A FERTILIZAÇÃO – Festival do Fogo I

FERTILIZAÇÃO

A Direção Nordeste ensina que cada passo que trilhamos na Roda da Vida representa uma parte do que somos, assim como os nossos pais, avós e nossos ancestrais são uma parte do que somos.

Nesta direção podemos curar feridas de nossos antepassados. Aqui temos o desafio de examinar quem acreditamos que somos e aceitar nosso passado. Ela nos ensina que  podemos redefinir esse passado através da cura do presente e encontrar a beleza onde antes era dor.

O Nordeste (Sudeste no Hemisfério Norte) é o lugar dos ancestrais e da auto-imagem. É onde se consolida as qualidades das outras sete posições da Roda no que diz respeito à nossa visão do mundo.

Para fazer isso, é preciso conectar-se com todos os aspectos das nossas vidas, presente e passado, bem como com o legado que nos foi transmitido pelos nossos antepassados.

Representa o ponto médio entre o Equinócio de Primavera e o Solstício de Verão. O poder está em ascensão assim como as emoções nos relacionamentos, a energia e fluxo do poder está aumentando, assim como a nossas expectativas.

Povos realizam ritos de iniciação para a fase adulta, é o momento de fertilização, da florescência das árvores, quando os aromas das flores tornam-se mais fortes e encantadores.

O perfume doce das plantas já pode ser sentido, começa a florescência. A Direção Nordeste anuncia a aproximação do Verão. Caminhamos para o auge da energia, aumentamos a nossa expectativa de boas colheitas. Abrimos nosso coração para a comunidade, nos preparamos para celebrar a fertilidade na Terra. Chegamos ao ponto médio entre o Equinócio de Primavera e o Solstício de Verão. Momento dos ritos de iniciação para a fase adulta, da florescência das árvores, quando os aromas das flores tornam-se mais fortes e encantadores. O poder está em ascensão assim como as emoções nos relacionamentos, a energia e fluxo do poder está aumentando, assim como a nossas expectativas.

Momento na Terra para abençoarmos nossas relações e relacionamentos. A Sagrada União do Masculino e Feminino. Para complementar os opostos e nos harmonizarmos com nossa energia sexual, do amor sexual. Para fortalecermos nosso relacionamento atual ou para buscar um novo relacionamento de qualidade, de amor, verdadeiro. Para fortalecer casais e para quem está a procura de seu amor.

Para fertilizar Todas As Nossas Relações… O maior desafio que teremos para esse novo milênio é o de harmonizar nossos relacionamentos, nossas relações. Harmonizar relações/relacionamentos em todos os níveis: na família, na relação homem e mulher, com os filhos, com os pais, com chefes, com subordinados, com fornecedores, com clientes, com companheiros de trabalho, vizinhos, amigos em geral. E é claro, no relacionamento consigo mesmo, com Deus, crença/religiã… ou seja: tudo na vida é relacionamento. Hoje, mais do que nunca, temos que nos relacionar com o meio-ambiente, com a nossa alimentação, com a escola de nossos filhos, com os amigos de nossos filhos… Vivemos numa rede interminável de relacionamentos! Se a vida é a dança das relações, é sábio aprendermos cada vez mais a dançar em harmonia com tudo o que nos cerca. Nós necessitamos de outros para sobreviver, e nós nos alegramos na presença de outros para viver.

O Festival da Fertilização aponta para o regresso do verão. É um momento para lembrar de acontecimentos felizes. As flores despontam mais para cima, os animais se preparam para o acasalamento no grande momento de esperança de novas vidas no calor futuro. Os pássaros fazem os seus ninhos, as árvores vão ficando mais abundantes e podemos já comemorar o fim do frio e renovar nossos pensamentos para o futuro. Agora poderemos comemorar a fertilidade da terra. É um momento onde a sexualidade está em alta e essa energia é enviada para o ventre da terra, trazendo seu pleno despertar e fecundidade. Comemoramos em dois sentidos, no primeiro honrando a fertilidade ao nosso redor, e no outro nível, vibramos para incentivar as nossas culturas para crescer e florescer todo o verão.

O momento de fertilização é quando somos inspirados para colocar nossos planos que foram germinados em ação e nossa alma clama pela renovação da alegria do verão. A Fertilização é a passagem para a estação de crescimento (verão), o despertar suave da terra, um momento em que os prazeres são provocados. Sinaliza um momento em que a Terra entra em graça mais uma vez.

Simboliza, em nível espiritual, a unificação do Masculino Divino e do Feminino Divino para trazer a consciência, a união da terra e do sol, para trazer a fecundidade da estação de crescimento. É um bom momento para os casais renovarem as declarações de intenções, os compromissos, sabendo que é só através da escolha de ambos que pode permanecer uma relação. Também é um momento para os solteiros(as) vibrarem por paceiros(as) amorosos, por relacionamentos amorosos corretos e prósperos.

Na transposição do calendário para o Hemisfério Sul , é o correspondente com o mês de maio do hemisfério Norte, tempo de Beltane, do mês das noivas, da sensualidade e sexualidade revitalizada, o despertar da Terra e seus filhos. É o momento em que a vida se desperta para as cores vivas, fragrâncias vibrantes, formigamentos, brisa de verão. É um momento de expressão extraordinária da terra, animais e pessoas um momento de encantamento e muita festa.

A emoção e a beleza da fertilização não pode ser melhor expressa do que através da alegria das crianças, que cheias de energia, ampliam a emoção e trazem riqueza e alegria por onde passam.

É expressão incontida da criança de êxtase e prazer que é a alegria de correr pelos campos, colhendo flores, luz do sol, deliciando-se com a fragrância da Primavera, dançando no orvalho fresco coberto de grama. Nossos filhos nos guiam através do abandono natural de nossas seriedades adultas e nos mostram como tirar grande prazer, carinho e alegria através das energias da fertilização.

Nesta estação, povos dos passado, rezavam para a segurança dos seus rebanhos, iluminando cumes com chamas enormes. Aqui nós vamos orar pela liberdade e pela vida de nossos animais, para que o mundo melhore o seu relacionamento com eles, assim como para todo o nosso planeta, nossas árvores e minerais.

Junte-se á nos nesse dia e deixe uma vela acesa em sua janela em honra e em solideriedade com nossos animais, e rezando uma antiga prece:

A saúde de nossos animais é a saúde dos povos da Terra
A saúde dos animais é a saúde da Terra.
A vida dos animais é a vida da Terra

Cura e liberdade para os animais
Cura para a Terra
Cura para a Consciência Humana
Cura para todos nós

Manifestam-se  os espíritos da natureza, trazendo a alegria e o humor à  Terra e  O Espírito de Todas As Nossas Relações, os Mestres Espirituais, Seres Iluminados e Avatares para nos passar orientações espirituais.

No xamanismo celta é conhecido como Beltane  marcando o inicio do verão e do inverno e representando o casamento da Deusa e do Deus, a união do Céu e da Terra. Os Fogos de Beltane e o Mastro de Maio (May Pole) celebravam a abundancia da terra com o inicio do verão. A Deusa e o Deus alcançaram o auge de sua vitalidade e vigor. O calor do Sol e a exuberância da natureza festejam sua paixão, culminando no Casamento Sagrado da Deusa da Terra com o Deus Verde da Vegetação, personificados em seus representantes: o Rei e a Sacerdotisa.

Beltane por Mirella Faur – Adaptado ao Hemisfério Sul
Beltane e seu oposto Samhain eram os dois maiores festivais da tradição celta, marcando o inicio do verão e do inverno e representando 0 casamento sagrado da Deusa e do Deus, a união do Céu e da Terra. Os Fogos de Beltane e o Mastro de Maio (May Pole) celebravam a abundancia da terra com o inicio do verão. A Deusa e o Deus alcançaram o auge de sua vitalidade e vigor. O calor do Sol e a exuberância da natureza festejam sua paixão, culminando no Casamento Sagrado da Deusa da Terra com o Deus Verde da Vegetação, personificados em seus representantes: o Rei e a Sacerdotisa.

Apesar de ter sido celebrado por vários povos antigos com outros nomes, como os festejos de Florália e Bacanália, a Festa de Bona Dea e a Noite de Walpurgis, o atual nome deste Sabbath é relacionado a Bel, o deus celta do fogo e da luz.

Os celtas acreditavam que este festival era regido pelo Povo das Fadas, ajudantes da Mãe Terra em sua tarefa de florescer e frutificar. O simbolo principal de Beltane era o Mastro; ao seu redor, os casais dançavam, trançando fitas vermelhas e brancas.

A simbologia é bem evidente: o simbolo fálico fertilizando o ventre da terra e as pessoas vivenciando, nos campos e nos bosques, a energia do amor sexual. Os casais pulavam sobre as fogueiras para atrair a boa sorte, a fertilidade ou a abundância, homenageavam os representantes do Deus – o melhor dançarino – e da Deusa – a mais bonita das mulheres presentes, eleita a Rainha.

Inúmeros encantamentos para a cura, amor e a prosperidade eram feitos nesta noite, colhendo-se e utilizando-se plantas sagradas como o espinheiro branco e preto e o salgueiro, purificando-se os campos e os animais. Deixavam-se oferendas para o Povo das Fadas, pedindo-lhes a abertura da visão sutil e o conhecimento do uso mágico das ervas e pedras. A atmosfera deste Sabbath é de excitação, celebração da sexualidade e da fertilidade, conscientização dos impulsos e das reais necessidades, harmonização e complementação dos opostos.

Nos círculos de mulheres, comemora-se o florescimento da Terra, o despertar de Perséfone para o amor, a ativação da energia vital e do fogo criador.

As deusas associadas a este Sabbath saõ Aeval, Cliodhna, Fand, Grainne, Maeve e Y seult, na Irlanda; Blodewedd e Blatnat, no Pais de Gales; Belisama, na Galia; Marian e Cordelia, na Bretanha; Matronit, na Iberia; Grimhild, Minne e Walburg, na Alemanha e Freya, Gefjon, Hnoss, Ingeborg, Lofua e Siofn, na Escandinávia. Os deuses correspondentes são Cernunnos, Frey, Fauno e Pan. Os dois principais temas deste Festival são o mito da Mulher Aranha tecendo os fios da criação e o despertar da deusa Donzela para o amor e para a união com o Deus Cornífero.

Os elementos ritualísticos deste Sabbath são o Mastro, um tronco de pinheiro onde dançarinos trançam fitas coloridas tradicionalmente vermelhas e brancas, atualmente podendo ser escolhidas em outras cores de acordo com a intenção mágica; as guirlandas de flores e folhagens para os dançarinos; a “dança das fitas” e a fogueira, para purificar-se ou saltar sobre ela. As velas são vermelhas, representando a cor do sangue menstrual e brancas, representando a cor do sêmen. 0 incenso e a essência são de rosas, patchouli, almíscar, melissa, hibisco ou gerânio. No altar, colocam-se flores vermelhas, galhos e folhas de sorveira, sabugueiro, louro e madressilva e um óleo para unção especialmente preparado com óleo de amêndoas e essência de almíscar, mirra, aspérula e sangue de dragão.

Reverenciam-se os Seres da Natureza ofertando-lhes frutas, leite, mel, cristais e contas coloridas, realizando-se encantamentos amorosos enquanto trançam-se fios ou fitas. É uma noite propícia para celebrar uniões. No “Handfasting”, o compromisso tradicional durava um ano e um dia, podendo ou não, ao término deste período, ser renovado ou confirmado. A comemoração é feita com frutas vermelhas (maçãs, morangos, cerejas, melancia e framboesas), pratos com aspargos e champignons, ponche de vinho com frutas, sorvetes e mousses.

Compartilhe: