalho na Roda Medicinal é o Círculo da Estrela Solitária. É o anel central da contagem de 20 e, quando aplicado à situação de um indivíduo mostra sua jornada humana na Terra. Há inúmeras maneiras de se trabalhar esse círculo e refletir a um participante (que fica no centro da sua Roda da Vida), apenas o que realmente está acontecendo e como movimentar sua energia para mudanças proveitosas.

Léo Artese

Como você acha que o xamanismo pode ajudar a curar as pessoas?

Leo Rutherford

Tudo depende do que você entende por curar! A maioria dos problemas reais das pessoas são a sua visão de mundo / vista pessoal. – O seu estado de doença. Como eles foram ensinados (lavagem cerebral) para ver a si mesmos e do mundo em que vivem, em um país cristão isso significa que nascemos em pecado, não somos bom o suficiente para ‘Deus’, temos a necessidade de redenção, somos basicamente maus e precisamos se submeter àquelas pessoas que sabem mais! Pode parecer que é coisa antiga, mas esses ensinamentos cristãos miopes, existem subliminarmente na cultura, apesar de que muitos (não de qualquer forma) vão à igreja e nem sabem o porque.

O xamanismo traz as pessoas de volta as suas raízes, lembra-lhes que são parte da terra e não separados dela, que ela é nossa mãe e até que ponto estamos coletivamente cagando na nossa própria mãe e agora é verdadeiramente o momento de parar, a hora para mudar.

Quando as pessoas começam a ver o mundo exterior de forma diferente, é mais fácil para ajudá-los a mudar a sua paisagem interior e a valorizar a si mesmos. No processo antigo o “Sujeito-Deus”, “Grande Pai do Céu’ do Cristianismo morreu por eles e estão libertados. Agora para quem entrou no xamanismo pode ser diferente, na minha experiência, as antigas doutrinas da culpa, vergonha, são dirigidas incrivelmente e profundamente na chamada mente inconsciente “.

Léo Artese

Como você vê a expansão do xamanismo na atualidade?

Leo Rutherford

O xamanismo contemporâneo é a adaptação dos antigos ensinamentos em formas adequadas, adaptadas para ajudar e orientar as pessoas de hoje. O xamanismo tem sido sempre a medicina da vida e é importante que não se torne fossilizado ou será apenas mais uma religião. Ele sempre se mudou com os tempos, pois o xamanismo é bom aqui para servir à evolução das pessoas. Na religião fossilizada é como se as pessoas estivessem lá para servir uma organização. Isso não serve a ninguém!

Léo Artese

Muitas pessoas ficam fascinadas com o xamanismo e começar a praticá-lo intensamente. Algumas acabam guiando as suas próprias sessões. Quando você acha que uma pessoa está pronta para fazer isso? Quais são as competências fundamentais que se deve ter a fim de orientar os outros?

Leo Rutherford

As habilidades fundamentais para orientar sessões aos outros são, primeiramente, ter curado suficientemente seu passado de modo que não interfira no seu trabalho com o outro. Assim, quando chora, você pode apoiá-lo, quando grita você pode suportá-lo. Você precisa caminhar sabendo ficar suficientemente longe do seu self, para poder estar lá para o outro sem o seu “material” no caminho. Em segundo lugar você precisa ter praticado as habilidades que você está usando para si mesmo com resultados úteis. Você só pode ajudar os outros com maneiras / ensinamentos / ferramentas que o ajudaram.

Léo Artese

Qual a sua opinião sobre a política proibicionista do uso de determinadas substâncias psicoativas?

Leo Rutherford

Sou contra a proibição.

A “guerra às drogas” é uma loucura risível – basta olhar o que aconteceu com a proibição na década de 1920-1930 nos EUA. Faça todas as exigências legais e fiscais e cobre imposto! A idiotice com a guerra contra as drogas é que elas são orientadas para o lado errado de tudo. Descubra por que as pessoas tomam drogas e cure isso!

Com relação às plantas professoras, há uma farsa, uma caricatura idiota para torná-las ilegais.

Léo Artese

Como você vê a relação entre xamanismo e a psicologia?

Leo Rutherford

De outro dos meus artigos:

“O mundo é como você o sonhar”

A maneira que vivemos a nossa vida cotidiana depende da forma como “vemos”, entendemos. emolduramos, ou “sonhamos” o nosso mundo interior. Em outras palavras, as histórias que contamos a nós mesmos de como ele é, a mitologia que temos de nós mesmos, a visão que temos da vida, em grande medida, determina a vida que vivemos.

Como nós ‘vemos’ o mundo, portanto, o compomos para nós mesmos. Quando vemos um mundo beneficiente, de pessoas caridosas e amorosas, lugares, acontecimentos, “espíritos”, é provável que isso se arranje para nós.

Ao “ver” um mundo de temíveis possibilidades, inimigos e agressão contra nós, também influenciamos a manifestação e a nossa experiência. Ao “ver” um mundo governado por um Deus aterrorizante com o inferno e a danação no fim da estrada se não o fizermos e acreditarmos nos que é dito, tende-se a manifestar um mundo que suporta esse ponto de vista.

Uma cultura vive pela sua mitologias, as pessoas dizem a si mesmas histórias de como é e como funciona. Nas palavras de Dom Juan de Castañeda, somos educados para aceitar o caminho que consenso vê a realidade. A partir do momento em que nascemos, um profundo processo de hipnose começa a nos ensinar a viver ou morrer com pressão emocional – a como viver e sentir o mundo, a fim de ser um membro aceito pela sociedade.

Este processo é chamado educadamente de educação, religião, crescimento, amadurecimento, etc, e nós temos que aprender a concordar com o que aprendemos, para nossa própria sobrevivência. Todas as coisas boas da vida são dadas para aqueles que se encaixam no que é aculturado, ‘normal’, e aqueles que se atrevem a “ver” de outra forma e que não se conformam são considerados como mentalmente instáveis e a deixar de ser – ‘para seu próprio bem “, ou na melhor das hipóteses, tornam-se pessoas à margem da sociedade e recebem uma parcela muito pequena das guloseimas.

Então, como podemos definir a luta contra o ‘sonho’ que temos absorvido de nossa família e cultura? No ensinamento tolteca o primeiro passo é chamado de “apagar a história pessoal! Isto é dito com humor, porque, obviamente, não é literalmente possível. O que isto significa é apagar os efeitos da própria história pessoal sobre o presente, para curar traumas do passado. Isto é tanto uma questão emocional e mental – para curar as feridas emocionais que todos nós pegamos no caminho, e para curar as crenças mentais e conceitos que não nos servem em nossa evolução. Isso na nossa cultura é o reino da psicoterapia, hipnoterapia e todas as disciplinas, e é muito mais uma parte do caminho xamânico. Este é o material da Estrada Vermelha, o caminho de cura do coração e da mente.

Junto com o Caminho Vermelho é necessário percorrer a Estrada Azul, o caminho de abertura para realidades multi-dimensionais, para os poderes espirituais que norteiam o nosso mundo e manter o equilíbrio do Universo, a justiça final de tudo que acontece no Planeta Terra. Andar pelas duas estradas nos ajuda a evoluir e crescer. Nem a estrada por conta própria traz satisfação: o caminho da cura dolorosa do Caminho Vermelho leva a evoluir espiritualmente para o Caminho Azul com sucesso e requer a cura da criança interior, para que não haja o bloqueio da própria história pessoal.

‘Medicar a alma’ significa Psicoterapia. Isto é espiritual, bem como psicoterápico. Nossa cultura tem dividido as duas partes de um todo e é muito importante entender que a psicoterapia deve ser finalmente bem sucedida, deve liderar o crescimento espiritual e compreensão. Da mesma forma tentar ser espiritual, sem curar o seu passado, enfrentando suas feridas, crescendo em auto-conhecimento, leva ao desequilíbrio e é infrutífero.

A psicoterapia ocidental é seriamente limitada pela idéia de que ajudar a pessoa a se encaixar na sociedade é igual a cura. OK, isso ajuda, mas vamos admitir que nós estamos vivendo em um asilo cósmico. Normalidade é louco, insano. Se o mundo ficasse 3 dias sem gastar dinheiro com armas, poder-se-ia acabar com a fome no mundo. As “culturas desenvolvidas” estão sofrendo um enorme grau de perda de alma, como todos sabemos, subliminarmente, se não conscientemente, que o nosso modo de vida é insustentável. Calcula-se que precisaríamos de quatro planetas e meio para nos fornecer se todos vivessem como os americanos! Temos pouca esperança de sobrevivência sem uma grande mudança de coração e mente, precisamos desesperadamente de uma transformação espiritual sem precedentes. Um salto para uma nova consciência é necessária para gerar uma nova visão, paixão moral e é disto que virá a alegria e energia para recriar o nosso mundo.

Léo Artese

Como você acha que o xamanismo pode ajudar a lidar com a atual crise ecológica do nosso mundo?

Leo Rutherford

O xamanismo é a psicologia ecológica! Pela sua própria natureza, xamanismo terra com base animista, promove a consciência ecológica. A religião cristã diz que os animais não têm alma e nem nada, exceto os seres humanos. Até 450 anos atrás – o Concílio de Trento, cerca de 1540-1565 – acreditava-se que apenas os homens tinham alma, pela Igreja Católica, nem mesmo as mulheres! Uma religião que ensina que só as pessoas têm alma, nos deixa capaz de colocar galinhas em baterias e fazer outras coisas terríveis como a criação intensiva de animais, deixa-os lixos, como a Mãe Terra – afinal, ela não está mesmo na Trindade!

Para lidar com a crise ecológica é preciso coletivamente? Ver o mundo através de uma lente muito diferente. Precisamos nos tornar animistas, mais uma vez, para ver o espírito em todas as coisas e, portanto, reconhecer o valor de todas as coisas e, especialmente, todos os seres, é necessário abordar a vida com um homeopata e atitude, e nós precisamos chutar a Bíblia dos alopáticos do “sujeito-deus” (NE: não a do Bom e verdadeiro Deus) para lata de lixo onde ela pertence. A religião da Bíblia substituiu o Criador / Criação / o Grande Espírito, com um impostor, separado, julgador, Deus de proporções monstruosas. (Eu publiquei um livro sobre isso e estou atualizando para republicar)

É uma mudança radical da visão de mundo que nos trará de volta a relação adequada com a terra e o que é necessário para a vida. Como? Essa é uma pergunta muito desafiante! Tudo que é grande fica corrompido. Espiritualidade? xamanismo? Grupos, sempre foi pequena. Um xamã ensinou alguns aprendizes e, por sua vez ensinaram um pouco e assim por diante. Qualquer movimento de massa tende a ficar corrompido. Qualquer grande organização tem como primeira prioridade a sua própria sobrevivência. Em outras palavras, fazer dinheiro! Tem que ser uma das bases do despertar.

PS. É uma visão de Leo Rutherford, que refere-se às religiões que exploram a Bíblia para seus próprios fins, para os fins de suas entidades, manipulações, explorações da fé e não os divinos, sagrados e honestos ideais espirituais que visam o engrandecimento do ser humano e melhores e mais éticas relações na Terra.

Léo Artese

Você já veio ao Brasil? Tem algum plano de vir?

Leo Rutherford

Eu visitei o Brasil durante alguns dias em 2002 depois de uma viagem xamânica ao Peru. Gostei muito do Rio de Janeiro e gostaria de ter ficado mais tempo. No momento não tenho nenhum plano de viagem!

Léo Artese

Gostaria de deixar uma mensagem final aos praticantes de xamanismo do Brasil?

Leo Rutherford

Sejam verdadeiros e sejam reais.

Léo Artese

Mr. Leo, muito obrigado pelo seu tempo e atenção. Foi muito bom falar com você e aprender com sua experiência. Você está convidado a vir ao Brasil e se juntar a nós no centro xamânico Centro de Estudos de Voo da Águia. Seria uma grande honra para nós.

Leo Rutherford

Caro Leo.

Cumprimentos de Ye Olde Englande.

Todos os votos de felicidades, e obrigado por sua paciência

LEO RUTHERFORD, WINTON HOUSE, MARLE GREEN, HEATHFIELD, EAST SUSSEX, TN21 9HN, UK 01435-810233

leo.rutherford@eagleswing.org.uk

http://www.shamanism.co.uk/

/ EAGLE’S WING COLLEGE OF SHAMANIC MEDICINE

ENTRE EM CONTATO

Envie um e-mail para a equipe do Site




©Desenvolvido por Agência Rumi

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?