As três irmãs, (milho, feijões, e abóbora) – Nativos norte-americano

As três irmãs, (milho, feijões, e abóbora) – Nativos norte-americano

 

Há aproximadamente a 5.000 anos,o milho, abóboras e feijões são cultivados pelos povos nativos norte-americanos que os semearam. Quando os povos nativos norte-americanos faziam suas colheitas, não deixavam a seus campos; construíam vilas e deixavam de ser nômades.

A abundância milho e feijões e abóbora, livrou povos das caças contínuas, deram o recolhimento e os possibilitou a construírem repousos melhores, fazerem a cerâmica, tecerem o pano, criarem a arte e a desenvolverem cerimônias religiosas. Milho, feijões e abóboras podiam ser secados e armazenados por períodos longos, aliviando o ciclo anual do inverno. Os nascimentos aumentaram e a vida se prolongou.

Os vegetais, entretanto, não se limitavam ao milho, aos feijões e abóboras apenas. Mais de 400 plantas foram identificadas na dieta americana nativa pré-colombiana. E quando o milho era o mais difundido de todos, batatas, arroz selvagem e outros eram também importantes em algumas áreas.

Os  nativos norte-americanos das florestas orientais usam o termo “três irmãs” para se referirem ao milho, feijões, e abóbora. Estas três irmãs dão uma lição na cooperação ambiental que os americanos nativos sentem que todos os seres humanos devem praticar hoje.

Plantadas juntas, o milho fornece a haste para os feijões escalarem; os feijões fornecem o nitrogênio ao solo para nutrir o milho; e a abóbora sai da terra para fora, impedindo a competição da vegetação não desejada e protege as raízes rasas do milho.

Esse princípio é praticado e preservado atualmente no mundo através da técnica da “permacultura”. Como a parte do círculo da vida, estas colheitas confiam em si para a sobrevivência. São, não somente ricas em simbolismo espiritual, mas na cultura e historia botânica e também na nutrição. O milho, feijões e abóboras, complementam-se: milho para os grãos e o hidrato de carbono, os feijões para a proteína e a abóboras para a vitamina A.

O milho era preparado de muitas maneiras pelos nativos norte-americanos. Cozido, assado, como farinha, a imaginação era o limite. A abóbora podia ser cozida ou podia ser secada e armazenada para o uso durante todo o inverno.Os feijões novos frescos foram incluídos nos cozidos, e os feijões mais maduros eram secados para o inverno . Os feijões forneceram uma fonte de proteína durante o inverno.

Existem muitas tradições, histórias e cerimônias dos nativos americanos ligadas milho, a história das Três Irmãs, é a mais conhecida. Uma delas diz que o milho chegou através de uma entidade associada ao corvo. Na região dos Grandes Lagos eram feitos rituais e cerimônias de agradecimento para plantar e colher. Quase todos os americanos nativos incluem alguma história de sua cultura, referente as “Três Irmãs”: Milho, feijão, e abóbora.

Dependendo da área , as colheitas mudam. Às vezes são plantadas cabaças e as vezes são adicionados girassóis. Esta tradição americana nativa é baseada no “círculo da vida,” ou da idéia que todas as coisas vivas se interagem para a sobrevivência.

As nações consideram o feijão, o milho e a abóbora como os três presentes sagrados do Criador.

Numa história nativa da criação, estas três plantas foram dadas aos povos quando todos os três vegetais brotaram milagrosamente do corpo da filha da Mulher do Céu, e assim, concederam o presente da agricultura aos povos.

O milho, os feijões e a abóbora são conhecidos por terem espíritos individuais e serem sustentadores da vida. As mulheres eram responsáveis para estas colheitas no campo porque são demasiado generosas e sustentadoras da vida. Participar dessa colheita é um lugar de honra dentro da tribo para as mulheres que levam as Três irmãs para o povo.

Os nativos norte-americanos acreditam que, durante a noite, seus espíritos vagueiam pelos campos para se encontrar com o orvalho, para refrescarem-se com a umidade e para revigorar os campos que ocupam . Crescem abundantes juntas, protegendo-se das doenças e pragas.

Uma noite, quando os espíritos das irmãs estavam vagueando, um espírito maléfico, deteve o espírito do milho e inspirou a inveja na dedicação de um para o outro. Ao fazer assim, convenceu o milho a se mudar. Este mudança provou-se ser fatal, o milho cresceu cansado para sair e procurar o orvalho. Começou a crescer menos e tornou-se difícil de cultivar. Foi forçado a crescer sozinho longe de suas plantas irmãs. Eventualmente o orvalho por piedade ia visita-lo e quando o milho não está com suas irmãs é mais difícil de ser cultivado. As Três Irmãs se dedicam ao crescimento uma das outras.

A técnica nativa consiste em plantar num mesmo monte as três plantas. O simbolismo “das três irmãs” está profundamente enraizado nos corações de muitos americanos nativos, porque eles compreendem que nós não estamos sozinho.

A história de três irmãs ensina-nos o valor de cada pessoa que necessita-se crescer e prosperar. Somente em seguindo na vida comunitária é que podemos ter sucesso em nossas vidas, nossas almas, nossos sonhos.

ENTRE EM CONTATO

Envie um e-mail para a equipe do Site


©Desenvolvido por Agência Rumi

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?