A palavra esse dom de Deus

A palavra esse dom de Deus

José de Alencar

Extraído da Apostila do Curso de Comunicação Verbal do Instituto Reinaldo Passadori

A palavra, esse dom celeste que Deus deu ao Homem e recusou a todos os outros animais, é a mais sublime expressão da natureza; ela revela o poder do Criador e reflete toda a grandeza da sua obra divina. Incorpórea, como o espírito que a anima, rápida como a eletricidade, brilhante como a luz, colorida como o prisma solar, comunica-se ao nosso pensamento, apodera-se dele instantaneamente e o esclarece com os raios da inteligência que leva no seu seio.

Mensageira invisível da idéia, íris celeste do nosso espírito, ela agita as suas asas douradas, murmura ao nosso ouvido docemente, brinca ligeira e travessa na imaginação, embala-nos em sonhos fagueiros, ou nas suaves recordações do passado.

Reveste todas as formas, reproduz todas as variações e nuances do pensamento, percorre todas as notas dessa gama sublime do coração humano, desde o sorriso até a lágrima, desde o suspiro até o soluço, desde o gemido até o grito rouco e agonizante.

A justiça deu-a à inocência como a sua arma de defesa; arma poderosa e irresistível que tantas vezes tem suspendido o cutelo do algoz e quebrado as pesadas cadeias de ferro de uma masmorra.

Para o tribuno é uma alavanca gigantesca, com que desloca as imensas molas do povo e atira-as de encontro às colunas do edifício social, que estremece, vacila e se abate ao peso dessas massas impelidas por um poder quase sobre-humano.

Eis o que é a palavra, meu amigo; simples e delicada flor de sentimento, nota palpitante do coração, ela pode elevar-se até o fastígio da grandeza humana e impor leis ao mundo do alto desse trono, que tem por degrau o coração e por cúpula a inteligência.

Assim, pois, todo homem, orador, escritor ou poeta, todo homem que usa da palavra, não como um meio de comunicação das suas idéias, mas como instrumento de trabalho; todo aquele que fala ou escreve, não por uma necessidade da vida, mas sim para cumprir uma alta missão social; todo aquele que faz da linguagem, não um prazer, mas uma bela e nobre profissão, deve estudar e conhecer a fundo a força e os recursos desse elemento de sua atividade.

A palavra tem uma arte e uma ciência; como ciência, ela exprime o pensamento com toda a sua fidelidade e singeleza; como arte, reveste a idéia de todos os relevos, de todas as graças e de todas as formas necessárias para fascinar o espírito.

ENTRE EM CONTATO

Envie um e-mail para a equipe do Site


©Desenvolvido por Agência Rumi

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?