A corrente espiritual é a força do trabalho

A corrente espiritual é a força do trabalho

A corrente é a força espiritual do trabalho. É o esforço em­pregado por cada um para que a comunhão de todos com o sacramento se revista de um profundo resultado espiritual. O bailado e a música geram uma energia que é canalizada pelas vibrações do maracá. Tudo isso propicia um trabalho interior de elevação espiritual e expansão de consciência que sustenta as mirações, os insights e diversos aprendizados que ocorrem durante o trabalho com cada membro da corrente.

Além de ser o ponto alto do trabalho espiritual,é o espelho da vida e das relações humanas no interior da comunidade. É a grande possibilidade de limpeza e transformação, quando todos, irmanados e ombreados na Corrente, passarão até doze horas cantando e bailando, viajando interiormente sob a condução dos hinos e da miração do Daime.

Adoramos a Deus, prestando-Lhe todos os louvores e, naquela noite,repleta de alegria e amor, nos sentimos parte do Todo, somos estimulados a nos transformar e nos tornarmos mais aptos a compreender nossas faltas e a de nossos irmãos. Ao final, a alegria, o Sol nascendo, o abraço, a bênção, o aperto de mão, muitas questões resolvidas, muitos insigths libertadores e um grande sentimento de paz.

A firmeza da corrente repousa na firmeza e consciência de cada irmão e na sua obediência às regras do trabalho.

Setores da corrente espiritual:

  • COMANDANTE, DIRIGENTE OU PRESIDENTE DA MESA
    Responsável geral pelo trabalho espiritual.
  • COMANDANTE ALA MASCULINA
  • COMANDANTE ALA FEMININA
    Cuidam da ordem na fila, da harmonia da corrente, correção do bailado e também das velas, incenso e água.
  • FISCAIS DE ATENDIMENTO (MASCULINO E FEMININO)
    Encarregados de zelar pela passagem daqueles irmãos e irmãs que estão necessitando de auxílio para viver a sua experiência espiritual.
  • FISCAL DE TERREIRO
    Encarregado do movimento e atendimento no terreiro da Igreja. Também recebe pessoas encaminhadas pelo fiscal de salão para o terreiro e vice-versa.
  • PORTEIRO
    Zela pela porta, o acesso e saída da Igreja. Controla a direção de cada um que sai do trabalho e quando necessário indaga os motivos. É o intermediário entre os fiscais do salão e do terreiro.
  • REFORÇO
    Considera-se reforço todo o efetivo da escala de fiscais que mesmo não estando em seu turno pode ser convocado para alguma emergência.

Atribuições e formações dos fiscais no trabalho

O quadro de fiscalização deve funcionar em base de turno de duas horas. Em centros com menos disponibilidade de pessoal pode haver escalas maiores ou fixas. O treinamento e preparo dos fiscais deve ser constante. O bom fiscal deve ser sereno, amoroso e ao mesmo tempo persuasivo e firme quando se trata de resolver problemas e situações que estão prejudicando o fluir harmonioso do trabalho.

Deve ser o mais discreto possível na sua atuação, cheia de atenção e boa vontade, principalmente com aqueles irmãos que estejam passando alguma disciplina ou qualquer outro tipo de dificuldade.

Se houver alguma ocorrência que fuja do seu controle e autoridade, deve consultar o comando do trabalho.

ENTRE EM CONTATO

Envie um e-mail para a equipe do Site


©Desenvolvido por Agência Rumi

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?